Filmes

Crítica

Jersey Boys: Em Busca da Música | Crítica

Máfia supera melodia na visão de Clint Eastwood sobre o grupo Frank Valli & The Four Seasons

Natália Bridi
26.06.2014
08h35
Atualizada em
29.06.2018
02h40
Atualizada em 29.06.2018 às 02h40

Não é só de virilidade que se faz Clint Eastwood. Dono de uma melodiosa carreira, o ator/diretor misturou suas personas de caubói e músico em Honkytonk Man (1982), e dirigiu Bird (1988), sobre Charlie Parker, um de seus ídolos no jazz. Pianista experiente, também compôs as trilhas de Sobre Meninos e Lobos (2003), Menina de Ouro (2004), A Conquista da Honra (2006), A Vida Sem Grace (2007), A Troca (2008), Além da Vida (2010) e J.Edgar (2011). Logo, a associação de seu nome à adaptação de um espetáculo da Broadway ao cinema soava inusitada, mas seu currículo parecia casar perfeitamente com Jersey Boys, a história do grupo Frank Valli & The Four Seasons.

jersey boys

None

Na prática, porém, Eastwood se mostrou mais interessado na ligação do quarteto com a máfia do que com a criação de hits como "Sherry," "Big Girls Don't Cry" e "Walk Like a Man". A estrutura teatral criada por Marshall Brickman e Rick Elice foi mantida (a dupla também assina o roteiro do filme), mas qualquer sugestão de espetáculo foi cortada. Esse desprendimento do original foi rejeitado pela crítica nos EUA, que tachou a adaptação de conservadora por transformar o premiado musical (foram quatro prêmios Tony em 2006, e mais de US$ 1 bilhão arrecadado em ingressos) em mera cinebiografia. Na verdade, tivesse se distanciado ainda mais, evitando alguns trechos que pouco se desenvolvem e quebram o ritmo da narrativa, Jersey Boys teria encontrado a sua própria voz no cinema.

Dividido em quatro estações, cada ato é conduzido por um dos membros do grupo - Tommy DeVito (Vincent Piazza), Bob Gaudio (Erich Bergen), Nick Massi (Michael Lomenda) e Frankie Valli (John Lloyd Young) - que encaram o público e expõe a sua visão dos fatos. Eastwood, aproveita cada momento da fase marginal e de ascensão de seus protagonistas, narrada por DeVito e Gaudio, mas parece incerto na fase de queda e retorno do quarteto, conduzida por Massi e Valli. A convicção do diretor surge apenas no desejo de usar a tumultuada relação do grupo para criar a sua versão de Os Bons Companheiros. Joe Pesci, que não por acaso interpreta um mafioso chamado Tommy DeVito no filme de Martin Scorsese, é um personagem no longa (vivido por Joseph Russo). É o ator, então apenas mais um trambiqueiro de origem italiana em Nova Jersey, quem apresenta Gaudio à banda, descobrindo no compositor o elemento que faltava para o sucesso.

Ainda que falhe em explorar a qualidade musical de Frank Valli & The Four Seasons, deixando a música em segundo plano, as boas atuações e o divertido texto de Brickman e Elice sustentam a preferência da adaptação por uma realidade menos grandiloquente. Eastwood explora bem os personagens, que claramente considera mais interessantes do que a música que criaram. Jersey Boys se rende ao espetáculo apenas no rolar dos créditos, quando o diretor coloca todo elenco para cantar e dançar - até Christopher Walken, que faz o mafioso Gyp DeCarlo no longa, volta a mostrar o rebolado do clipe de "Weapon of Choice", do Fatboy Slim. O trecho mostra aos críticos que Eastwood saberia, sim, dirigir um musical, ele só não quis.

Jersey Boys - Em Busca da Música | Cinemas e horários

Jersey Boys: Em Busca da Música
Jersey Boys
Jersey Boys: Em Busca da Música
Jersey Boys

Ano: 2014

País: EUA

Classificação: 12 anos

Duração: 135 min

Direção: Clint Eastwood

Elenco: Christopher Walken, Vincent Piazza, Freya Tingley, James Madio, Sean Whalen, Kathrine Narducci, Francesca Eastwood, Mike Doyle, Steve Schirripa, Barry Livingston, Alexis Krause, Jeremy Luke, Silvia Kal, John Lloyd Young, Erich Bergen

Nota do Crítico
Bom

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.