Filmes

Vídeo

O Espião que Sabia Demais | Omelete Entrevista Benedict Cumberbatch

Ator conta como tem sido a nova fase em sua carreira, a preparação para o filme e "O Hobbit"

Equipe Omelete
13.01.2012, às 11H13
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H16
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H16

Está em cartaz o filme O Espião que Sabia Demais, longa sobre espionagem ambientado durante a Guerra Fria que conta com um elenco estrelado e que está sendo sucesso de bilheteria na Europa e nos EUA.

Nosso correspondente em Los Angeles, Steve Weintraub, entrevistou o elenco para a divulgação do filme. Conversamos com Benedict Cumberbatch, Colin Firth e Gary Oldman, que interpretam agentes de elite do Serviço Secreto Inglês. Nesta última entrevista o ator ascendente Benedict Cumberbatch falou sobre como sua carreira mudou, indo de um ator de teatro para produções de Steven Spielberg e Peter Jackson, como se preparou para o personagem de O Espião que Sabia Demais e atuar em motion-capture no filme O Hobbit.

Eu sou fã de seu trabalho há um tempo. Nunca te entrevistei, mas sempre tento fazer a primeira pergunta divertida. E hoje será: qual é a sua música de karaokê favorita?

"Sorrow", do David Bowie.

É algo que você apresenta regularmente?

Muito regularmente, falando nisso. É um clássico que eu canto e o cabelo está combinando no momento.

Com certeza. Como têm sido os últimos anos para você? Parece que você foi de fazer algumas coisas aqui e ali para alguns projetos de grandes produções. Como tem sido?

Tem sido bem turbulento. Eu estou amando cada minuto disso. Eu tive muita sorte. Todos estes projetos incríveis apareceram juntos. Eu gostaria de escrever sobre as minhas experiências. Sou novo ainda para lembrar mas sei que chega um ponto... Claro, estará sempre em um filme ou em alguma vaga lembrança. Tem sido incrível. Tem sido realmente extraordinário e espero que continue. Pelo menos essa variedade de trabalhos, é isso que eu quero. Não precisa ser na escala que tem acontecido mas... eu estou aproveitando muito. É o que sempre quis fazer e estou fazendo, então eu não podia estar mais feliz.

Como foi se preparar para "O Espião que Sabia Demais"? Normalmente um filme de espião é cheio de ação e "O Espião" é muito racional, é bem... É um tipo de filme diferente. Como foi se preparar para esse papel em particular?

Foi interessante. Eu nasci em uma era em que o Muro de Berlin estava caindo, Ceauşescu foi executado e a Cortina de Ferro estava voltando para Moscou e também tinha a Perestroika, de Gorbatchev. Então era um período que eu conhecia o final. Na escola você estuda a Crise dos Mísseis e também a Segunda Guerra Mundial e como aquilo acabou no Muro de Berlin, a divisão da Europa e a Guerra Fria. Foi fascinante para mim voltar a tudo isso e o livro, na verdade. O livro foi minha fonte principal de inspiração e pesquisa porque tem muita história pregressa e... muita caracterização dos personagens que você não vê na tela. Tem uma introdução para contextualizar Guillam, com um livro anterior, uma história com o Smiley. Uma história depois. Eu fui atrás disso, falei com Le Carré eu não tenho amigos no serviço secreto então fui até ele com perguntas sobre como era aquele mundo de fato. Ele foi muito receptivo e tão discreto quanto pôde. Ele foi muito inteligente e articulado em me dar o que eu precisava para ter uma janela para a vida de um agente secreto e a Grã-Bretanha do final dos anos 1970. E como ele via Guillam e o que estávamos fazendo com ele no roteiro. Tomas Alfredson, um diretor incrível com um gosto muito elaborado, que tem apostas incomuns em materias bem comuns ou, pelo menos, em um gênero clássico muito conhecido. É, eu não poderia estar em melhores mãos. Cercado por um elenco incrível, uma produção ótima. Aqueles aparelhos e conjuntos que você já ligava aos espiões como carros, roupas, o estilo de cabelo e coisas assim... O jeito de tratar as mulheres e todas essas bobeiras são colocadas de lado mostrando a verdade com um glamour criativo sobre a espionagem naquela época. E Guillam é meio que o oposto do que imaginávamos que apanharia e ficaria todo sujo. Foi um ótimo personagem de se interpretar.

Tenho que encerrar, mas vou perguntar bem rápido: você vai fazer a voz do Smaug no "O Hobbit". Fale rápido. Como é isso?

Eu interpreto o Smaug, não sou ele, devo dizer. Me pediram para dizer isso. Eu interpreto ele, dou vida a ele como um dragão. Não faço só a voz, então será um papel físico, que não é estranho para mim. Eu fiz Frankenstein no começo do ano do Danny Boyle no Nacional Theater. Interpretar a criatura ajudou muito... foi uma experiência bem corporal, vamos dizer isso. Mas eu mal posso esperar. Ainda vamos conversar porque eles estão fazendo o primeiro filme e eu estou fazendo a segunda temporada de "Sherlock" e outra série em que estou trabalhando chamada "Parade's End" para a HBO e a BBC com Tom Stoppard adaptando o livro e a Rebecca Hall co-estrelando. Tem um tempo ainda mas em um mês começaremos a conversar como eu e você estamos fazendo agora. Mas eu já comecei a malhar e a fazer exercícios de movimento para estar pronto para aquilo. Tudo com macacões com bolas nele ao contrário não seria captura de movimento. Mal posso esperar, estou muito animado. Eu começo a filmar em janeiro, então te falo mais depois.

Muito obrigada, tenha um ótimo dia.

Foi um prazer, obrigado. Prazer em te conhecer.

O best-seller é um dos clássicos de John Le Carré sobre a Guerra Fria, ao lado de O Espião que Veio do Frio. A história é ambientada durante os anos finais do conflito velado e acompanha George Smiley (Gary Oldman), um dos cinco ocupantes dos postos mais altos dentro do Circus - a divisão de elite do Serviço Secreto Inglês - encarregado de descobrir quem, ali no meio dos cinco, é um agente duplo que por anos trabalhou para os soviéticos.

Colin Firth, Tom Hardy, John Hurt, Stephen Graham, Roger Lloyd-Pack, David Dencik, Kathy Burke, Toby Jones e Benedict Cumberbatch também estão no elenco. O roteiro é de Peter Morgan (A Rainha, Frost/Nixon). O sueco Tomas Alfredson (Deixa Ela Entrar) dirige. Morgan e Le Carré estão entre os produtores.

Tinker, Tailor, Soldier, Spy já está em cartaz no Brasil.

Leia mais sobre O Espião que Sabia Demais

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.