Séries e TV

Artigo

Emmy muda novamente as regras, agora para incluir webséries e produções online

Produtores de conteúdo para o YouTube e outras plataformas digitais agora têm um espaço na premiação

Aline Diniz
03.03.2016
17h11
Atualizada em
29.06.2018
02h37
Atualizada em 29.06.2018 às 02h37

Já há algum tempo o Emmy tem se atualizado para englobar outras produções que não estejam restritas somente à TV, incluindo programas da Netflix, Amazon, Hulu e outros produtores de conteúdo digital em sua principal premiação, o Primetime Emmy Awards. A cerimônia celebra os melhores do segmento, que incluia programas exibidos nos EUA entre às 18h e 2h - mas as regras estão mudando e se adaptando para as novas mídias. De acordo com a nova revisão, programas de formato reduzido produzidos por plataformas digitais - como o YouTube Red - ganharão seu próprio espaço.

None

As novas categorias, nomeadas "formato reduzido", incluem produções que tenham um mínimo de seis episódios com 15 minutos ou menos de duração - incluindo programas exibidos em emissoras abertas, pagas, por satélite ou online. Confira abaixo as adições:

Melhor Série em Formato Reduzido - Comédia ou Drama
Melhor Série em Formato Reduzido - Variedades
Melhor Série em Formato Reduzido - Reality/Não ficção
Melhor Ator em Série de Formato Reduzido - Comédia ou Drama
Melhor Atriz em Série de Formato Reduzido - Comédia ou Drama
Melhor Série Animada em Formato Reduzido

O interesse da Academia de Artes e Ciências Televisivas em se atualizar e modernizar é impressionante. Acompanhando o desenvolvimento da indústria que a cerca, as regras da premiação estão sempre mudando, se moldando às novidades do mercado. Cada vez que alguma nova tendência surge, logo em seguida uma adaptação é feita para que as novas produções possam se qualificar a prêmios.

É importante que a principal premiação do segmento acompanhe o mercado para que todos tenham incentivo de produzir mais conteúdo de qualidade. Não é de agora que webséries chamam cada vez mais a atenção do público não só por serem mais acessíveis e cada vez mais bem produzidas, mas também pelo talento - o que antes precisava passar por um processo de aprovação muito maior, com um estúdio tomando todas as decisões, agora pode ser simplesmente publicado online para todo o mundo ver. Muito do que é produzido online acaba recebendo apoio de grandes estúdios e vira algo muito maior do que inicialmente já foi. A era digital promove inclusão e oportunidades cada vez maiores para talentos desconhecidos.

Outras mudanças

Além disso, ainda foram feitas adaptações nas categorias principais para que não haja mais brechas: Arquivo X, por exemplo, que retornou 14 anos depois de seu último episódio para uma temporada mais curta de apenas seis episódios, poderá concorrer somente como Melhor Série Dramática. A questão aqui é que, antes da inclusão dessa nova regra de reboots, séries com seis episódios ou menos com arcos de início, meio e fim, eram definidas como minisséries e ponto.

Não é mais o caso. Agora, séries que foram preestabelecidas como série em anos anteriores, se retornarem para uma temporada com menos de seis episódios, ainda serão definidas como série e não minissérie. Somente quando um programa retornar para apenas um ou dois capítulos ele poderá ser definido como telefilme ou minissérie, respectivamente.

Por causa das inúmeras variáveis que a programação televisiva proporciona, é muito complicado criar diretrizes para o Emmy. São diversas possibilidades e probabilidades e sempre haverá alguma brecha a ser aproveitada por alguém em algum segmento somente para ganhar um prêmio. Mas a abertura da Academia a mudanças em suas regras prova que eles sabem que estão errando constantemente (como Orange is the New Black indicada a Melhor Comédia em vez de Drama e True Detective a Melhor Série Dramática em vez de mini) e precisam melhorar seu sistema - que é aperfeiçoado a cada ano.