Filmes

Notícia

Festival de Cannes | Quinzena dos Realizadores tem curta brasileiro na seleção

Abigail, de Isabel Penoni e Valentina Homem, estará na mostra paralela

Rodrigo Fonseca
19.04.2016, às 09H31
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H37
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H37

Com direito a um thriller inédito da grife Paul Schrader (o roteirista de Taxi Driver) com Nicolas Cage Willem Dafoe de ex-presidiários, a Quinzena dos Realizadores, mostra paralela à briga pela Palma de Ouro no Festival de Cannes (que este ano vai de 11 a 22 de maio), anunciou nesta terça-feira sua seleção, com direito a um curta-metragem brasileiro. A produção Abigail é dirigida por Isabel Penoni e Valentina Homem, e, com base em tintas documentais, aborda a rotina de Abigail Lopes, uma mãe de santo radicada no bairro carioca de Campo Grande que, quando mais jovem, lutou ao lado do marido, um sertanista, pelo bem-estar dos índios. É o quarto título nacional com exibição já assegurada na Croisette este ano, ao lado do longa Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, e do curta A Moça Que Dançou com o Diabo, de João Paulo Maria Miranda, ambos na disputa pela Palma; e o também curta O Delírio é a é a Redenção dos Aflitos, de Fellipe Fernandes, incluído na Semana da Crítica. 

None

No cardápio de surpresas da Quinzena – mostra que ano passado acolheu sucessos como O Abraço da Serpente, Green Room e Dope – foi incluído ainda o esperado Neruda, do chileno Pablo Larraín, um darling internacional da crítica respeitado por êxitos populares como No (2013). Gael García Bernal é o protagonista deste ensaio investigativo sobre o poeta Pablo Neruda em meio ao golpe militar de 1973. O também chileno Alejandro Jodorowsky (do cultuado El Topo) também foi selecionado e promete mais um ensaio metafísico em Poesía Sin Fin. Uma das principais apostas deste menu é o italiano La Pazza Gioia, de Paolo Virzì (do aclamado Capital Humano), que traz a musa loura Valeria Bruni Tedeschi nas raias da loucura. Também da Itália vem novidade do veterano Marco Bellocchio (de Vincere): o drama Fai Bei Sogni.
  
LONGAS-METRAGENS

Divines, de Houda Benyamina
Dog Eat Dog, de Paul Schrader
Fai Bei Sogni
, de Marco Bellocchio
Fiore
, de Claudio Giovannesi
L’Économie du couple
, de Joachim Lafosse
L’Effet aquatique, de Sólveig Anspach
La Pazza Gioia, de Paolo Virzì
Les Vies de Thérèse, de Sébastien Lifshitz
Ma vie de courgette, de Claude Barras
Mean Dreams, de Nathan Morlando
Mercenaire, de Sacha Wolff
Neruda, de Pablo Larraín
Poesía Sin Fin, de Alejandro Jodorowsky
Raman Raghav 2.0, de Anurag Kashyap
Risk, de Laura Poitras
Tour de France, de Rachid Djaïdani
Two Lovers and a Bear, de Kim Nguyen
Wolf and Sheep, de Shahrbanoo Sadat

CURTAS-METRAGENS

Abigail, de Isabel Penoni e Valentina Homem 
Chasse Royale
, de Lise Akoka e Romane Gueret
Decorado
, de Alberto Vazquezn
Habat Shel Hakala
, de Tamar Rudoy
Happy End
, de Jan Saska
Hitchhiker
, de Jero Yun
Import
, de Ena Sendijarevic
Kindil el Bahr
, de Damien Ounouri
Léthé
, de Dea Kulumbegashvili
Listening to Beethoven
, de Garri Bardine
Zvir
, de Miroslav Sikavica

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.