Filmes

Notícia

Continuísta de Os Infiltrados demonstra erros básicos do cinema em vídeo

Aprenda a importância da função que você sequer deve ter ouvido falar

Arthur Eloi
04.12.2018
21h20

Produzir filmes e séries é um verdadeiro caos: exige coordenação entre equipes imensas de produtores, elenco, técnicos - tudo isso sem perder controle do tempo, já que segue um cronograma, e do dinheiro, já que trabalha em cima de um orçamento. Dessa forma, é comum que as produções sejam gravadas fora de ordem, para melhor se adaptar a todos os imprevistos. Mas será que esse material fará algum sentido quando colocado em sequência?

Quem assegura isso é o continuista. A função exige uma interpretação lógica do roteiro para garantir que as cenas sigam as mesmas regras da realidade - afinal de contas, qualquer erro pode quebrar a imersão do espectador. Para exemplificar a importância do continuista, a Vanity Fair preparou um vídeo que mostra diversas situações que poderiam arruinar a lógica do filme. Veja acima.

Quem narra o vídeo é Martha Pinson, que supervisionou produções de peso como O Aviador (2004) e Os Infiltrados (2006), de Martin Scorsese. Ela direciona a atenção a alguns casos, como inconsistência nos objetos de cena, marcação visual para os atores e a veracidade dos diálogos.

Outro problema que foge um pouco do óbvio é a quebra dos eixos. Pinson explica que uma das regras cinematográficas para planos com mais de um ator é trabalhar utilizando uma linha de 180º ao redor do objeto em cena, para tornar as cenas mais fáceis de entender para o espectador: dessa forma, é possível que você tenha uma boa noção de espaço, o que é reforçado pelos movimentos de câmera. Assim, é preciso ter também uma consistência na direção das ações.

A ideia toda do vídeo é relembrar que nem sempre as funções mais importantes são reconhecidas pelo público - muitas delas só dão realmente certo quando você sequer nota o resultado. É uma pequena aula de audiovisual que reafirma: não é nada fácil criar cinema ou televisão.