Filmes

Vídeo

O Lobo de Wall Street | Omelete Entrevista Jonah Hill

Ator fala de seu herói

Equipe Omelete
20.01.2014
14h02
Atualizada em
21.09.2014
17h22
Atualizada em 21.09.2014 às 17h22

Em entrevista com nosso correspondente de Hollywood, Steve Weintraub, Jonah Hill, do filme O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street), falou sobre como foi trabalhar com Scorsese, o primero corte do filme e a continuação de "Anjos da Lei".

 

Como você está hoje, senhor?

Jonah Hill: Nossa, eu adoro essa camiseta.

Obrigado, como eu disse um segundo atrás nós temos o mesmo filme favorito. Eu tenho umas 27 perguntas para fazer em quatro minutos então vou voando.

JH: Espero que sejam de sim ou não.

É... elas não são. Eu sei que você é um grande fã de Martin Scorsese.

JH: O maior, sim. Ele é meu favorito, não que eu seja o maior fã, mas ele é meu cineasta favorito.

Eu quero saber se teve algum momento nos primeiros dias de filmagem, você fez bons trabalhos no passado, mas estamos falando de Scorsese, existiu algum momento nesses primeiros dias que você pensou "eu ainda posso ser demitido, eu preciso ter certeza de que estou realmente fazendo isso."

JH: Bom, eu constantemente estava, tipo, eu realmente... Tudo o que eu pensei nos seis meses de filmagem foi "eu quero deixar o meu herói feliz", quero fazê-lo gostar do meu trabalho, sabe? Então, todos os dias... digo, os primeiros dias, os primeiros ensaios e a primeira… cena, antes de fazer a minha primeira cena eu estava tão nervoso, estava tão nervoso de ir lá e fazê-la, e eu também não tinha... eu tinha feito o sotaque mas não tinha feito a voz, que era diferente, sabe, essa voz mais grave e rústica e eu... eu estava tipo "puxa, eu não ensaiei assim mas acho que pode ser muito…", sabe, seria muito bom pro Donnie, e era o primeiro dia e eu não tinha saído lá nem nada mas Spike Jonze estava lá naquele dia, e eu conhecia o Spike porque ficamos amigos em "O Homem que Mudou o Jogo", e então... Spike estava lá e é um diretor que eu admiro muito, então eu estava tão nervoso e eu não tinha mostrado para o Martin ou pro Leonardo DiCaprio a voz que eu talvez iria fazer porque eu não tinha ensaiado, então eu perguntei pro Spike, no trailer de maquiagem, e eu disse: "cara, você pode ouvir isso e me dizer o que acha?", e eu fiz pra ele e ele disse que eu deveria fazer com certeza, e eu fiz no primeiro take sem mostrar pro Scorsese ou pra ninguém e ele nunca falou nada, então eu continuei fazendo.

Isso é... fantástico? Uma das coisas sobre o filme… Eu amo esse filme, é absolutamente um dos meus favoritos do ano, simplesmente amo.

JH: Legal.

Como um fã de Scorsese eu sei quando... eu falei com a editora Thelma Schoonmaker e ela disse que o primeiro corte tinha quatro horas. Você viu o corte de quatro horas?

JH: Não, e eu estou feliz, porque, sabe... Eu... É interessante, com esse filme é como... Thelma é uma heroína tanto quanto qualquer outro, e claro, Scorsese, sabe, então... Eu... eles queriam que fosse essa versão, e eu sabia que era a melhor versão do filme, você confiaria mais em alguém do que nesses dois, no planeta? Sabe, então para mim, eu não gostaria de ver alguma coisa, e me apaixonar por algo e isso não estar no filme, sabe?

Você não ligou pra eles dizendo "só por curiosidade eu adoraria ver"?

JH: Não, bom, eu jantei com a Thelma em Nova Iorque e eu não a tinha visto desde que finalizamos as filmagens, desde que eu tinha assistido ao filme, e ela sabia que eu tinha visto, e disse "venha aqui" e nos sentamos, e ela disse  "é por isso que cortamos essa cena, eu sei que você gostava dela, eu também gostava e..." e eu tipo "você não precisa explicar nada pra mim, você editou "Taxi Driver" e "Os Bons Companheiros", entendeu o que eu quis dizer? Você é a pessoa mais brilhante que eu conheço", então é tipo, foi, é tão... ela é literalmente a pessoa mais legal que eu já conheci na minha vida.

Com certeza. Eu preciso ir, mas rapidinho.

JH: Foi tão rápido...

É, eu falei. Um dos meus filmes favoritos dos últimos anos é "Anjos da Lei".

JH: Ah, legal!

Adoro esse filme e mal posso esperar pela continuação, o que você pode nos contar?

JH: Bom, eu não acho que o primeiro filme ia funcionar se nós não soubéssemos o quão estúpido e sem criatividade é reciclar um seriado de TV em um filme, e então minha piada favorita sobre essa autoconsciência, na sequência é que segundas missões são sempre maiores, piores e mais caras que as primeiras, então é basicamente tirar sarro de nós mesmos por fazer uma sequência, e como isso é idiota.

Eu sinceramente mal posso esperar, foi bom te ver e parabéns por tudo.

JH: Legal, obrigado, cara.

 

 

 

 

O Lobo de Wall Street estreia dia 24 de janeiro nos cinemas.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.