Filmes

Vídeo

Comic-Con 2012 | Omelete Entrevista Bryan Cranston

Ator fala sobre Vingador do Futuro, Argo e Breaking Bad

Equipe Omelete
09.08.2012
23h34
Atualizada em
21.09.2014
17h17
Atualizada em 21.09.2014 às 17h17

Bryan Cranston, o novo Coheegan no remake de O Vingador do Futuro (Total Recall), conversou durante a Comic-Con 2012 com nosso correspondente de Hollywood, Steve Weintraub.

O ator conta o que mudou durante a filmagem e o que ele inovou no papel. Fala também sobre como foi trabalhar com Ben Affleck em seu filme mais recente, Argo, e sobre a última temporada (ou não) de Breaking Bad.

Eu queria começar dizendo que... eu fiz uma visita ao set de "O Vingador do Futuro", e você conversou com os jornalistas por uns 45 minutos. O que é algo inédito. Eu só quero dizer obrigado em nome de todos, por ter nos dado tanto tempo.

Bryan Cranston: O prazer é meu.

Então, vamos começar com isso.

BC: Eu não sei porque isto é raro. Isto me surpreende.

Estamos na Comic-Con. Eu realmente quero perguntar se você coleciona alguma coisa? Tem alguma coisa que você gostaria de ver vendendo aqui? HQs, adereços de filmes, brinquedos, parafernálias.

BC: Não.

Então, você é um minimalista.

BC: Eu sou realmente isto. Quanto mais velho eu fico, menos coisas eu quero. Eu quero mais experiências.

Eu entendo.

BC: É tudo o que eu quero. Coisas materiais não vão me fazer feliz. Eu quero criar experiências. Onde tempos memoráveis possam ocorrer. E sempre... Mas se você juntar pessoas em um jantar, ou sair de férias, ou fazer alguma coisa. Daí é possível. Mas, só ter coisas, para mim... Eu quero cada vez menos na minha vida. E mais experiências.

Vamos para o assunto que eu vim falar com você. Obrigado. Falando de "O Vingador do Futuro". Você viu um primeiro corte ou alguma versão final do filme?

BC: Eu não vi.

Então, eu não posso te perguntar isso. Mas eu perguntarei uma parte desta pergunta. Quando você entra para algum projeto, você ganha um roteiro, mas durante a filmagem, muitas coisas acabam mudando. E, de repente, o filme que você achou que estava fazendo é completamente diferente. Aí você vai no cinema, e você pensa: "Meu Deus". Como foi fazer esse filme, em relação às mudanças durante as filmagens?

BC: Não ocorreram muitas mudanças neste filme, porque a complexidade e a quantidade de detalhes que era preciso para fazer. Em outras palavras, quando estamos fazendo imagens de computação, tem consultores no set. Para dizer: "Nós precisamos que aquilo esteja mais para lá. "Aquela coisa no fundo tem que se mover 5 cm para a direita." Então, tem especificidades para tudo aquilo. E o detalhe no roteiro, para não ficar confuso ou perdido... Você tinha que ficar bem próximo do roteiro. Então, Len Wiseman sendo um "homem sábio", passou o máximo de tempo, inteligentemente, na pré-produção. Para entender aquele roteiro. Imaginar aquele roteiro. Enquanto ele o lê… Dá para acompanhar? Funciona? Tem motivação para o personagem? Como está a ação? A ação está dispersa pelo filme inteiro? Terá algum baixo na história? E, o melhor possível... É meio como olhar para uma planta, e depois a casa que foi feita. E conforme você vai construindo, você pode decorar aqueles desenhos e planos. Infinitamente. E achar que viu tudo. E uma vez que você começa a martelar e trabalhar com madeira, você verá em três dimensões, e muda. Fazer um filme é a mesma coisa. Do roteiro para a filmagem. E você terá que fazer mudanças. E mesmo depois de já ter mudado, quando você precisa de fotos, alguma coisa não deu certo, ou não estava claro. Ou: "Quer saber... O que o Colin fez aqui está bem melhor do que no roteiro, então vamos fazer isso." Então agora temos que reescrever algumas coisas para justificar aquilo. Então, funciona assim.

Fale um pouco sobre como você se preparou para fazer o Caheegan, e um pouco sobre o seu processo, como ator, para se preparar em geral para papéis.

BC: Coheegan, para mim, era um cara que... Eu preciso fazer meus personagens fáceis de se reconhecer. É um elemento muito importante para mim. Eu não quero que as pessoas vejam uma pessoa estranha, sem familiaridade, na tela. Nem um pouco parecido com um humano. Eu não quero isso. Se eu não consigo, eu não quero que aconteça. Então, pensando no que o Ronny Cox fez como Coheegan no original, eu percebi que tinha uma coisa que eu queria fazer que será diferente. Será diferente. Não necessariamente melhor. Mas diferente, porque eu não queria ser uma mera cópia. Não é o que me interessa. Então, o que eu fiz foi conversar com o Len, e eu disse: "Eu tive uma ideia que ele deveria tratar o personagem do Colin como um adolescente rebelde. "Um garoto instável que precisa de uma direção." Então, ao invés de odiá-lo. "Eu vou forçá-lo a fazer isto." Eu amo o garoto. Eu o amo! Ele foi um ótimo menino. E eu sinto como se ele fosse um protegido meu. E nós podemos fazer coisas grandiosas porque ele tem muito talento. E eu quero que ele volte para o grupo. "Você não consegue perceber o que está perdendo aqui?" Só de pensar, eu fico empolgado! Como um garoto rebelde, vamos educá-lo. E desta forma que eu pensei no personagem.

Outra coisa que eu queria falar com você é "Argo". Eu falei com pessoas que viram o filme e amaram a sua atuação.

BC: Isto é legal.

Simplesmente dizendo coisas muito positivas deste filme. Eu queria falar um pouco sobre primeiramente, quem é o seu personagem e como foi trabalhar com o Ben, essas coisas.

BC: Eu interpreto um personagem chamado Jack, que trabalha para uma organização secreta, em Langley, Virgínia. E eu sou o seu chefe no começo desta companhia. O homem da companhia. E eu estou muito contente de ter feito parte de "Argo", porque é importante historicamente. Uma história real. É emocionante.Fala da perseverança do homem. E você realmente torce para as pessoas se darem bem, e uma causa justa. É realmente um ótimo filme americano. E eu acho que será um muito importante. Ben Afleck é... Eu devo confessar que talvez por causa de suas façanhas quando ele era mais novo, eu não sabia o que esperar. Não parecia que eu estava o julgando quando comecei,  mas o que eu encontrei foi um diretor muito inteligente, preparado, engajado e encorajador, que eu acho que será o novo Clint Eastwood. No sentido de atores que se tornam diretores. Ele é tão bom assim. E ele é inteligente.

Eu concordo completamente com isto. Eu tenho que terminar, mas eu quero perguntar uma última pergunta. Eu sou, como muita gente aqui, muito fã do seu show "Breaking Bad".

BC: Obrigado.

Obcecado. A última temporada foi uma das melhores de todos os programas. Simplesmente incrível. Eu estou muito ansioso, como todo mundo, para os próximos 16 episódios. Eu estou curioso se vocês filmaram, ou estão filmando todos os 16 de uma vez, e exibindo oito, depois mais oito? Ou como isso funcionou?

BC: Tem alguma discrepância na semântica do que estão chamando. Eu chamo de duas temporadas, porque tem oito episódios que vão ao ar neste domingo.

Claro.

BC: E terminamos de filmar todos estes oito. E nós paramos por quatro a cinco meses. Nós voltamos do meio para o fim de novembro. E filmaremos os próximos oito episódios que vão ao ar no próximo verão. Então, um ano de diferença entre elas. Então, para mim, são seis temporadas. Seis temporadas. Oito e oito.

Muitas pessoas estavam confusas com isso.

BC: Sim. Nós não filmamos estes ainda.

Eu sei que você está dirigindo um episódio...

BC: Certo.

Na sexta...?

BC: Vou dirigir o primeiro episódio da sexta temporada.

Fale um pouco sobre o fato de você estar dirigindo, e fale um pouco sobre este desafio de dirigir e atuar, estas coisas.

BC: É um desafio. O primeiro desafio é quando você percebe que tem muita coisa para fazer. E, de novo, o que eu estava falando sobre Len, e a coisa inteligente que ele fez, foi trabalhar muito na pré-produção e no roteiro, antes de começarmos a filmar "O Vingador do Futuro". E eu aprendi com diretores como ele, para dizer: "Use bem este tempo." Isso é o que eu faço. Eu vou e uso aquela semana antes de começarmos a filmar. Esta é a semana mais importante para mim. Quase mais importante que filmar. Pode ser, em algumas formas mais importantes. Então, é bom estar o mais preparado possível,  para quando você começar a rodar o filme... E nós ainda usamos filme 35mm em "Breaking Bad". Você sabe o que você quer. E você também tem que planejar. Você está executando o plano. Mas como qualquer outra coisa, algo vai acontecer. Você está dispostoa discutir até um último instante, e mudar isso, e ir para uma direção diferente, se você ver outra forma de contar a história, de uma perspectiva melhor. E fazer daquele jeito. Então, é divertido ter... Ter uma ideia do que irá fazer, mas estar disposto a mudar, dependendo do que acontecer.

Mais uma coisa...

BC: Sim.

Eles vão me matar! Uma coisa incrível de "Breaking Bad" é que vocês fazem takes muito interessantes e únicos. E eu sempre achei isso do programa. Você já andou pensando: "Eu sei alguns takes que ainda não fizemos, eu sei isso"?

BC: Não.

Mas agora eu estou te dando isso...

BC: Não, porque... O roteiro, a história, sempre vem primeiro. Então, você não pode deixar a ideia para um take ditar e se sobressair à história. Tem que ser ao contrário. O que você está lendo e absorvendo da história, mesmo se for um episódio de uma hora, tem que ditar qual será o seu take. Não ao contrário. Então, eu tenho uma noção dela, começo a sonhar com ela, e eu começo a perceber e a me perguntar, de qual a perspectiva, de qual ângulo eu quero ver esta cena acontecer. E é ali onde eu  coloco a câmera.

Minha última pergunta, e aí eu prometo deixá-lo sozinho.

BC: Você é um mentiroso.

Realmente vou. Vince falou sobre como... Quando ele entrou para o projeto, ele achou que 16 episódios iriam ser suficientes para fechar a história. E, eu sei, que vocês falaram que, de repente, tem muita coisa faltando...

BC: Sim.

E talvez pudessem fazer mais que oito episódios. Então, existe a possibilidade de vocês fazerem mais que oito episódios para a última temporada?

BC: Eu realmente não sei sobre isso. Isto depende do Vince, da AMC e da Sony, para verem se querem fazer. Eu, claro, estaria feliz em fazer. O que eu quero é que Vince Gilligan fique feliz com a quantidade de horas do programa de horas, que ele ainda tem, para achar que completou a história. Isso é o que eu quero. E é subjetivo, então ele tem que nos contar isso. E nós o seguiremos para onde ele quiser ir.

Eu tenho que terminar com você. Obrigado pelo seu tempo.

BC: Obrigado.

Eu estou realmente ansioso para a próxima temporada.

BC: Será divertido. Muito obrigado.

O Vingador do Futuro estreia no Brasil em 17 de agosto.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.