Caminhos da Memória: Lisa Joy achou Thandiwe Newton “bonita demais” para papel

Créditos da imagem: Thandiwe Newton em cena de Caminhos da Memória (Reprodução)

Filmes

Notícia

Caminhos da Memória: Lisa Joy achou Thandiwe Newton “bonita demais” para papel

Diretora contou como foi convencida a escalar atriz de Westworld em novo projeto

Caio Coletti
21.08.2021
09h30

Mesmo depois de cinco anos trabalhando com Thandiwe Newton em Westworld, a diretora e roteirista Lisa Joy não tinha certeza de que ela seria a escolha certa para o papel de Watts no seu Caminhos da Memória. O motivo? Thandiwe era “bonita demais” para interpretar a personagem, segundo Lisa.

Eu amo Thandiwe, ela é brilhante, forte e linda. Estou acostumada a vê-la como Maeve em Westworld, uma androide que foi desenhada para ser linda, então o maior erro que eu cometi no começo de Caminhos da Memória foi achar que Thandiwe era bonita demais para o papel”, comentou a cineasta em entrevista ao Omelete.

Lisa disse que se identifica muito com Watts, que no filme é a parceira de trabalho do protagonista Nick (Hugh Jackman) - os dois operam a máquina da reminiscência, que permite que os clientes mergulhem em memórias e as revivam como se fosse a primeira vez. A diretora sabia que sua parceira de Westworld tinha “o talento, a humanidade e a elegância” que ela queria na personagem. 

Ela é tão pequena e esbelta, mas ao mesmo tempo é uma das minhas heroínas de ação favoritas! Eu a colocaria para brigar com o The Rock tranquilamente, porque amo o jeito como ela se move, é tão fluído”, contou. “Mas o meu maior medo era que ela fosse muito bonita. Como alguém poderia trabalhar ao lado de Thandiwe por tantos anos [como Nick] e não se apaixonar loucamente por ela? Seria impossível!”.

Thandiwe Newton e Hugh Jackman em cena de Caminhos da Memória (Ben Rothstein/Divulgação)

A própria atriz foi quem convenceu Lisa do contrário: “Eu disse a ela, meio desesperada: ‘O que vou fazer? Quero que você seja a Watts, mas como alguém poderia ter só um relacionamento platônico com você?’. Ela olhou para mim e disse: ‘Eu sou uma atriz. Homens e mulheres podem ser só amigos. Vamos atuar. Hugh vai fingir que consegue resistir a mim’”.

No fim das contas, a diretora ficou muito satisfeita com o resultado, dizendo que os seus protagonistas conseguiram transmitiruma relação de duas pessoas que têm uma longa história juntos, que conhecem um ao outro, e às falhas um do outro, muito bem. “É como aquele melhor amigo que faz você pensar: ‘A gente poderia ter algo a mais, mas é melhor não, porque nos conhecemos bem o bastante para saber exatamente onde essa relação daria errado’”, definiu.

Caminhos da Memória está em cartaz nos cinemas brasileiros. Caso siga a regra geral para os filmes da Warner Bros., o longa deve chegar ao streaming HBO Max dentro de 35 dias - ou seja, por volta de 23 de setembro.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.