Filmes

Notícia

"Barbie Girl" não fará parte da trilha do filme estrelado por Margot Robbie

Sucesso do grupo Aqua lançado em 1997 não aparecerá em "Barbie"

Omelete
3 min de leitura
Bia Vaccari
29.04.2022, às 14H33
ATUALIZADA EM 29.04.2022, ÀS 14H55
ATUALIZADA EM 29.04.2022, ÀS 14H55

Uma das músicas mais marcantes do início dos anos 2000 é, sem dúvidas, Barbie Girl, do grupo pop Aqua. A faixa, cujo clipe conta hoje com mais de 1 bilhão de visualizações no YouTube, não fará parte da trilha sonora de Barbie, dirigido por Greta Gerwig.

De acordo com a Variety, um representante da banda dinamarquesa declarou claramente que "a música não será utilizada no filme." A Warner Bros., no entanto, não pronunciou-se sobre.

Após o sucesso de Barbie Girl, em 1997, que rendeu mais de 1,4 milhão de cópias vendidas nos Estados Unidos, a Mattel chegou a entrar com uma ação contra a MCA Records (agora, Universal Music), responsável por distribuir a faixa no país. O argumento da companhia de brinquedos era a violação de marca registrada.

A maior preocupação da Mattel, segundo a revista estrangeira, era de que a música pudesse prejudicar a imagem da boneca. A empresa ficou descontente com o que eles consideravam ser "sugestivo" na letra, relatando no arquivo que a música sugeria "uma boneca Barbie promíscua cantando em um tom de paquera" e um "boneco Ken licencioso respondendo 'beije-me aqui, toque-me ali'."

As reclamações também extenderam-se ao clipe: "O vídeo mostra o boneco Ken desmembrando a boneca Barbie puxando seu braço." Assista acima.

Em resposta, a MCA Records disse que a música era uma paródia protegida pela Primeira Emenda e entrou com seu próprio processo por difamação sobre declarações que um porta-voz da Mattel fez durante o processo. "Mesmo que achemos a letra aceitável, estaríamos entrando com este processo porque a música foi publicada e distribuída sem nossa permissão e certamente sem nossa notificação", declarou o representante da companhia de brinquedos, na época.

"Eles estão se referindo a essa música como otimista e divertida, e realmente acreditamos que a exploração ilegal da propriedade de outra empresa para ganho comercial próprio não é otimista nem divertida. É roubo", complementou.

O desfecho, no entanto, foi o seguinte: o Tribunal Distrital dos Estados Unidos na Califórnia rejeitou as reivindicações de ambas as partes, declarando que "as declarações da Mattel eram uma hipérbole não acionável" e que a música é uma paródia, "zombando dela e dos valores plásticos que ela representa".

Uma vez que a Mattel também é uma das produtoras de Barbie, estrelado por Margot Robbie, as chances da faixa fazer parte da trilha sonora do filme são mínimas. Embora a representante da banda não tenha mencionado a briga judicial que sucedeu o lançamento do hit, é esperado que não há planos para que isso aconteça.

Omelete agora tem um canal no Telegram! Participe para receber e debater as principais notícias da cultura pop (t.me/omelete).

Acompanhe a gente também no Youtube: no Omeleteve, com os principais assuntos da cultura pop; Hyperdrive, para as notícias mais quentes do universo geek; e Bentô Omelete, nosso canal de animes, mangás e cultura otaku.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.