Filmes

Vídeo

O Ataque | Omelete Entrevista Channing Tatum e Jamie Foxx

Atores falam sobre próximos projetos

Equipe Omelete
05.09.2013, às 15H27
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H21
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H21

Nosso correspondente de Hollywood, Steve Weintraub, conversou com Channing Tatum e Jamie Foxx sobre O Ataque (White House Down). Eles falaram sobre a filmagem, o que colecionam e projetos futuros, incluindo Jupiter Ascending e O Espetacular Homem-Aranha 2.

 

Deve ter sido muito divertido fazer esse filme. Desafiador, mas divertido. Foi um desses filmes divertidos de fazer?

Channing Tatum: Sim. Filmes são difíceis. Eles são longos, é uma maratona. Eu não sei, fazer um filme em que você pode explodir a capital é intenso, mas acho que nos divertimos fazendo o filme. Roland Emmerich se impõe no set e ele é simplesmente um cara divertido, feliz, com um set gigante. É loucura.

Vocês já responderam várias perguntas sobre "O Ataque". Eu quero perguntar uma coisa diferente. O que vocês colecionam ou que vocês realmente piram?

CT: Piram?

Jamie Foxx: Você é nostálgico? Você é nostálgico assim? Você coleciona alguma coisa?

CT: Eu não sei se coleciono...

Qualquer coisa...

CT: Eu gosto de diários. Eu gosto de diários pequenos e marrons. Eu tenho vários. Só isso, eu nunca escrevi nada. Eu só coleciono, compro.

JF: Colecionar. Você vai no eBay, Amazon, alguma coisa que você sempre procura. Sabe, eu não tenho. Eu até estava contando isso para uma pessoa: a minha filha ganhou... Eu não quero contar a história. Ela ganhou um presente de uma pessoa e ela meio que perdeu o presente. A pessoa ficou brava. E eu falei para ela: "Para ser honesto, eu acho que você pegou isso de mim, porque eu não sou uma pessoa nostálgica." Eu ganho presentes de aniversário e não abro por anos. Eu não sei o que é isso, mas...

CT: Eu não vou te dar um presente de aniversário. Não se preocupe. Obrigado por me avisar.

Quando vocês leram o roteiro pela primeira vez e viram o que teriam que fazer, havia alguma sequência ou duas que vocês pensaram: "F... como vamos fazer isso"?

CT: A perseguição dos blindados. Na verdade, eu pensei: "Eu não sei como vamos fazer isso, porque, obviamente, nós não podemos ir à Casa Branca e acabar com o gramado." Eu não tinha noção quão grande era o gramado da Casa Branca, então eu pensei: "Como teremos sete carros percorrendo o gramado? Vai ficar meio lotado." Eu não entendi como isso ia funcionar, mas eles fizeram.

Ano que vem, dois filmes que eu estou muito ansioso são: uma coisa com os irmãos Wachowski, um filme pequeno, independente, futurístico e um filme do "Homem-Aranha". Vocês podem falar um pouco sobre os dois?

CT: Nós estamos inovando com... É uma filmagem difícil. "Jupiter Ascending" será... Nós estamos fazendo coisas que nunca foram feitas dentro da câmera. No mundo dos efeitos e na parte física. Há muito pouco, se não nenhum truque digital no filme. Está difícil de solucionar porque os Wachowski não gostam de fazer nada que já foi feito. Nós definitivamente estamos fazendo coisas novas, então espero que todo mundo goste. E é divertido! Tem uma graça. Tem um pouco de graça no filme.

Eu gosto disso.

JF: Legal. "Homem-Aranha" é simplesmente... Eu estou feliz por fazer parte do filme. Eu vou falar isso: o Homem-Aranha definitivamente tem um oponente à altura. Alguém que realmente não gosta dele.

Fale um pouco sobre a sua fantasia, porque eu ouvi que você tem um visual interessante no filme.

CT: Sim, eu sou um Splice. Os Splices são feitos em laboratórios e eu sou um híbrido entre lobo, humano e meio albino. Então, eu sou um pouco defeituoso. Então, vamos ver.

Legal. Eu preciso ir. Muito obrigado aos dois e, sério, esse filme é muito divertido.

JF: Legal.

CT: Obrigado.

 

 

 

 

 

 

 

O Ataque estreia 6 de setembro nos cinemas.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.