Filmes

Vídeo

Poder Sem Limites | Omelete Entrevista Dane DeHaan

Ator fala sobre a evolução do personagem e seu próximo projeto, Wettest County

Equipe Omelete
28.02.2012, às 13H28
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H16
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H16

Poder Sem Limites (Chronicle), novo filme em estilo documental, estreia esta semana. Para a divulgação do filme nosso correspondente em Los Angeles, Tommy Cook do site Collider, entrevista o elenco principal e o diretor do filme, Josh Trank.

A próxima entrevista foi com Dane DeHaan, que vive o personagem Andrew Detmer, menino problemático que faz parte do trio. O jovem ator falou sobre a filosofia do seu personagem e como ele se desenvolve ao longo do filme, o processo de ensaios e treinamentos, além de sua participação no novo filme de John Hillcoat, Wettest County, que também conta com Shia LaBeouf e Tom Hardy no elenco.

O seu personagem, Andrew, fala muito sobre filosofia no final do filme. Sobre o Super-Homem e a teoria do darwinismo. Quanta pesquisa você fez para falar sobre isso?

Acho que esses são pensamentos do Matt e são muito claros. Eles fazem muito sentido para mim. Acho que quando eu começo a filosofar no final do filme é quando eu começo a entender tudo que está acontecendo. Não é uma coisa que precisa de muita pesquisa porque já está no roteiro. Tem um parágrafo inteiro que é meio... "Se isso, isso e isso acontecer..."

Qual é o parágrafo exatamente? Detalhado.

Tem toda uma coisa sobre o predador alfa e como isso... Quando um leão mata uma gazela ele não sente nada e tudo começa a fazer sentido para o Andrew. "Quem sabe eu sou o predador alfa, quem sabe é nisso que estou me tornando". "Talvez eu não deva sentir nada quando eu agir como um predador alfa". Acho que esta é a filosofia.

Qual tipo de motivação... Porque esse personagem tem um grande arco que vai de um cara comum a um super- homem. Que tipo de arco você tinha em mente ao dar vida a esse personagem?

 

Eu tinha muita coisa em mente. Mas Josh e eu desenvolvemos uma linguagem de "escala de poder". No fim do filme eu estou na escala 10 de poder. No começo estou na escala zero. Eu usava como referência, fora todo o trabalho que eu fiz. Se estávamos tendo problema em uma cena eu pensava: "espera, onde eu estou na minha escala de poder?" "Estou no 7? Ah não, no 3? Certo". E junto com todo o trabalho que coloquei nele isso se tornou uma referência rápida para perceber onde eu estava em qualquer ponto que estávamos filmando.

Eu sei que vocês tiveram duas semanas de ensaio. Isso ajudou a dar segurança na atuação e que coisas surgiram durante?

Passamos grande parte das duas semanas aprendendo a voar… Malhando, provando o figurino e coisas assim. Nos dias de folga eu e o Josh nos trancávamos em um quarto e falávamos: "legal, podemos desvendar esse roteiro agora?". E passávamos... Nos dias de folga a gente se trancava em um quarto de hotel e passávamos o dia todo repassando o roteiro, tentando entender como seria porque sabíamos que tínhamos pouco tempo para fazer o filme. Sabíamos que teríamos que correr para terminar. Garantimos que na pré-produção tudo seria feito mas infelizmente tivemos que fazer nos dias de folga.

Como eles ensinam a voar?

O que eu quero dizer com isso é que usamos os cabos. Tivemos treinamento de segurança nos cabos e coisas assim.

Tem alguma estratégia de segurança envolvida ou...?

Você tem que ter o abdômen forte para conseguir voar. Você tem um cabo em cada ponta e tem que se manter reto e parecer que não está fazendo nenhum esforço. É só fortalecer o seu abdômen para conseguir fazer. Você precisa perceber o tanto de dor que vai sentir para parecer que não está se esforçando. Por isso que você precisa de treino.

Quando você faz uma cena de voo e outra lidando com seus pais alcoólicos abusivos é mais difícil interpretar essas cenas mais extremas perto das mais reais? Por qual você processo você passa?

Depende. Acho que depende do dia. Acho que muitas vezes a atuação depende de cada dia tipo quais são os meus desafios hoje e como vou superar isso? Normalmente para mim como ator é muito mais fácil lidar com coisas que tem base na realidade. Mas todas as coisas com voo pareciam muito reais porque estávamos no ar e tínhamos que estar surtando. Isso é muito real para mim, sabe? Então cada coisa é um desafio diferente. Parte da diversão é descobrir como superar estes desafios.

Eu sou um grande fã de John Hillcoat e sei que você vai fazer "Wettest Country". Qual é o seu papel no filme? Você pode falar um pouco?

Sim... "Wettest Country" é como... É sobre três irmãos durante a Lei Seca no sul, em Franklin County, Virgínia. É centrado no irmão mais novo que é interpretado pelo Shia LaBeouf. Ele tem um melhor amigo, o Cricket, que eu faço. Eu sou meio que um garoto criativo que tem raquitismo. Eu vivo em uma garagem e conserto carros... e nós acabamos tocando uma destilaria pirata juntos. Eu sou meio que o parceiro de crime do Shia. É um bom filme, eu já assisti. Estou empolgado para a estreia.

Muito obrigado, cara. É um prazer.

Poder Sem Limites (Chronicle) é um filme de super-heróis filmado no estilo documental de Cloverfield e Atividade Paranormal.

Na trama, três adolescentes são expostos a uma misteriosa substância e começam a desenvolver poderes, que eles usam por diversão em pequenas brincadeiras, até que a situação começa a fugir do controle.

Poder Sem Limites tem roteiro escrito por Max Landis, filho do diretor John Landis (Clube Dos Cafajestes, Um Lobisomem Americano em Londres). A direção fica por conta de Josh Trank, que estreia no cinema depois de trabalhar na série de TV The Kill Point.

Michael B. Jordan, Michael Kelly, Dane DeHaan, Luke Tyler, Alex Russell, Anna Wood e Ashley Hinshaw estão no elenco. A estreia no Brasil acontece dia 2 de março.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.