Filmes

Crítica

Carros 2 | Crítica

Bom filme de espionagem infantil, mas sem o aditivo Pixar no combustível

Marcelo Forlani
16.10.2014
17h52
Atualizada em
21.09.2014
14h23
Atualizada em 21.09.2014 às 14h23

Numa daquelas brincadeiras de photoshop que surgem online e logo se espalham, o pôster sincero de Carros 2 (Cars 2) tem no título "Brinquedos Irritantes" e a frase "A melhor chance da DreamWorks de vencer um Oscar em anos". Discordo da primeira parte, porque em geral os produtos licenciados da Disney são de boa qualidade. Mas com o belo Kung Fu Panda 2, esta é, sim, a grande oportunidade da DreamWorks de faturar uma estatueta da academia desde que ganhou com Shrek, em 2002, batendo Monstros S.A..

Carros 2

None

Carros 2

None

Carros 2

None

O primeiro Carros, de 2006, é considerado por muitas pessoas (eu incluso) o mais fraco dos longa-metragens da Pixar e fomentou muitas reclamações quando sua continuação foi anunciada. O que pouca gente vê é que a franquia, diferente dos filmes mais recentes do estúdio é a que menos foca no público adulto. Era comum ver adultos aos prantos enquanto assistiam a Up - Altas Aventuras e Toy Story 3, mas eu vi a empolgação de meu filho de dois anos e meio levantando os braços e pulando no meu colo quando viu no cinema o trailer de Carros 2. "Ka-tchow", gritava ele. Ka-tchim, fazia os cofres da Pixar.

E para aumentar as possiblidades de lucros são inseridos aqui muitos novos personagens e, consequentemente, brinquedos. A aventura começa com Finn McMíssil, um carro-agente-secreto que viaja até o meio do oceano e descobre plataformas de petróleo no lugar onde um antigo colega de equipe foi visto pela última vez. Essa primeira sequência de ação já mostra o tom de espionagem que vai permear todo o desenho e tem provavelmente as únicas tomadas que realmente ressaltam o 3D. Lá somos apresentados também ao Professor Z, um típico vilão alemão dos filmes da época da Guerra Fria.

Longe dali, em Radiator Springs, Relâmpago McQueen retorna à cidade depois de vencer seu quarto título da Copa Pistão. Só alegria para Mate, seu melhor amigo, que já tem uma agenda completa do que os dois podem fazer durante as férias. Mas quando um carro italiano, Francesco Bernoulli, começa a dizer em rede mundial que é mais rápido que McQueen, todos decidem deixar o descanso de lado e enfrentar o World Grand Prix. O circuito de corridas ao redor do mundo vai colocar os melhores veículos para correr em diversos terrenos, provando quem é mesmo o mais rápido do mundo. O campeonato foi idealizado por Sir Miles Eixodarroda, um milionário do petróleo que descobre uma nova fonte de biocombustível, que abastece os tanques de todos os competidores.

Ao contrário do primeiro filme, Carros 2 é mais focado em Mate do que em McQueen, que chega a ser deslocado para o segundo lugar nos créditos finais, em detrimento do seu melhor amigo. Inocente como sempre, o guincho enferrujado é quem vai acabar se tornando um agente secreto e parte fundamental na trama, além de ajudar o amigo a entender uma nova lição de vida: não tente mudar os outros, aceito-os como eles são.

Toda essa moral da história, que é muito melhor diluída e discreta nos filmes recentes da Pixar, é reflexo também da infantilização da trama. Aos mais velhos, vão sobrar os easter-eggs e todos os trocadilhos possíveis com carros e acessórios, desde os nomes dos novos personagens até a uma propaganda do patrocinador de pneus Lassetire - piadinha com o nome do chefão da Pixar, John Lasseter. Não deixa de ser um bom filme, mas sem o aditivo Pixar no combustível.

Carros 2
Cars 2
Carros 2
Cars 2

Ano: 2011

País: Estados Unidos

Classificação: LIVRE

Duração: 106 minutos min

Direção: John Lasseter, Brad Lewis

Elenco: Owen Wilson, Michael Caine, Emily Mortimer, Michael Keaton, Jason Isaacs, Bonnie Hunt, John Ratzenberger, Tony Shalhoub, Larry the Cable Guy, Eddie Izzard, John Turturro, Brent Musburger, Joe Mantegna, Thomas Kretschmann, Darrell Waltrip, Franco Nero, David Hobbs, Patrick Walker, Jeff Garlin, Michel Michelis, Vanessa Redgrave, Cheech Marin, Peter Jacobson, Lloyd Sherr, Bruce Campbell, Teresa Gallagher, Jenifer Lewis, Stanley Townsend, Velibor Topić, Sig Hansen, Guido Quaroni, John Mainieri, Brad Lewis, Jeff Gordon, Paul Dooley, Edie McClurg, Richard Kind, Katherine Helmond, Michael Wallis, Lewis Hamilton, Catherine Bolt, Gillian Bolt, Jess Fulton, Sonoko Konishi, John Lasseter, Daisuke 'Dice' Tsutsumi, Fernando Alonso, Jan Nilsson, Vitaly Petrov, Memo Rojas, Sebastian Vettel, Jacques Villeneuve, Mark Winterbottom, Jess Harnell, Junichi Kajioka, Barbara Kottmeier, Colleen O'Shaughnessey, Daniel Okeefe

Nota do Crítico
Bom