Filmes

Crítica

Crítica: Pânico na Neve

Suspense cria enorme tensão, mas não vai além disso

Marcelo Forlani
27.05.2010
18h00
Atualizada em
21.09.2014
14h02
Atualizada em 21.09.2014 às 14h02

Sem enrolação: só vá ao cinema ou à locadora e veja Pânico na Neve (Frozen, 2010) se você não se importar de ficar tenso, grudado na cadeira, apreensivo, roendo as unhas, enfim, passando mal com a total impossibilidade de fazer alguma coisa para ajudar três amigos que estão frente a frente com uma morte iminente. Com esta premissa, o filme dirigido e escrito por Adam Green conseguiu chamar atenção no Festival de Sundance, onde foi exibido pela primeira vez, e depois no circuito independente em que entrou em cartaz.

Como foi feito de forma também independente, com orçamento limitado e atores pouco conhecidos (o mais conhecido é Shawn Ashmore, o Homem de Gelo dos X-Men), o filme só conseguiu essa exposição porque cumpre o que promete: um clima de solidão e desespero extremo.

Pânico na Neve

None

Pânico na Neve

None

A situação que leva os três jovens a este momento é a seguinte: Parker (Emma Bell), Joe Lynch (Shawn Ashmore) e Dan (Kevin Zegers) estão passando o fim de semana em uma estação de esqui. Depois de muitos tombos, eles resolvem partir para a última descida, mas o local está fechando. Depois de um chorinho da garota, eles conseguem um lugar no teleférico e partem ao topo da montanha. Porém, numa sucessão de erros, o operador da máquina sai dali e a pessoa que fica no comando decide encerrar o dia sem saber que os três estão ainda longe do seu destino final. E assim, pendurados a cerca de 20 metros de altura do chão, e com uma tempestade de neve a caminho, os três começam a se desesperar - até porque eles sabem que é domingo e o parque só vai reabrir na sexta. E situações extremas levam a medidas extremas.

Algumas pessoas vão se entreter neste voyeurismo sádico. Outros, vão ficar ali torcendo para que tudo acabe bem. E este é o grande mérito do filme, chegar ao público que quer experimentar isso. Tecnicamente, Pânico na Neve pouco traz de novo. A edição ajuda a criar o clima de desolação e desespero e os atores apenas cumprem seus papéis, mas a bem da verdade, nem essa história de solidão na natureza é novidade. Há apenas alguns anos, Mar Aberto já havia feito o mesmo no oceano. E melhor, pois consegue manter a tensão do casal largado entre tubarões por mais tempo.

Se vale a dica, tente não ficar nervoso caso a pessoa do seu lado começar a balançar as pernas sem parar. Pode ser o frio psicológico de tanto ver neve. Mas o mais provável é que seja o nervosismo de ver aquela situação toda se desenrolando na telona.

Frozen - Uma Aventura Congelante
Frozen
Frozen - Uma Aventura Congelante
Frozen

Ano: 2013

País: EUA

Classificação: LIVRE

Duração: 85 min min

Direção: Chris Buck, Jennifer Lee

Roteiro: Hans Christian Andersen

Elenco: Kristen Bell, Idina Menzel, Jonathan Groff, Josh Gad, Santino Fontana, Alan Tudyk, Ciarán Hinds, Chris Williams, Stephen J. Anderson, Maia Wilson, Edie McClurg, Robert Pine, Maurice LaMarche, Livvy Stubenrauch, Eva Bella, Spencer Ganus, Jesse Corti, Jeffrey Marcus, Tucker Gilmore, Ava Acres, Stephen Apostolina, Annaleigh Ashford, Krik Baily, Jenica Bergere, Dave Boat, Paul Briggs, Tyree Brown, Woody Buck, June Christopher, Lewis Cleale, Wendy Cutler, Terri Douglas, Eddie Frierson, Jean Gilpin, Jackie Gonneau, Nicholas Guest, Bridget Hoffman, Nick Jameson, Daniel Kaz, John Lavelle, Jennifer Lee, Patricia Lentz, Annie Lopez, Katie Lowes, Mona Marshall, Dara McGarry, Scott Menville, Adam Overett, Paul Pape, Courtney Peldon, Jennifer Perry, Raymond S. Persi, Jean-Michel Richaud, Lynwood Robinson, Carter Sand, Jadon Sand, Katie Silverman, Pepper Sweeney, Fred Tatasciore

Nota do Crítico
Bom