Filmes

Crítica

Cowboy Bebop - O Filme | Crítica

<i>Cowboy Bebop - O filme </i>

Alexandre Nagado
27.11.2003
01h00
Atualizada em
21.09.2014
13h15
Atualizada em 21.09.2014 às 13h15

Cowboy Bebop - O filme
Cowboy Bebop - Knock´n on heaven´s door
Japão, 1999 - 116 min.
Animação/Ação

Direção: Shinichiro Watanabe
Roteiro: Keiko Nobumoto

No ano de 2071, graças à presença da mais alta tecnologia, as pessoas vivem na colônia terrestre de Marte como no mundo atual. Em uma sociedade complexa e problemática, a solução para os governos foi autorizar a ação de caçadores de recompensa, chamados de "cowboys", a fim de manter o crime sob controle.

Às vésperas do dia das bruxas, um ataque terrorista com um novo tipo de arma biológica inicia uma grande caçada contra seu mentor. O vilão em questão é Vincent, enigmático ex-soldado que serviu de cobaia para experimentos do governo no passado e que planeja uma aniquilação em escala global movido por sua loucura. Junto com ele está um jovem e amoral hacker em busca de emoções reais.

Logo, um excêntrico grupo de cowboys é atraído pela grande recompensa oferecida pela captura de Vincent. São eles: o implacável pistoleiro e lutador Spike Spiegel, seu sócio, o rabugento Jet Black, sua aliada, a estonteante Faye Valentine e a menina hacker (e bem maluquinha) Ed. Juntos, esses quatro aventureiros iniciam uma perigosa caçada a um criminoso de habilidades sobre-humanas.

A busca por Vincent leva Spike a conhecer a ex-agente especial Electra, antiga companheira do terrorista que sabe muito sobre seu conturbado passado. Juntos, eles se envolvem numa sequência alucinante de combates e investigações. Baseado numa série de TV exibida no Brasil pelo canal pago Locomotion, Cowboy Bebop é um sofisticado desenho animado voltado ao público juvenil e adulto.

A despeito de sua origem televisiva, não é necessário ter visto um único episódio do seriado para se entender a trama do longa. Mas quem já conhece os personagens centrais, certamente irá saborear melhor o filme, pois o relacionamento entre os protagonistas é divertido e ao mesmo tempo intrigante. A aventura poderia ser meia hora mais curta, pois seus diálogos existencialistas acabam se arrastando um pouco. Mas são esses diálogos e suas pretensões filosóficas que ajudaram a criar a aura cult que o desenho tem entre os fãs mais hardcore de animês, os desenhos animados japoneses.

Com boas cenas de ação e direção estilosa, talvez o item de maior destaque seja a excelente trilha sonora de Yoko Kanno, compositora de trilhas respeitada no Japão e que atingiu com Cowboy Bebop o ponto mais alto de sua carreira.

Apesar de não ter o mesmo apuro visual de Akira ou Ghost in the shell, Cowboy Bebop - O filme agrada por sua direção impecável, personagens carismáticos e trilha sonora de extremo bom gosto. Vale uma conferida até para quem não gosta de animações japonesas, mas não dispensa um bom filme de aventura.

CURIOSIDADES

  • Antes de assumir a direção geral da série de TV, o diretor Shinichiro Watanabe estreou na direção com Macross Plus, animação para vídeo já exibida no canal pago Multishow. Nesse animê, Watanabe também trabalhou com a roteirista Keiko Nobumoto e a compositora Yoko Kanno. Recentemente, ele foi um dos diretores de Animatrix.
  • A série de TV original estreou no Japão em 1998 e rendeu 26 episódios. Seu sucesso gerou versões em mangá e até romances.
  • O nome do criador, Hajime Yatate, é na verdade o pseudônimo do estúdio Sunrise, que criou e produziu a série de TV. O conceito original partiu do próprio diretor Shinichiro Watanabe.
  • Três velhinhos engraçados que aparecem esporadicamente ao longo da série (e também no longa) têm os nomes de Antonio, Carlos e Jobim. Pode soar engraçado aqui, mas a bossa nova tem um público fiel no Japão e o diretor é grande fã do maestro brasileiro.
  • O título original do filme, Cowboy Bebop - Knock´n on heaven´s door, é citação a uma música do Bob Dylan. Colocar títulos com nomes de músicas era prática comum na série de TV. Ignorando isso, o título americano ficou sendo apenas Cowboy Bebop - The movie.
  • O filme NÃO é uma co-produção, como está sendo divulgado, tendo sido inteiramente criado e produzido no Japão. A distribuidora Columbia Tri-Star seguiu uma tradição que existe há décadas nos EUA: rotular qualquer desenho japonês de co-produção apenas por estar sendo distribuído em solo ocidental por uma empresa americana. Nos créditos ocidentais, o responsável pela adaptação de texto também acaba sendo promovido a roteirista.
  • Bebop é o nome de um estilo de jazz surgido nos anos 40, em que a criatividade, sofisticação, técnica e improviso deram novos rumos ao gênero. Logo, o título Cowboy Bebop é uma alusão ao caçador de recompensas que leva sua vida no improviso.