Coletiva do júri no Festival de Cannes 2024 (Caio Coletti/Omelete)

Créditos da imagem: Coletiva do júri no Festival de Cannes 2024 (Caio Coletti/Omelete)

Filmes

Entrevista

Greta Gerwig rejeita separação de política e arte: “Ver um filme é se engajar”

Presidente do júri no Festival de Cannes 2024, cineasta deu tom conciliatório de coletiva

Omelete
2 min de leitura
14.05.2024, às 11H16.
Atualizada em 19.05.2024, ÀS 08H34

Para Greta Gerwig, é impossível assistir a um filme sem se engajar com as questões sociais e políticas que ele levanta. Em coletiva na tarde de hoje (14), no Festival de Cannes 2024, a presidente do júri se posicionou de forma enfática sobre as polêmicas que envolvem o evento, mas também buscou um tom conciliatório.

A coisa maravilhosa do cinema é que é uma arte lenta, porque um filme demora anos para ser feito. Ao mesmo tempo, é uma arte duracional em sua natureza, que se confina em algumas horas”, refletiu Gerwig na coletiva, acompanhada pelo Omelete. “No espaço de um filme, artistas de todo o mundo conseguem dizer algo de pessoal e intransferível, que nenhuma outra pessoa conseguiria dizer. Muitas vezes, isso que eles têm a dizer é urgente também fora do cinema. Para mim, assistir a um filme e se engajar com ele seriamente já é se engajar com os assuntos mais cruciais do nosso mundo”.

A declaração fica - mas por muito pouco - dentro das linhas delimitadas por Thierry Frémaux, delegado-geral do festival, que disse em coletiva ontem (13) que deseja ver uma edição de Cannes em que “a política fique na tela”.  A seleção deste ano inclui títulos como o documentário Lula, dirigido por Oliver Stone, sobre os anos de encarceramento do atual presidente do Brasil; o drama biográfico Being Maria, que recria a trajetória de Maria Schneider antes e depois do abuso sofrido no set de O Último Tango em Paris; e The Apprentice, em que Sebastian Stan interpreta um jovem Donald Trump.

Sobre este último filme, tanto Gerwig quanto Lily Gladstone, as duas representantes dos EUA no júri, reservaram seus julgamentos para depois da estreia. Talvez possamos conversar de novo depois que virmos o filme, mas estou ansiosa para assisti-lo, como estou ansiosa para assistir a todos os longas do Festival”, comentou Gladstone.

Às vezes, você ouve dizer que um filme é sobre isso e aquilo - mas daí entra no cinema e a história revela ser sobre um tema completamente inesperado. É difícil julgar agora, completou Gerwig. Tento me aproximar de cada produção com a mente e o coração abertos”.

O Festival de Cannes 2024 acontece entre 14 e 25 de maio, exibindo filmes aguardados como Furiosa: Uma Saga Mad Max e Megalopolis, de Francis Ford Coppola, entre muitos outros. Fique de olho no Omelete para a cobertura completa.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.