Filmes

Crítica

O Exótico Hotel Marigold 2 | Crítica

Continuação deixa de ser uma comédia dramática para virar um conjunto de romances água com açúcar

Gabriella Feola
07.05.2015, às 13H13
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H35
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H35

O livro de Deborah Moggach que inspirou o sucesso de bilheteria O Exótico Hotel Marigold não previa continuação, mas o diretor John Madden e o roteirista do primeiro filme, Ol Parker, resolvem dar um "final" à história - não só para lucrar de novo com seu público-alvo mas também para preencher lacunas do primeiro longa.

Partindo do original e analisando o caminho dos personagens em O Exótico Hotel Marigold 2, vemos que, ao chegar na Índia,  Evelyn (Judi Dench) encontrou a independência através do trabalho e superou a perda do marido, agora, ela tentará se abrir para um novo amor. Douglas (Bill Nighy) enfrentou uma crise no seu casamento e o divórcio foi a melhor solução para o casal. No segundo longa, ambos divorciados, procuram se apaixonar novamente. Madge (Celia Imrie) queria dar um golpe num ricaço, mas na continuação ela tem de decidir a quem ama de verdade. Norman (Ronald Pickup) era um bon vivant que acabou se apaixonando, e no segundo filme, tem de lutar para conseguir manter o relacionamento. 

Além deles, a controladora mãe de Sonny (Lillete Dubey), que teve de aceitar a noiva escolhida pelo filho no primeiro longa, vai se abrir para uma nova paixão. Já os dois novos hóspedes (Richard Gere Tamsin Greig) se surpreenderão com a Índia conforme encontram - adivinhem? Sim, novos pares românticos. Muriel Donnelly (Maggie Smith) é a única personagem que continua se desdobrando, e muito bem, sem precisar de um status de relacionamento.

Dev Patel retorna mais caricato e exagerado ao seu personagem, Sonny Kapoor. Se ele noivou com a mulher de seus sonhos no original, agora ele está exatamente onde começam as comédias românticas: em um noivado conturbado em que, com o casamento se aproximando, ele se vê enciumado e confuso pela relação da noiva com um charmoso e rico amigo de infância.

Madden deixa as particularidades dos ótimos personagens para assumir que felicidade só é obtida com o encontro da "alma gêmea". O filme foge do seu gênero de comédia dramática e se torna uma comédia romântica com meia dúzia de paixões simultâneas e interligadas.

Com ótimos atores e uma base sólida que fora fundada no primeiro filme, o longa ainda consegue fazer bom uso das piadas de terceira idade. Além disso, o cenário da Índia exótica e cheia de contrastes continua sendo um dos pilares atrativos do longa, e desta vez conta com o reforço estético do casamento hindu e suas tradições.

Se o primeiro filme apresentava um elenco de peso, um cenário bonito, personagens interessantes e boas histórias, a continuação tenta repetir esses pontos fortes, mas a falta de uma boa história desequilibra todo o resto. No fim a sensação não é de reencontrar os velhinhos do Hotel Marigold, mas de ter assistido ao último capítulo da novela Caminho das Índias.

Nota do Crítico
Regular
O Exótico Hotel Marigold 2 (2015)
The Second Best Exotic Marigold Hotel
O Exótico Hotel Marigold 2 (2015)
The Second Best Exotic Marigold Hotel

Ano: 2015

País: EUA/Reino Unido

Classificação: LIVRE

Duração: 122 min

Direção: John Madden

Elenco: Ol Parker, Maggie Smith, Richard Gere, Bill Nighy, Judi Dench, Dev Patel, Penelope Wilton, David Strathairn, Celia Imrie, Ronald Pickup, Diana Hardcastle, Tina Desai

Onde assistir:
Oferecido por

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.