Filmes

Crítica

Os Suspeitos | Crítica

Suspense aplaudido em Toronto privilegia as atuações em mistério com dilemas morais

Érico Borgo
07.09.2013, às 10H06
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H37
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H37

Em seu primeiro trabalho nos Estados Unidos, Os Suspeitos (Prisoners), o canadense Denis Villeneuve (Incêndios) impressiona por manter sua qualidade autoral e ao mesmo tempo entregar um produto tão evocativo dos grandes suspenses modernos de Hollywood.

Na trama escrita pelo novato Aaron Guzikowski (Contrabando), depois que sua filha de seis anos de idade e uma amiga dela são sequestradas, Keller Dove (Hugh Jackman), um carpinteiro de Boston, enfrenta o departamento de polícia e o jovem detetive (Jake Gyllenhaal) encarregado do caso para fazer justiça sozinho. No papel do principal suspeito está Paul Dano, um dos melhores atores de sua geração, ao lado de Maria Bello, Viola Davis, Terrence Stamp e Melissa Leo.

Os Suspeitos

None

Os Suspeitos

None

Os Suspeitos

None

O longa explora os limites da razão - e o faz através de uma atmosfera opressora, que traz à mente Zodíaco e O Silêncio dos Inocentes. A escola David Fincher de suspense investigativo é seguida à risca por Villeneuve, mas há um elemento adicional em Os Suspeitos, o drama dos pais que veem o relógio correr enquanto suas filhas estão desaparecidas.

A sequência de abertura já indica os temas que serão discutidos. Nela, a câmera abre aos poucos revelando um cervo sob a mira de um rifle enquanto Keller recita uma oração. Tensão e convicções religiosas se misturam na sequência, que segue com o filho mais velho do homem comentando a uma amiga o papel das pessoas na manutenção da população desses animais. O homem interfere na obra de Deus, mas é temente - tema que ganhará um impactante desdobramento adiante.

Com duas horas e meia de filme, o desenvolvimento de personagens é valorizado - e sobra espaço para Jackman e Gyllenhaal, ambos realizando um de seus melhores trabalhos. Ao lado dos igualmente ótimos Dano e Stamp, Jackman canaliza seu melhor Wolverine na forma de um pai preocupado. As personagens femininas, porém, recebem apenas uma boa cena cada, o que poderia ter sido melhor explorado.

Com uma atmosfera opressora, desinteressada em sustos gratuitos, Os Suspeitos alterna as histórias do pai e do detetive, ambos em sua espiral de obsessão. O longa respeita a inteligência do espectador, apresentando pistas concretas a todo instante, o que mantém o engajamento do público, que se defronta não apenas com o mistério do paradeiro das meninas, mas também com os dilemas morais de seus pais. Como em Zodíaco, a natureza da investigação e seu impacto no investigador ganham importância quase tão grande quanto o mistério. A maturidade do roteiro e da direção são maiores que qualquer resposta.

Leia mais sobre Os Suspeitos (estreia em 18/10 no Brasil)

Os Suspeitos
Prisoners
Os Suspeitos
Prisoners

Ano: 2013

País: EUA

Classificação: 16 anos

Duração: 153 min

Nota do Crítico
Excelente!

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.