Filmes

Crítica

Parker | Crítica

Filme desperdiça boa premissa ao incluir tramas paralelas

Thiago Romariz
21.03.2013, às 19H00

Jason Statham funciona quando trabalha sozinho. Fez bons filmes quando era o astro principal. Adrenalina e Carga Explosiva estão aí para comprovar. O problema surge quando há um companheiro envolvido. Até hoje, quando precisou dividir a tela com algum nome de peso, não obteve bons resultados. Aconteceu em Celular - Um Grito Por Socorro, em Os Especialistas e volta a ocorrer em Parker, que estrela ao lado de Jennifer Lopez.

parker

None

Os parcos minutos em que o inglês poderia dar alguma serenidade ao seu personagem se perdem nas piadas infantis proferidas pela companheira, que sem ter nem porquê, atira-se no brutamontes na primeira oportunidade. Nestes poucos momentos de diálogos interrompidos, o protagonista tenta aparentar uma psique complexa, com um confronto interno entre a bondade e a aptidão pelo crime - e nessa profundidade desnecessária está a principal falha de Parker.

O filme se baseia no livro de Donald E. Westlake e Statham vive o personagem-título, um ladrão em vias de aposentadoria que aceita um trabalho com um grupo de colegas distantes. No meio do roubo, Parker sofre uma tentativa de assassinato pelos companheiros e é deixado na beira de uma estrada a beira da morte. Resgatado por desconhecidos, ele volta a ativa em poucos dias e vai em busca de vingança.

Por mais comum que seja a trama, diretor e roteirista credenciam o filme a um desempenho razoável. Taylor Hackford não tem a regularidade de Ray (2004), mas comanda bem as cenas de ação, sem economizar nas consequências das brigas do protagonista ou mesmo no sangue esparramado nos tiroteios. O texto de John J. McLaughlin (Cisne Negro) acerta ao deixar as ações de Parker falarem por si, por exemplo - o erro é justamente deixar ele falar com alguém.

A falha principal do longa, no entanto, é a procura pela inclusão do personagem de Jennifer Lopez. A participação da atriz/cantora no filme é dispensável a ponto do roteiro desenvolver da mesma maneira sem ela. A tentativa de colocá-la como um alívio cômico não só fracassa, como também enaltece os momentos em que a moça aparece sem roupa ou em posições que destacam seu dotes físicos. Dispensável para o decorrer do filme, essencial para a venda do mesmo.

Parker erra ao incluir personagens multifacetados a uma trama que sequer precisa de uma dupla protagonista. Preso a uma fórmula combinada de romance e comédia, as boas sequências de ação e a presença de Statham são desperdiçadas pela adição de um rosto - e um corpo - bonito no elenco.

Parker
Parker
Parker
Parker

Ano: 2012

País: EUA

Classificação: 14 anos

Duração: 118 min

Direção: Taylor Hackford

Elenco: Jason Statham, Jennifer Lopez, Nick Nolte, Michael Chiklis, Sala Baker, Carlos Carrasco, Wendell Pierce, Emma Booth, Daniel Bernhardt, Patti LuPone

Nota do Crítico
Regular

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.