Filmes

Vídeo

Poder Sem Limites | Omelete Entrevista Alex Russell

Ator fala sobre a criação do seu personagem, os ensaios e próximos projetos

Equipe Omelete
28.02.2012, às 12H30
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H16
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H16

Poder Sem Limites (Chronicle), novo filme em estilo documental, estreia esta semana. Para a divulgação do filme nosso correspondente em Los Angeles, Tommy Cook do site Collider, entrevista o elenco principal e o diretor do filme, Josh Trank.

Alex Russel interpreta Matt Garetty, um dos três meninos com poderes. Ele falou sobre o processo de criação do personagem, o tempo de preparação para o filme e coisas novas que surgiram em seu personagem e seus próximos projetos.

Normalmente nestes filmes de "filmagem encontrada" os personagens ficam meio vazios, nulos. Mas o que eu gosto neste filme é que os personagens são tridimensionais. Quão envolvido você estava no processo de lidar com o arco do personagem? De criá-lo e dissecá-lo?

Tenho que dizer que a maior parte disso é mérito do roteiro. Tudo meio que já estava lá desde o começo. O Josh veio com esse conceito e história incríveis. O Max faz diálogos que um ator não poderia pedir mais. E os relacionamentos e como eles se desenvolvem e tudo que acontece ao redor da trama principal é o que sustenta o filme. E a sua ligação com o personagem, porque você vai ajustando desde o começo. Estava tudo lá desde a primeira leitura. Nós fizemos workshops, mudamos e acrescentamos coisas. Falávamos tipo "esse é um momento muito bom" e "isso pode ir mais além". Foi como ouro desde o começo. Não queríamos mexer muito.

Eu sei que os ensaios foram pesados. Quanto tempo durou?

É, para um filme foi pesado. Nós tivemos uma pré-produção de 2 semanas mas não ensaiamos todos os dias. Tínhamos outras coisas acontecendo. Tínhamos personal trainers para ficarmos fortes para trabalhar com voos. O equipamento de voo. Treinamos nesses equipamentos e fizemos leituras do roteiro. Várias coisas para nos deixar... Não só ensaios de cenas individuais mas coisas para nos deixar na mesma sintonia quanto à história como um todo.

Que coisas surgiram para o seu personagem durante os ensaios?

Coisas como se irritar com o Andrew, frustração, uma grande tensão no nosso relacionamento. O Matt é primo do Andrew, o ama e cuida dele, mas tem essa grande tensão. Essa necessidade dele se provar como uma pessoa inteligente tentando fazer isso pela Casey, seu interesse amoroso. E o modo como os meninos desenvolvem... Tudo isso apareceu no processo de ensaios. Como eu disse está no roteiro.

Ajudou na ligação entre vocês? Porque vocês parecem amigos.

Nós nos conhecemos e ficamos amigos desde o começo. Depois o Adam Schroeder e o Josh Tank colocaram a gente nesta casa incrível durante a pré-produção. Juntos. Quando começamos a filmar perdemos um pouco deste espaço. Mas nós nos divertimos muito lá. Ficávamos juntos jogando Xbox e tal.

O seu personagem cita muita filosofia. Você estava envolvido em pesquisar e ler sobre os filósofos?

Eu estava pouco envolvido que tive que pesquisar.

Quais livros você leu?

Olha, eu devo ter pulado coisas aqui ou ali. Eu fiz mais... Não consigo lembrar os nomes dos livros, mas ao invés de ler volumes inteiros eu li citações famosas de grandes pensadores porque, para ser honesto, é o que eu acho que o Matt Garetty teria feito. Então eu olhava…

Você acha que para falar em público ele só leu os melhores momentos?

Acho que ele é bem culto para um jovem mas acho que ele pensaria: "acho que nessa situação posso usar essa filosofia". "Posso dizer isso para essa situação e aquilo para aquela outra." Só para provar que as pessoas estão erradas e não devemos nos conformar. Acho que ele acharia coisas que encaixariam na sua mentalidade sobre a vida. Escolhendo o que serve para ele. Não sei, sabe? Acho que ele dá umas roubadinhas.

Quais os próximos projetos que você tem? No que você está trabalhando?

Tenho algumas coisas acontecendo mas nada até agora, para este ano é certo. Estou esperando por uma coisa em particular, mas... não quero falar nada, caso não aconteça, pois eu vou me sentir idiota. Quer dizer, eu sou ator. Sempre posso trabalhar mais.

Como você faz o sotaque americano sendo australiano? Por qual processo você passou?

Primeiro, praticar. Segundo... Mesmo quando eu achava que tinha um sotaque americano perfeito, eu não tinha. Você ficava ouvindo alguém? Quando você vem e mora aqui fica muito mais fácil. Você pega o ritmo. Mesmo que você pegue as vogais e tudo mais perfeitamente você pega o ritmo das pessoas. Então você tem que morar aqui para ficar certo, acho.

Muito obrigado.

Muito obrigado.

Poder Sem Limites (Chronicle) é um filme de super-heróis filmado no estilo documental de Cloverfield e Atividade Paranormal.

Na trama, três adolescentes são expostos a uma misteriosa substância e começam a desenvolver poderes, que eles usam por diversão em pequenas brincadeiras, até que a situação começa a fugir do controle.

Poder Sem Limites tem roteiro escrito por Max Landis, filho do diretor John Landis (Clube Dos Cafajestes, Um Lobisomem Americano em Londres). A direção fica por conta de Josh Trank, que estreia no cinema depois de trabalhar na série de TV The Kill Point.

Michael B. Jordan, Michael Kelly, Dane DeHaan, Luke Tyler, Alex Russell, Anna Wood e Ashley Hinshaw estão no elenco. A estreia no Brasil acontece dia 2 de março.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.