Filmes

Crítica

RED 2 - Aposentados e Ainda Mais Perigosos | Crítica

Raros momentos de inspiração do elenco não salvam sequência do fracasso

Thiago Romariz
17.10.2014, às 14H29
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H44
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H44

RED - Aposentados e Perigosos é recheado de falhas, mas a presença de alguns grandes nomes de Hollywood faz alguns minutos dele valerem a pena. A sequência, no entanto, não segue o mesmo caminho. Sequer os raros momentos de inspiração do elenco salvam RED 2 - Aposentados e Ainda Mais Perigosos do fracasso.

red-2

None

red-2

None

A trama difere pouco do longa anterior. Frank Moses (Bruce Willis) e Marvin Boggs (John Malkovich) desta vez se unem devido à aparição de uma arma de destruição em massa, criada nos tempos da Guerra Fria. Assim como no primeiro, a mulher de Moses, Sarah Ross (Mary-Louise Parker), entra como o ponto dissoante entre os agentes e se torna a preocupação do personagem de Willis.

Os mínimos resquícios da homônima HQ de Warren Ellis e Cully Hamner que inspiram a série, e foram usados no primeiro filme, também são deixados de lado. Ao invés disso, RED 2 opta por investir no óbvio resgate dos personagens aposentados e uma rasa citação ao Wikileaks, por meio do personagem de Anthony Hopkins. O ator, acompanhado de Catherine Zeta-Jones, é a maior adição ao estrelado time que estampa os cartazes do filme. Uma pena, no entanto, que nenhum dos dois contribua de forma positiva. Brian Cox, que ganha pouco destaque, consegue ser mais efetivo em alguns segundos de tela.

No núcleo principal, Hellen Mirren aparece menos do que deveria - pois quando o faz, protagoniza a melhor cena do filme, rindo de si e fazendo piada sobre o maior papel de sua carreira, a rainha Elizabeth. Mary-Louise Parker, por outro lado, repete a ingrata missão de ser o olhar do espectador e não deixa de ser pior personagem do filme - ainda que a disputa com o "melhor assassino do mundo" de Lee Byung-hun seja ferrenha.

De mãos dadas à preguiça de boa parte do elenco está a direção de Dean Parisot. A cena de Mirren dentro do carro e de Willis no depósito são bons exemplos de como não se filmar uma cena de ação. O descompasso entre as escolhas de ângulo e corte de câmera é tão vigente que não há como entender o que ou como se deu o resultado final. Também ajuda a quebrar o ritmo do filme a forma preguiçosa como são mostradas as mudanças de locação, quando personagens e cidades são transformados em desenhos - talvez numa breve e infeliz tentativa de lembrar a HQ.

Sem motivos para existir, se não comerciais, RED 2 - Aposentados e Ainda Mais Perigososé uma reunião honesta de astros para simplesmente ganhar dinheiro - ou relaxar, como diz Anthony Hopkins. Nessa linha de raciocínio, uma escolha muito melhor seria Mercenários, por exemplo. Ao menos não há a evidência do descompromisso.

Red 2 - Aposentados e Ainda Mais Perigosos
RED 2
Red 2 - Aposentados e Ainda Mais Perigosos
RED 2

Ano: 2013

País: EUA, França

Classificação: 14 anos

Duração: 116 min

Direção: Dean Parisot

Roteiro: Cully Hamner, Warren Ellis

Elenco: Bruce Willis, Catherine Zeta-Jones, Anthony Hopkins, Helen Mirren, John Malkovich, Mary-Louise Parker, David Thewlis, Neal McDonough, Lee Byung-hun, Neve Gachev, Lee Asquith-Coe, George Georgiou, Paul Hopkins, Garrick Hagon, Brian Cox, Tim Pigott-Smith, Philip Arditti

Nota do Crítico
Ruim

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.