Filmes

Crítica

Hunt for the Wilderpeople | Crítica

A incrível aventura de Rick Baker

Natália Bridi
26.01.2016
18h14
Atualizada em
29.06.2018
02h37
Atualizada em 29.06.2018 às 02h37

Ninguém queria saber de Rick Baker (Julian Dennison). Para a assistência social da Nova Zelândia ele era apenas um marginalzinho, condenado por furtos, roubos de carro e outras delinquências. Prestes a seguir para as mãos do poder judiciário, a sua única salvação é a mata neozelandesa, na casa da gentil Bella (Rima Te Wiata) e do bruto Hec (Sam Neill).

Em Hunt for the Wilderpeople (algo como Caçada aos Selvagens), Taika Waititi cria uma aventura cômica - baseada no livro Wild Pork and Watercress de Barry Crump - seguindo a transformação do urbanoine Rick em badass das selvas. Em busca de liberdade, ele e Hec serão homens procurados, explorando paisagens intocadas, ganhando novas habilidades e descobrindo o valor da amizade.

Poderia ser a sinopse de um filme da Disney, mas Waititi, conhecido por comandar episódios da série de TV Flight of the Conchords e pelo documentário falso What We Do in the Shadows (2014), sabe como deixar a sua marca. O humor é absurdo como em um desenho animado e as referências cobrem diversos aspectos culturais, de haikus a O Senhor dos Anéis. Sangue, palavrões e hip-hop também entram no texto, tirando de cena qualquer falso moralismo hollywoodiano.

O visual é encantador, com o diretor de fotografia Lachlan Milne explorando a grandiosidade das paisagens locais (com muitas tomadas aéreas, como Peter Jackson ensinou). Recursos engenhosos como uma montagem panorâmica, usada para mostrar a passagem do tempo, e a ação bem estruturada, com direito a perseguições de carro por pradarias, mostram a capacidade criativa do diretor (e o que deve aparecer na sua abordagem para Thor: Ragnarok). A trilha sonora faz o contraste com a aparência pop, colocando Nina Simone e Leonard Cohen para embalar momentos chave.

O coração do filme, porém, está no seu elenco. Julian Dennison torna memoráveis todas as falas de Rick Baker e Sam Neill, conhecido como o Dr. Alan Grant de Jurassic Park e irreconhecível como o “tio Hec”, atesta como foi subaproveitado por Hollywood. Completam a lista as participações de comediantes como Rhys Darby e do próprio Waititi em momentos tão bizarros quanto geniais.

Hunt for the Wilderpeople é uma jornada de evolução pessoal empolgante, com espírito de “sessão da tarde” oitentista (da leva de Goonies, Conta Comigo e Os Garotos Perdidos).  Uma história de amadurecimento feita com liberdade e senso de humor para provar que sensibilidade e pieguice não são sinônimos.

Leia mais sobre Festival de Sundance

*Hunt For The Wilderpeople fez parte da seleção Premieres do Festival de Sundance 2016. Paralelamente, o canal pago Sundance Channel terá na sua programação até 31 de janeiro o 10 Days of Sundance, com títulos que marcaram edições anteriores do festival, com exibições sempre às 23h.

 

Hunt for the Wilderpeople
Hunt for the Wilderpeople
Hunt for the Wilderpeople
Hunt for the Wilderpeople

Ano: 2015

País: Nova Zelândia

Duração: 96 min

Direção: Taika Waititi

Roteiro: Taika Waititi

Elenco: Taika Waititi, Rhys Darby, Sam Neill, Rima Te Wiata, Julian Dennison

Nota do Crítico
Excelente!

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.