Filmes

Vídeo

A Morte do Demônio | Omelete Entrevista Shiloh Fernandez, Jessica Lucas e Lou Taylor Pucci

Atores falam sobre a produção do remake

Equipe Omelete
19.04.2013, às 12H42
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H19
ATUALIZADA EM 21.09.2014, ÀS 17H19

Nosso correspondente de Hollywood conversou com Shiloh Fernandez, Jessica Lucas e Lou Taylor Pucci sobre o filme A Morte do Demônio (Evil Dead). Os atores falaram sobre o processo de ensaio para o filme e como é trabalhar com maquiagem pesada.

 

Então, quando pedem para vocês representar um grupo de amigos, meio que criar aquela ligação com pessoas estranhas. Como vocês criam essa ligação?

Lou Taylor Pucci: Nós fomos a uma casa na praia, no feriado da Páscoa, bem antes de começarmos a filmar. Literalmente um dia antes.

Jessica Lucas: Foi na Páscoa, sim.

Shiloh Fernandez: Há um ano?

LTP: Sim.

JL: Há um ano.

LTP: E nós nos conectamos.

Então, jogos com bebidas ligam as pessoas.

LTP: Jogos de bebida.

JL: Sim.

LTP: Nadar pelado no mar. Praia de Coromandel...

SF: É verdade. Pode ter sido só eu e Lou, é uma noite meio nebulosa.

LTP: Não fale assim!

JL: Eu ia dizer que não sabia se participei.

Como foi o processo de ensaio nesse filme? Houve algum ou...?

LTP: Sim. Foi muito legal que que Fede Alvarez sabia tudo.Foram umas duas semanas.

JL: Duas semanas de ensaio. Foi bom. Nós mapeamos tudo antes de começarmos e falamos sobre tudo que queríamos falar. Então, nós nos sentimos muito preparados quando fomos filmar.

Eu tenho que perguntar algo óbvio. Por que você leu o livro? Qual foi a motivação para fazer isso?

LTP: É a verdade. Nós estávamos falando. Quando fomos àquela casa de praia, uma mulher velha simplesmente nos falou: "Deixe o dinheiro embaixo do livro e..." Você me entende? "A chave está embaixo da porta." Nós entramos e, como você disse, nós simplesmente começamos a cozinhar. Nós não conhecíamos ninguém lá. Nós simplesmente entramos, começamos a usar as coisas deles, achar as coisas deles e pensar: "Essas pessoas são estranhas. Isto é interessante." E você faz isso. Você simplesmente faz. É verdade.

SF: Nós vimos o Livro de Contas. As pessoas tinham deixado recados e outras coisas. E pensávamos: "Nós não sabemos se isto é pessoal." É meio...

Então, você leu o livro em voz alta?

SF: O Livro de Contas? Na verdade...

JL: Você leu o livro?

LTP: Não tinha nada dizendo para não ler.

SF: Na verdade, eu estava lendo...

JL: É verdade. Tinha me esquecido disso.

SF: Eu estava lendo essas coisas engraçadas e eu provavelmente escrevi algo horrível. Eu simplesmente vou tomar este tempo para me desculpar.

JL: Eles nem sabiam que o elenco de "A Morte do Demônio" estava lá.

SF: Não, mas eu não paguei a... Nós não pagamos a conta da limpeza. Vocês lembram? Porque elas...

LTP: Me desculpe. Ela nos deu do nada... E ela nos deu do nada depois que tínhamos ido embora ou alguma coisa assim. Eu sei que foi de última hora e nós falamos: "Nós trouxemos só essa quantidade contada de dinheiro." Me desculpe mesmo. Mudamos de assunto.

JL: De qualquer forma...

Não. Quando se está trabalhando com uma maquiagem pesada, prática, com próteses, vocês acham que dá limites para a performance ou os ajuda simplesmente pela aparência dela?

LTP: Às vezes, limita o seu rosto. Mas, tirando isso, não, é simplesmente bom para tudo, porque quando você olha para você mesmo e você está coberto de sangue, é muito mais.

JL: Sim, eu achei que ajudou muito. Eu simplesmente me vi no espelho e me achei uma pessoa tão diferente. Foi fácil para eu me libertar.

Você...? O seu personagem sofre tanta violência. Você acompanhou o nível de violência com o passar do tempo para o seu personagem, quando você estava mapeando a performance?

LTP: Eu estava, mas, de alguma forma, acho que pareceu, em outras, não precisava. Me entende? Ele tinha que estar vivo para fazer tudo que ele tinha que fazer, então tinha que haver alguma magia no filme. Surpresa: ele ainda está vivo.

Então, você é o homem correto deste filme. Você está reagindo a essas coisas loucas acontecendo. Como você lidou com isso, vendo essas coisas acontecendo?

SF: Eu achei que era o melhor papel quando eu li, aí eu vi o filme e fiquei: "Droga. Eu errei."

 

 


 

 

A Morte do Demônio estreia 19 de abril nos cinemas.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.