Filmes

Lista

Blade Runner 2049 | Tudo o que você precisa saber para entender o filme

Não é preciso ver o longa de 1982, mas é bom ter algumas explicações em mãos

Natália Bridi
05.10.2017, às 12H53
ATUALIZADA EM 06.10.2017, ÀS 15H25
ATUALIZADA EM 06.10.2017, ÀS 15H25

Blade Runner 2049 chega aos cinemas pelas mãos de Denis Villeneuve e embora não exija que o espectador tenha visto o filme de 1982 ou tenha lido Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?, o livro de Philip K. Dick que deu origem a tudo, a experiência do filme se torna mais rica se você tiver algumas informações em mãos. A seguir, listamos tudo o que você precisa saber para entender melhor o longa*.

*contém spoilers de Blade Runner - O Caçador de Androides

Vale a pena ler Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?

Sim. Ainda que seja muito diferente do livro que lhe deu origem, Blade Runner e Blade Runner 2049 são fiéis aos conceitos criados por Philip K. Dick em 1968 e o contato com todas as obras certamente leva a algo maior. Se no livro existe o questionamento do que nos torna humanos, exemplificado pela relações entre homens e animais em um futuro pós guerra nuclear, o filmes mostram melhor a ambição de humanidade dos androides.

Tyrell Corporation Vs Wallace Corporation

Na sequência, a Tyrell Corporation, originalmente responsável pela criação dos androides, foi comprada por Niander Wallace (Jared Leto), que fez novos e melhorados seres sintéticos para assumir trabalhos humanos degradantes nas colônias espaciais ou no que restou da Terra. Wallace efetuou a compra depois de ganhar dinheiro e poder com “fazendas de proteína”, resolvendo o problema da fome no planeta. Os replicantes com prazo de vida aberto - NEXUS 8 - fabricados pela Tyrell continuam ilegais e são caçados por novos Blade Runners.

Se quiser ver o primeiro filme, qual versão devo ver?

Ainda que seja uma sequência, o roteiro de Blade Runner 2049 é construído de forma a não exigir que o espectador tenha visto o primeiro longa. Ainda assim, algumas passagens têm seu significado ampliado pelo contato com o filme de 1982. O grande problema é que, ao todo, Blade Runner soma sete versões, do primeiro corte de quase quatro horas à Edição Final lançada em 2007.

Vale a pena ler Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?

Além disso, elementos do livro que ficaram de fora do primeiro filme como a paisagem seca e a presença de uma entidade criadora de empatia aparecem de uma nova forma no segundo filme, ampliando o universo das telas. Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? é publicado pela editora Aleph no Brasil e acaba de ganhar uma nova edição. 

Se quiser ver o primeiro filme, qual versão devo ver?

Considerado confuso e pessimista pelos produtores, o filme que chegou aos cinemas em 25 de junho de 1982 ganhou uma narração em off de Rick Deckard (Harrison Ford) e um final feliz que descartava toda a sua construção estética. Logo, quem quiser assistir ao primeiro filme deve ver a Edição Final, que perde a narração e segue com o final pensado originalmente, com a possibilidade de Rick Deckard (Harrison Ford) ser também um replicante. Mais violenta e cética, essa última versão também é mais fiel ao espírito existencialista do livro, que segue presente na continuação.

O teste Voight-Kampff

É o teste aplicado para verificar se um suspeito é humano ou replicante. São 30 perguntas que buscam uma resposta emocional do acusado, observando o aumento involuntário da pupila e sua dilatação. Combinando as respostas obtidas com o teste das pupilas, o interrogador obtém a resposta desejada. Deckard aplica o teste em Rachel, mas como ela possui memórias e acredita ser humana, o teste não é suficiente para revelar a sua natureza.

Quem é Rachel?

Rachel é uma replicante experimental fabricada pela Tyrell Corporation. Criada para ter um desenvolvimento emocional mais estável que o de outros modelos, ela recebeu implantes de memória e acredita ser humana. Durante a investigação de Deckard sobre os NEXUS 6, os dois acabam se envolvendo e se apaixonando. Ao contrário de outros androides com prazo de vida de 4 anos, Rachel tinha o prazo de vida em aberto.

O que é um Replicante?

Considerados o próximo passo da evolução robótica, Replicantes são criaturas sintéticas praticamente iguais ao seres humanos. Foram criados pela Tyrell Corporation com o objetivo de servir como mão de obra escrava na exploração e colonização de outros planetas. O termo replicante teria surgido por sugestão da filha de David W. Peoples. Ridley Scott queria um sinônimo de androide sem precedentes e a filha do roteirista sugeriu replicating (replicação), que consiste no processo de duplicação das células para clonagem.

Quem é Rick Deckard?

Rick Deckard é um Blade Runner, responsável por identificar e “aposentar” replicantes. Ele recebe a missão de eliminar um grupo de quatro NEXUS 6 que entraram na Terra ilegalmente e querem que a Tyrell Corporation amplie o seu prazo de vida. A Edição Final do primeiro filme termina com possibilidade de que Deckard também seja um replicante.

O que é um Blade Runner?

Blade Runner é o nome dado as integrantes da unidade especial responsável por “aposentar” os replicantes depois da revolta dos NEXUS 6. A alcunha foi encontrada pelo roteirista Hampton Fancher em um roteiro do beat William S. Burroughs para o livro de Alan E. Nourse - em  um futuro distópico, remédios e equipamentos eram fornecidos por contrabandistas, os bladerunners (algo como traficantes de lâminas).

O que aconteceu com a Terra?

O primeiro filme se passa em 2019 em um período em que os recursos da Terra se esgotaram. Alimentos são escassos e os animais foram extintos, motivando a criação de colônias em outros planetas. Essa migração da maior parte da população justifica o aspecto desolador das cidades vistas nos longas, com prédios abandonados e centros urbanos lotados e marginalizados. O segundo filme se passa em 2049 e continua basicamente dentro do mesmo contexto. 

Por que os replicantes são caçados?

A chamada fase NEXUS dos produtos da Tyrell Corporation estabeleceu os replicantes com a mão de obra ideal para a colonização de outros planetas. Porém, com o avanço da tecnologia, a corporação perdeu o controle sobre as suas criações. Na sua sexta geração - conhecida como NEXUS 6 - os replicantes eram mais fortes e ágeis que os humanos e tinham inteligência igual ou superior aos engenheiros que os criaram. Isso levou uma sangrenta revolta nas colônias fora da Terra e os replicantes se tornaram ilegais.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.