Filmes

Vídeo

Wolverine - Imortal | Omelete Entrevista Hugh Jackman

Ator fala sobre X-Men - Dias de um Futuro Esquecido

Equipe Omelete
26.07.2013, às 14H21
ATUALIZADA EM 05.10.2017, ÀS 01H56
ATUALIZADA EM 05.10.2017, ÀS 01H56

Em uma entrevista exclusiva, Steve Weintraub conversou com Hugh Jackman sobre Wolverine - Imortal (The Wolverine). O ator falou sobre a produção e a história do filme, por qunato tempo irá interpretar o personagem seu próximo filme, Prisoners.

 

Fale um pouco sobre o fato que é realmente... É um filme de quadrinhos no terceiro ato.

Hugh Jackman: Sim.

É. Mas até lá, não é.

HJ: Sim.

Você pode falar um pouco sobre isso?

HJ: Sim. Eu acho, o que foi interessante sobre esse filme foi explorar a humanidade do Wolverine, suas vulnerabilidades. Nós o vemos no início do filme... quase entrando em colapso pelo peso de ser Wolverine e pelo fato que todos que conheceu e amou, morreram. E viver com isso é um peso muito grande. Ele quase que quer apagar toda a ideia deles. Então, ele está sozinho. Ele é trazido de volta... Eu amo a conexão com o passado que temos no início e vemos aquela história. Quando ele é trazido para esse mundo, essa história clássica de peixe fora d'água. Há uma ótima ação no filme. Mas não é tudo ação, não são só efeitos especiais e aquele peso de quadrinhos. O filme o deixa entrar dentro dessa história e deixá-la muito humana, de alguma forma. Eu acho que você consegue se relacionar com ele. E, depois, você vê aquela enorme raiva surgindo nele. Eu simplesmente amo poder interpretar isso e amo... E aí se torna grande e espetacular no terceiro ato.

Você é um produtor nesse filme. Fale um pouco sobre... Houve alguma grande decisão que você, como produtor, teve que lidar? Ou... Você me entende?

HJ: Sim, eu sei. O diretor. Achar o diretor certo foi uma grande decisão. E você sabe o que passamos. Eu sou um produtor, mas eu não sou mais... Eu tinha uma empresa de produção, que eu não tenho mais, e eu percebi que há muita coisa que faz um grande produtor que eu não sou. Você tem que saber tudo sobre o mercado cinematográfico e eu não sei muito bem sobre metade, mas eu sei bastante sobre direção, atuação e história. Então, foi nisso que eu me foquei. Mas, realmente, a maior decisão foi contratar James Mangold, porque, depois que tínhamos Jim, um líder como ele... eu sabia que estávamos no caminho certo.

Quando eu escrevi no Twitter que eu ia falar com você, o que mais me perguntaram foi: pergunte por quanto tempo ele consegue interpretar o personagem.

HJ: Sim.

Por quanto tempo você quer interpretar o personagem?

HJ: Sim. Bom, como você sabe, eu já falei, eu vejo uma coisa de cada vez. Eu estou interpretando-o agora. Eu estou me divertindo muito lá, em "X-Men - Dias de um Futuro Esquecido". Trabalhar com, meio que uma reunião de classe e também com... Com Bryan Singer e o elenco, junto com o elenco novo, que eu estou amando. Eu estou me divertindo mais nesse filme e no que estou fazendo agora, que qualquer outra vez que interpretei o personagem. Eu acho que estamos chegando perto de quem é o personagem. Eu acho que as histórias estão ficando mais interessantes e desafiadoras como nunca antes. Eu posso interpretá-lo às 4 horas da manhã quando vou fazer meus exercícios. E eu preciso comer um pouco de torta de carne, um pouco de cachorro-quente, nachos, pizza, cerveja, lasanha, hambúrgueres, fritas, milkshake de chocolate, mas tirando isso... Cerveja, vinho... Mas tirando isso... eu estou pronto.

Eu estava na Cinema-Con e vi um material de "Prisoners". Foi uma cena muito emotiva, com você em um carro e quase...

HJ: Sério? Certo.

Eu não quero dizer que comecei a chorar, mas foi uma cena muito poderosa. Esse filme vai sair mais tarde esse ano.

HJ: Sim.

O que você pode falar sobre o filme e...?

HJ: Eu vou assistir ao filme hoje. O primeiro corte do filme, então estou muito empolgado com isso. É muito poderoso, é um elenco incrível, é uma ótima história, é um ótimo suspense. É um drama e realmente explora o que acontece com família, casamentos e irmãos, quando uma criança desaparece, mas também é um suspense e você não sabe quem fez, então há uma tensão inacreditável a todo momento e ao mesmo tempo é um pouco parecido com "Sobre Meninos e Lobos". Denis Villeneuve, o diretor, eu acho que é extremamente talentoso. Ele foi nomeado a um Oscar por seu último filme, "Incêndios", melhor filme estrangeiro. Ele é muito talentoso, as pessoas vão começar a prestar atenção nele.

 

 

 

 


 

 

 

Wolverine - Imortal estreia 26 de julho nos cinemas.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.