Filmes

Crítica

O Juiz | Crítica

Robert Downey Jr. e Robert Duvall vivem pai e filho em amálgama agridoce de subgêneros

Érico Borgo
05.09.2014
23h10
Atualizada em
29.06.2018
02h43
Atualizada em 29.06.2018 às 02h43

David Dobkin, diretor mais conhecido por comédias como Penetras Bons de Bico, arrisca-se por paragens supostamente mais prestigiosas em O Juiz (The Judge, 2014), drama com toques de humor que chega repleto de pretensões pouco veladas aos Oscar de atuação.

Na trama, um advogado de sucesso (Robert Downey Jr.) precisa retornar à pacata cidadezinha onde nasceu quando recebe a notícia da morte de sua mãe. Lá, porém, terá que enfrentar seu pai (Robert Duvall), o juiz da cidade e um bastião moral local, depois de décadas de um difícil rompimento familiar. Mas a situação se transforma, quando o patriarca se vê no centro de uma acusação de assassinato - e precisa do filho cheio de recursos para defendê-lo.

judge

None

O drama é um amálgama de subgêneros consagradíssimos, como o filme-de-tribunal, o filme-de-família e o filme-de-volta-pra-casa. Mas apoia a mistura com o charme e o carisma de Downey Jr. e Duvall, cujas altercações frequentes mantêm a experiência positivíssima, ainda que o roteiro em si não esconda grandes surpresas. A dupla divide momentos bastante difíceis em sua jornada de entendimento, em especial uma cena no banheiro, envolvendo problemas da velhice, que Dobkin conduz com extrema sensibilidade.

Essa sequência exemplifica bem o que O Juiz tem de melhor, o equilíbrio preciso entre o drama e o humor - quase sempre, claro, partindo de Downey Jr., que faz aqui uma versão bem mais humana e contida de seu Tony Stark. O humor é uma autodefesa que o ator explora muito bem dentro do personagem.

Esse equilíbrio dá o norte ao filme, que se desenrola dentro do esperado, sem grandes risadas ou tristezas. Até a escolha do cineasta pelo compositor Thomas Newman, especialistas em temas para filmes que buscam exatamente esse mesmo tipo de emoção, como Um Sonho de Liberdade, evoca essa intenção, talvez meio calculada demais, de gerar algo para sentir-se bem. Um filme decente, mas completamente inofensivo e recauchutado, que vale mesmo pela atuação de seus protagonistas.

O Juiz
The Judge
O Juiz
The Judge

Ano: 2013

País: EUA

Classificação: LIVRE

Duração: 141 min

Nota do Crítico
Bom

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.