Filmes

Crítica

Crítica: Tá Chovendo Hambúrguer

Animação faz rir e impressiona pela estranheza e exageros

Érico Borgo
01.10.2009
17h00
Atualizada em
02.11.2016
19h01
Atualizada em 02.11.2016 às 19h01

Surtado, criativo e frenético. Tá Chovendo Hambúrguer (Cloudy With a Chance of Meatballs, 2009) é desses desenhos animados de grande orçamento que parecem divertidos e esquisitos demais para terem conseguido espaço nos grandes estúdios, sempre às voltas com fórmulas e receitas de retorno seguro de investimento.

A estranheza começa no design. O filme em 3-D, escrito e dirigido pelos estreantes Phil Lord e Chris Miller, não faz a linha fofa da Disney, nem busca o estilo de uma Pixar ou os cenários arrojados da Dreamworks Animation. Os traços econômicos, tanto de personagens como de objetos e cenários, parecem mais algo saído de um episódio de Os Muppets. É no volume que a produção se destaca.

Tá Chovendo Hambúrguer

None

Tá Chovendo Hambúrguer

None

Lord e Miller entopem a tela o tempo todo, com multidões e toneladas de comida em cena. As piadas também se acumulam. Recorrentes, fazem rir pela repetição. Note como o macaco Steve fica mais engraçado a cada aparição, ou como os ratos-pássaros conquistam o público alguns poucos quadros por vez. Tudo muito bem amarrado, com relevância à história sem que isso pareça forçado ou previsível. É um texto espertíssimo esse de Tá Chovendo Hamburguer.

Na trama, baseada no livro de Judi e Ron Barrett, um jovem, nerd e fracassado cientista vive com o pai em uma cidade pesqueira situada em uma ilha. Cansado de viver das sardinhas que movimentam a economia local, Flint Lockwood (voz de Bill Hader no original) cria um sintetizador de comida. Basta adicionar água e... pronto! Ele gera a comida que o usuário desejar. Um acidente, porém, coloca a máquina na estratosfera - e Flint, atendendo os desejos da população e do prefeito, começa a fazer chover comida várias vezes ao dia. Mas conforme cresce a montanha de comida desperdiçada, aumenta também a ganância - e a barriga - das pessoas...

Nem tudo é perfeito, claro. As lições de moral e de hábitos alimentares (você esperava outra coisa de um desenho pra crianças em que chove junk food?) são um tanto chatinhas e, perdoe a analogia, acabam constipando um pouco a aventura. Felizmente, os excessos dos cineastas - a mansão de gelatina, as sobrancelhas do pai, o tufão de espaguete, o superexagerado clímax... - agem como um Luftal criativo, fazendo soprar algum benvindo absurdo na comportada produção infantil.

Saiba onde o filme está passando

Tá Chovendo Hamburguer
Cloudy with a Chance of Meatballs
Tá Chovendo Hamburguer
Cloudy with a Chance of Meatballs

Ano: 2009

Classificação: 1 anos

Duração: 90 min

Direção: Cody Cameron, Kris Pearn

Elenco: Neil Patrick Harris, Anna Faris, Terry Crews, James Caan, Andy Samberg, Kristen Schaal, Bill Hader, Benjamin Bratt, Will Forte, Melissa Sturm, Khamani Griffin, Cody Cameron

Nota do Crítico
Bom

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.