Filmes

Crítica

Crítica: Os Vigaristas

Rian Johnson emula Wes Anderson em filme de assalto misturado com dramédia

Érico Borgo
25.09.2009, às 11H00
ATUALIZADA EM 07.11.2016, ÀS 10H05
ATUALIZADA EM 07.11.2016, ÀS 10H05

É impossível não comparar o trabalho do diretor Rian Johnson (A Ponta de um Crime) em Os Vigaristas (The Brothers Bloom) com os filmes de Wes Anderson (Viagem a Darjeeling). Como Anderson, Johnson artificializa situações, cria personagens caricatos e estranho e situações que fazem rir, apesar da dramaticidade.

Mas há mérito nessa inspiração. Os Vigaristas é um Anderson competente, afinal. O roteiro é afiado, inteligente e dotado de sequências cômicas ora sofisticadas ora beirando o pastelão, tudo com uma fotografia vibrante e trilha sonora jazzística. As reviravoltas também enfileram-se. Nada mais justo em se tratando de um filme de golpistas...

os vigaristas

None

Os irmãos Bloom do título original nasceram do mesmo berço de personagens como Tom Sawyer e Huck Finn, pequenos malandros aventureiros, para tornarem-se trapaceiros profissionais na vida adulta. Stephen (Mark Ruffalo, de Ensaio sobre a Cegueira) e Bloom (Adrien Brody, do citado Viagem a Darjeeling) buscam ricos otários ao redor do globo. Para o primeiro, as trapaças merecem tramas "escritas como os russos escreviam romances - com arcos temáticos e infusão de simbolismo". Já o mais jovem sonha em viver uma vida realmente sua, não roteirizada pelo irmão.

O famoso tema do "último trabalho" é mais uma vez usado neste filme e o alvo é a bela, solitária e milionária Penelope (Rachel Weisz, de O jardineiro fiel). Com Bloom como isca, a entediada mulher é atraída à vida empolgante da dupla e sua perigosa parceira calada Bang Bang (Rinko Kikuchi, de Babel).

O elenco está impecável e, apesar do tema, as "poker faces" de Anderson são colocadas de lado conforme a trama, que também presta suas homenagens aos grandes filmes de golpe da década de 1970, se desenrola.

Os Vigaristas é uma comédia existencialista, sobre como cada um inventa histórias sobre si mesmo.

Leia mais críticas do Festival do Rio 2009

Vigaristas
The Brothers Bloom
Vigaristas
The Brothers Bloom

Ano: 2008

País: EUA

Classificação: 16 anos

Duração: 109 min

Direção: Rian Johnson

Roteiro: Rian Johnson

Elenco: Rachel Weisz, Adrien Brody, Mark Ruffalo, Rinko Kikuchi, Robbie Coltrane, Maximilian Schell, Ricky Jay, Zachary Gordon, Max Records, Andy Nyman, Noah Segan, Nora Zehetner, Ana Sofrenović, Vladimir Kulhavy

Nota do Crítico
Ótimo

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.