Filmes

Crítica

Linha de Frente | Crítica

Jason Statham faz mais um filme de Jason Statham ao lado de elenco cheio de estrelas e roteiro de Stallone

Marcelo Forlani
05.12.2013, às 22H07
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H39
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H39

Em 1976, um jovem de origem italiana aparecia nos cinemas como protagonista e roteirista do filme que recebeu 10 indicações ao Oscar - e ganhou 3 delas: Melhor Filme, Direção e Montagem. O longa se chama Rocky - Um Lutador e a pessoa que escreveu aquela emocionante história de superação é Sylvester Stallone, que naquele ano se tornava apenas a terceira pessoa indicada a Melhor Ator e Roteirista na mesma edição do Oscar, seguindo os passos de Charles Chaplin (O Grande Ditador) e Orson Welles (Cidadão Kane).

Linha de Frente

None

Linha de Frente

None

Linha de Frente

None

Corta para o ano de 2013 e temos um novo longa escrito por Sylvester Stallone chegando às telas, Linha de Frente (Homefront, 2013). Baseado no livro de mesmo nome escrito por Chuck Logan, a trama gira em torno de um ex-policial (Jason Statham) que, após perder sua esposa, se muda para uma cidade do interior da Luisiana com sua filha. Ao chegar lá, os dois acabam se envolvendo com a família que toma conta da região e está envolvida com produção de drogas.

Talvez a história até funcione nas páginas de um livro, mas como um filme estrelado por Jason Statham (Carga Explosiva, Adrenalina), o desfecho é previsível desde que ele aparece em cena pela primeira vez, à paisana, no meio de um bando de motoqueiros mal encarados. A culpa não é do ator inglês, que mais uma vez está apenas repetindo o seu papel de grande astro dos filmes de ação e luta dos anos 2000. Ao seu lado está um elenco que também chama muito a atenção e não está mal. James Franco (Oz - Mágico e Poderoso, 127 Horas, Homem-Aranha - O Filme) deixa de lado a sua já habitual maconha e vira o produtor de metanfetamina conhecido como Gator Bodine. Sua irmã é a ex-Lois Lane, Kate Bosworth (Superman - O Retorno) e a namorada de Bodine é Winona Ryder (The Iceman). Só faltou mesmo uma pontinha para o bom e velho Sly.

Falta ao enredo uma linha lógica. E não é só com os vilões, que cometem erros em cima de erros. Não faz sentido que o ex-agente do departamento nacional de combate às drogas resolva explodir o covil de seu inimigo, em vez de usar todas aquelas evidências como prova e levá-lo à justiça. Mas se você não ligar para isso e quiser apenas um filme de ação em que tudo sai conforme esperado, Linha de Frente segue toda a cartilha do gênero, com sequestros, perseguições, explosões, invasões de domicílio e até gatinhos que são levados para longe de seus donos - apenas porque isso é "do mal".

O diretor Gary Fleder tem no currículo Coisas Para se Fazer em Denver Quando Você Está Morto, Beijos Que Matam e O Júri, mas tem feito mais séries de TV do que longas para os cinemas. Ele impõe ao filme a estética da câmera inquieta, mas exagera e cansa. Não precisava usar este efeito de câmera na mão e zoom até mesmo quando a filha de Statham está apenas brincando no "parquinho" da sua escola. Quanto ao roteiro de Stallone, basta dizer que está mais para o seu trabalho em Mercenários do que para a história do Garanhão Italiano.

Linha de Frente
Homefront
Linha de Frente
Homefront

Ano: 2013

País: EUA

Classificação: 16 anos

Duração: 100 min

Direção: Gary Fleder

Elenco: Jason Statham, James Franco, Winona Ryder, Rachelle Lefevre, Kate Bosworth, Clancy Brown, Frank Grillo, Christa Campbell, Omar Benson Miller, Nicole Andrews, Celeste Star, Stephanie Grote, Amin Joseph, Joe Chrest, Izabela Vidovic

Nota do Crítico
Bom

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.