Filmes

Vídeo

O Lobo de Wall Street | Omelete Entrevista Margot Robbie

Atriz fala do seu próximo filme

Equipe Omelete
23.01.2014
14h02
Atualizada em
21.09.2014
17h22
Atualizada em 21.09.2014 às 17h22

Margot Robbie, do filme O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street), fala sobre os primeiros dias no set, o humor de Martin Scorsese e seu próximo trabalho em Hollywood em entrevista com Steve Weintraub, nosso correspondente.

 

Como você está hoje?

Margot Robbie: Estou bem, bem.

Deixe-me começar dizendo que amei o filme, amei seu trabalho...

MR: Obrigada.

Um dos meus favoritos no ano.

MR: Ah, ótimo.

Agora que tiramos isso do caminho, você estava em Pan Am, que durou menos de uma temporada. Naquele tempo você devia estar aborrecida quando ela foi cancelada, não iria continuar, mas você sente agora que tudo acontece por algum motivo?

MR: Sim, nessa indústria você constantemente se diz isso, senão ficaria maluco, você não pode sobreviver nesse meio sem constantemente dizer isso a si mesmo.

Eu quero saber dos seus primeiros dias no set, teve algum momento em que você, tipo... "eu preciso tomar muito cuidado, porque eles ainda podem me demitir" porque eu ouvi atores dizerem que nos primeiros dias eles ficam apavorados.

MR: Nas primeiras semanas eu estava apavorada, nas primeiras semanas eu estava sinceramente entrando no set esperando alguém virar e dizer "como ela... quem é... por que você está aqui?", tipo, "como você chegou aqui?" eu estaria tipo "eu não sei, acho que aconteceu algum erro, eu vou sair agora e vocês podem contratar uma atriz de primeira que devia fazer esse papel". Eu não sei por que fui contratada, então isso durou algumas semanas.

Fale um pouco sobre como foi colaborar com Martin Scorsese, obviamente você deve ter se sentido um pouco intimidada, mas como ele era e o que realmente te surpreendeu?

MR: Ele... ele é... incrivelmente caloroso e amigável, e ele ri bastante. E isso me surpreendeu, por algum motivo eu pensava que ele fosse sempre ranzinza e exasperado, e ele... ele... você o ouve rindo o tempo todo, o tempo todo, tipo, durante uma cena, por trás dos monitores você ouve ele rindo e essa é uma indicação de que você está fazendo um bom trabalho, e se você não o ouvir rindo você se preocupa pensando que não está fazendo um bom trabalho. Eu tinha a impressão de que ele ia ser mais perfeccionista, porque seus filmes são sempre estilizados e eu pensei que para ter isso ele teria que ficar em cima, e ter um específico, sabe, ter... uma forte influência sobre cada aspecto do filme, mas não, ele deixa cada um fazer seu trabalho, fazer seu próprio lance e acho que ele interfere mais na edição, e lá ele entra e deixa aquela marca registrada de Scorsese ao filme. Mas é uma ótima maneira de fazer as coisas, porque todos se sentem tão livres, todos acabam tendo performances que nunca teriam com outros diretores.

Estou curioso para saber qual foi o menor número de takes para qualquer cena e o maior número de takes.

MR: Algumas cenas fizemos em uns dois takes e algumas cenas, sabe, a cena do quarto do bebê nós filmamos por 17 horas... É, eu tive uma cãibra na perna no meio de uma das cenas estava tipo "ai, estou com muita cãibra na perna, eu preciso parar", tipo, "estou sentada nesse ângulo estranho há tanto tempo", mas a cena da briga no final nós fizemos em uma tomada, só tínhamos um sofá para rasgar, então fizemos uma vez só.

Antes que acabe meu tempo contigo, eu sou um grande fã dos escritores e diretores do seu próximo projeto, "Focus".

MR: Eles não são os melhores!?

Eles são incríveis.

MR: Eles são os... Eu amo eles demais. Eu disse pra eles que eu nunca mais ia trabalhar com ninguém, se apressem e escrevam o próximo filme!

Sabe, eu sou um grande fã do trabalho deles.

MR: Inacreditável. Você já viu "O Golpista do Ano"?

Por isso que sou um grande fã.

MR: Também é um dos meus filmes favoritos.

É, incrível.

MR: É.

Eu gostaria de saber como é trabalhar com eles em "Focus" e também estar em um filme com Will Smith.

MR: Inacreditável, eu não poderia pedir por uma co-estrela melhor, na vida real ele é inacreditável, e eles também, é inacreditável, eu não podia estar mais feliz. Eu pensava que o meu auge seria em "O Lobo de Wall Street", eu pensava como eu encontraria um filme que eu gostaria de fazer mais do que esse, e então aconteceu "Focus", e eu estava tão feliz trabalhando nele também. É, foi uma experiência incrível, foi demais.

Legal, tenho que ir, parabéns por tudo.

MR: Obrigada.

 

 

 

 

O Lobo de Wall Street estreia dia 24 de janeiro nos cinemas.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.