Filmes

Crítica

Crítica: 17 Outra Vez

Sem criatividade, sem talento e previsível - esta é a estreia solo de Zac Efron

Érico Borgo
09.07.2009, às 15H00
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 13H49
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 13H49

Não há um frame sequer de criatividade em 17 Outra Vez (17 Again), filme desenhado como um teste de popularidade para a carreira solo (fora de High School Musical) do ídolo adolescente Zac Efron. Bom, talvez para o público-alvo do astro até exista alguma novidade. Afinal, as meninas de 12 anos, que tinham apenas 7 quando Sexta-Feira Muito Louca e De Repente 30 saíram nos cinemas, nunca viram Quero Ser Grande, Tal Pai, Tal Filho, De Volta aos 18 e tantos outros filmes de troca de corpos.

Comédias desse cansado gênero tratam de segundas chances, da possibilidade de reviver situações para acertá-las ou vê-las com outros olhos. São normalmente inofensivas, mas sob a pele bem-humorada de 17 Outra Vez esconde-se a musculatura moralista que dominou a cultura pop tween (o neologismo da moda para indicar os pré-adolescentes) em Hollywood nos últimos anos com seus ícones castos.

17 Outra Vez

None

17 Outra Vez

None

Note: Mike O'Donnell (Efron) tinha tudo o que um adolescente poderia desejar: a garota mais bonita do colégio, uma posição de destaque no time de basquete, uma carreira promissora no esporte, a admiração de seus colegas e um rebolado sem igual (numa das mais desnecessárias cenas do cinema recente). Mas tinha que colocar tudo a perder ao transar com a menininha. Com a moça grávida, o bom rapaz Mike abandona tudo. Anos depois, ele é um adulto amargurado (Matthew Perry, o Chandler de Friends), preso em um emprego tedioso, sem conseguir entender-se com a esposa ou relacionar-se direito com os filhos. Mas subitamente, certa manhã, Mike acorda com seu antigo corpo de 17 anos (Efron) - e ganha a chance de reescrever sua vida.

Virgin Again seria um título mais honesto para 17 Again...

Mesmo que a lição moralista seja ignorada, nada se salva em 17 Outra Vez como cinema. O roteiro é um mosaico de situações já conhecidas e recheado de personagens estereotipados. Um bom diretor talvez até pudesse extrair algo dali, só que a mão de Burr Steers é pesada demais. Sem falar que ele já tinha mostrado em A Estranha Família de Igby que não tem originalidade mesmo ao copiar Wes Anderson.

Bons atores seriam outra chance de acerto para a produção, mas Perry e Efron não são exatamente conhecidos por suas habilidades performáticas. Zack Efron, por exemplo, não faz qualquer esforço para atuar diferente quando torna-se um adulto preso no corpo adolescente. E esse é o esforço mínimo que se espera de um filme de troca de corpos: que eles pareçam... trocados.

Assista aos clipes do filme

Saiba onde o filme está passando

17 Outra Vez
17 Again
17 Outra Vez
17 Again

Ano: 2008

País: EUA

Classificação: 10 anos

Duração: 102 min

Direção: Burr Steers

Elenco: Zac Efron, Leslie Mann, Matthew Perry, Tyler Steelman, Allison Miller, Michelle Trachtenberg, Sterling Knight, Thomas Lennon, Katerina Graham, Tiya Sircar, Melissa Ordway, Josie Loren, Jim Gaffigan, Collette Wolfe

Nota do Crítico
Regular

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.