Freida Pinto e Logan Marshall-Green em Intrusion

Créditos da imagem: Netflix/Divulgação

Filmes

Crítica

Intrusion repete fórmulas e decepciona com plot twist previsível

Suspense da Netflix tem Freida Pinto e Logan Marshall-Green

Júlia Tibiriçá
25.09.2021
12h04

Recém chegado à Netflix, o suspense Intrusion conquistou em poucos dias lugar privilegiado entre os lançamentos mais populares da semana na plataforma. A sinopse já denuncia alguns clichês dos que mais gostamos para uma sexta-feira à noite sem nada melhor na televisão: um casal começa uma nova vida em uma pequena cidade e tem sua casa perfeita invadida por estranhos encapuzados. O que podemos esperar de novo? Nesse caso, lamentavelmente, nada. 

Se de início somos quase seduzidos pela história de superação de Meera (Freida Pinto) e por sua sólida relação com o marido Henry (Logan Marshall-Green), em poucos minutos os protagonistas perdem qualquer fator de empatia, em uma narrativa que se arrasta apoiada em fórmulas repetidas e mal executadas até o final. Uma vez aparentemente resolvida a invasão que introduz à trama, Meera aos poucos se perde em uma espiral de medo e paranoia, convencida de que há algo de mal contado na sequência de eventos que sucede a sobrevivência do casal ao que parecia ser uma tentativa aleatória de arrombamento seguido de roubo.

Atento ao crescente estresse da esposa, Henry cumpre o papel de um marido preocupado e cuidadoso que tenta recolocar a vida do casal de volta aos eixos. A performance de Marshall-Green, entretanto, é pouco convincente, trazendo pouco ou nenhum elemento de surpresa para a (semi)gradativa virada do personagem, que se torna objeto de suspeita de sua esposa. Apresentada como receosa e traumatizada desde o primeiro momento, Meera - como boa parte das esposas em suspenses pseudo-psicológicos análogos - duvida de si mesma e é repetidamente dissuadida de sua própria intuição. A produção parece apostar pouco na inteligência de Meera que segue uma série de pistas toscas e mal explicadas na abrupta derrocada de seu casamento outrora bem sucedido.

Os espectadores mais generosos com a trama, talvez, perceberão uma tentativa interessante, embora desperdiçada, de jogar com as múltiplas intrusões que perpassam a história. Na forma da investigação da esposa - ingênua e inexperiente -, transitamos entre invasões de privacidade e segredos descobertos, combinados pelo diretor Adam Salky com bons efeitos de sombra e profundidade, ainda que insuficientes para a construção de uma atmosfera oportuna para o longa. Ao passo que o roteiro tenta nos despistar com supostas reviravoltas que nos aproximem da confusão mental de Meera, nos deparamos apenas com um vilão mimado e risível e um detetive carrancudo, cuja irrelevância para o desenrolar do enredo é verdadeiramente impressionante.

Embora tecnicamente superior a Mudança Mortal, lançamento igualmente desinteressante na plataforma no mês passado, Intrusion decepciona mais, com um plot twist previsível que perde o timing e garante ao público apenas preguiça ao longo dos minutos finais do filme. 

Intrusion
Intrusion
Intrusion
Intrusion

Ano: 2021

Direção: Adam Salky

Elenco: Freida Pinto, Logan Marshall-Green

Nota do Crítico
Ruim

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.