Filmes

Crítica

Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo

Muita diversão e ABBA no filme mais brega e delicioso do ano

Aline Diniz
02.08.2018
19h44
Atualizada em
02.08.2018
20h05
Atualizada em 02.08.2018 às 20h05

O gênero musical no cinema costumava ser extremamente popular. As emoções passadas pela música eram muito mais intensas e descaradas do que sem elas, um feito bastante apreciado nos primórdios do som na sétima arte. Hoje em dia, o musical é um gênero quase que esquecido nos cinemas, deixado de lado - mas vez ou outra ele aparece para alegrar nossos corações. Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo é justamente a essência esquecida desse gênero: divertido, alegre e muito, mas muito, brega.

Elenco de Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo
Universal Pictures/Divulgação

A ideia central de Mamma Mia, baseada na peça de teatro musical homônima, é seguir a jornada de Donna (Meryl Streep/Lily James) e seu histórico com Sam (Pierce Brosnan/Jeremy Irvine), Harry (Colin Firth/Hugh Skinner) e Bill (Stellan Skarsgård/Josh Dylan), sempre acompanhada das Dynamos; Tanya (Christine Baranski/Jessica Keenan Wynn) e Rosie (Julie Walters/Alexa Davies). A sequência mantém a ideia central, mas viaja ao passado e mostra o que exatamente aconteceu na vida de Donna antes da gravidez, explorando como foram suas relações com cada um dos pais de Sophie (Amanda Seyfried).

Toda a base musical de Mamma Mia são as canções do ABBA, que em sua grande maioria têm uma batida rítmica e alegre. O filme empresta justamente essa leveza melódica, trazendo uma aventura despretensiosa e cheia de previsibilidade, mas incrivelmente gostosa de acompanhar. O trunfo da sequência acaba sendo se levar tão pouco a sério quanto o primeiro, criando uma atmosfera de diversão absoluta no set de gravações - o que transparece na tela do cinema. Não existe uma cena sequer no longa em que tanto os protagonistas quanto os extras não estejam curtindo aquele momento e é exatamente isso que torna a continuação tão especial.

Analisar Mamma Mia como um filme comum não é possível. Não é essa a proposta. A distância da trama e dos personagens da realidade, a cantoria aleatória e as inúmeras coincidências que cercam a vida de Donna e seus amigos são exatamente parte da experiência, criando algo que é surreal e simultaneamente calcado na realidade. As conhecidas melodias do ABBA ajudam a criar uma identificação ainda maior com aquele grupo de pessoas, com as situações e, acima de tudo, com a espontaneidade dos eventos. E é exatamente por tudo isso que Cher, aos 72 anos de idade, pode ser a mãe de Meryl Streep, que tem 69 anos. 

Apesar de toda a galhofa, há um detalhe que merece ser apontado no elenco do filme - mais especificamente nas versões jovens dos personagens. Enquanto Lily James acerta exatamente a personalidade de Donna, quem merece uma atenção especial é Jessica Keenan Wynn. A atriz, que vive a jovem Tanya, não só se parece fisicamente com Christine Baranski como acerta absolutamente todos os trejeitos físicos e vocais da personagem, consequentemente incorporando exatamente a atriz mais velha. É assustador como não há nenhuma falha na interpretação: é exatamente a mesma pessoa do começo ao fim do filme.

Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo é diversão de primeira qualidade. Despretensioso, leve e divertido, é obrigatório aos amantes de musicais. Fique até o final para uma incrível apresentação de "Super Trouper", não perca a cena pós-créditos e prepare-se para ouvir ABBA ininterruptamente por alguns dias.

Nota do Crítico
Excelente!