Under the Silver Lake, com Andrew Garfield, tem a pior recepção de público do Festival de Cannes

Créditos da imagem: Festival de Cannes/Divulgação

Filmes

Artigo

Under the Silver Lake, com Andrew Garfield, tem a pior recepção de público do Festival de Cannes

Jornalistas debandaram em massa do filme noir dirigido por David Robert Mitchell

Rodrigo Fonseca
16.05.2018
08h26
Atualizada em
29.06.2018
02h37
Atualizada em 29.06.2018 às 02h37

Apesar de sua direção de arte exuberante, Under the Silver Lake, novo filme do promissor David Robert Mitchell (Corrente do Mal), não apresenta nenhuma qualidade de dramaturgia, direção ou atuação que justifique a sua inclusão na disputa pela Palma de Ouro do Festival de Cannes deste ano. Por isso, ao longo de 139 enfadonhos e confusos minutos, sua sessão para a imprensa, na manhã desta quarta-feira (16), foi marcada por uma debandada geral de críticos.

A cada cinco minutos saiam uns dez, incomodados com a absoluta falta de sentido do roteiro e com o desempenho pautado pela apatia de Andrew Garfield, o ex-Homem-Aranha. O fato de Garfield não ter comparecido ao festival já era um indício de que havia algo de errado com esta insossa produção americana.

Definida aqui como sendo uma mistura de David Lynch com Terry Gilliam, a trama traz Garfield no papel de Sam, um desocupado de Los Angeles, leitor voraz de gibis (inclusive os do Aranha), que embarca numa investigação ligada ao sumiço de uma figura importante na cidade. Por quê? O filme não explica.

Ainda nesta quarta, Cannes recebe o último dos longas brasileiros: Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos, uma dobradinha entre produtores de Minas Gerais e de Lisboa, com direção de Renée Nader Messora e João Salaviza. É uma narrativa sobre um povo indígena (ou sobre mistérios das tradições da mata). Depois dele, o cinema nacional ainda vem com o curta O Órfão, de Carolina Markowicz, cuja projeção acontece no dia 17, na Quinzena dos Realizadores.

Cannes termina no dia 19, com a entrega da Palma de Ouro e a projeção do longa The Man Who Killed Don Quixote, de Terry Gilliam. Spike Lee é o favorito ao prêmio principal, com o thriller policial BlackKklansman, seguido por En Guerre, de Stéphane Brizé.