Filmes

Crítica

O Doador de Memórias | Crítica

Falta coragem à adaptação aos cinemas do livro de Lois Lowry

Thiago Romariz
11.09.2014
15h48
Atualizada em
21.09.2014
15h25
Atualizada em 21.09.2014 às 15h25

O Doador de Memórias se veste de fantasia adolescente para discursar sobre violência, repressão e segregação. Esses temas são abordados em outros livros do mesmo gênero, mas dificilmente há uma ligação direta com fatos da história da humanidade. Ao usar cenas de acontecimentos conhecidos, o filme de Philip Noyce, que adapta o livro de Lois Lowry, quase se torna uma ficção científica; faltou coragem, porém, para discutir as consequências dos atos que podem tornar o humano um ser desprezível.

Em um mundo totalitarista, feito por pessoas que nascem com um propósito (soldado, enfermeiro, professor, etc) e onde ninguém lembra do tempo anterior à essa situação, o Receptor (Jeff Bridges) é o único que sabe o que ocorreu. De tempos em tempos, ele é encarregado de passar o fardo para um novo sujeito - no caso, o garoto Jonas, interpretado por Brenton Thwaites.

Jonas é os olhos do espectador, literalmente. Noyce filma o mundo de O Doador de Memórias em preto e branco até que as primeiras lembranças do passado remoto sejam mostradas. Nele se concentra também todo o vazio ideológico da trama, que apresenta inúmeras questões e responde apenas a mais simplória delas: "se o povo puder escolher, ele escolherá errado".

Nos breves diálogos entre Bridges e Meryl Streep, a vilã do filme, nota-se quão rasas são as pretensões do roteiro. O problema do mundo é apenas o povo e suas escolhas. Momentos depois, quando são mostradas as memórias e discussões entre o Receptor e Jonas, fica claro que há mais. E é aí que o desperdício também se evidencia, pois sequer o confronto entre as visões de ambos é aproveitado. Bridges se limita a reproduzir suas caretas já conhecidas em blockbusters ao invés de incitar o intelecto do protagonista - e por consequência, do espectador.

Além disso, há o romance e a reviravolta obrigatórios no decorrer do longa, mais uma vez deixando claro porque o filme se furta de ir além das expectativas criadas pelos nomes no cartaz. O Doador de Memórias é feito para se encaixar na mediocridade da fantasia juvenil atual.

O Doador de Memórias
The Giver
O Doador de Memórias
The Giver

Ano: 2013

País: EUA

Classificação: 12 anos

Duração: 94 min

Direção: Phillip Noyce

Roteiro: Michael Mitnick, Robert B. Weide

Elenco: Alexander Skarsgård, Brenton Thwaites, Meryl Streep, Katie Holmes, Taylor Swift, Jeff Bridges, Cameron Monaghan, Odeya Rush, Katharina Damm, Emma Tremblay

Nota do Crítico
Bom

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.