DVD e Blu-ray

Crítica

Crítica: Band of brothers

DVD: Band of brothers

Érico Borgo
05.12.2002
00h00
Atualizada em
21.09.2014
13h13
Atualizada em 21.09.2014 às 13h13

Há pouco mais de um mês, eu estava indo para uma reunião no Rio de Janeiro e acabei comprando por impulso o livro O Dia D, de Stephen E. Ambrose, na livraria do aeroporto. Comecei a leitura esperando o vôo e em menos de cinco minutos já havia sido fisgado.

A obra, um documentário baseado em conversas com veteranos do Dia D, documentações, diários e registros militares, é o trabalho da vida de Ambrose, diretor do Centro Eisenhower, da Universidade de Nova Orleans, entidade dedicada à preservação da memória da Segunda Guerra Mundial.

Band of Brothers

None

Band of Brothers

None

Band of Brothers

None

Band of Brothers

None

Band of Brothers

None

Foi só quando cheguei em casa e comecei a tagarelar sem parar para a minha namorada sobre a recente aquisição, que caiu a ficha... Ambrose também é o escritor do bestseller Band of Brothers, livro que inspirou Steven Spielberg e Tom Hanks a darem continuidade à sua dramatização cinematográfica de fatos históricos, iniciada em 1998 com O Resgate do Soldado Ryan (Saving Private Ryan).

Imediatamente, comprei a caixa especial de Band of Brothers e comecei a maratona de DVDs. Doze horas depois (claro que divididas em alguns dias), posso afirmar com tranqüilidade que foi o melhor filme a que assisti em 2002.

A série de televisão

Depois de dois anos de produção, Band of Brothers finalmente foi exibida em 2001 pelo canal a cabo HBO, co-responsável pelo projeto. Como resultado, a mini-série dividida em dez episódios recebeu este ano seis prêmios Emmy. O DVD reúne todos os capítulos da série, mais um disco só de extras, totalizando nada menos do que treze horas e vinte minutos (!) de vídeo.

Band of Brothers, conta a história da Companhia Easy, 506º Regimento da 101ª Divisão de pára-quedistas do exército norte-americano. A história começa em 1942, quando o exército norte-americano decide recrutar voluntários para uma arma que poderia decidir os rumos da guerra: uma divisão de soldados capazes de saltar atrás das linhas inimigas e combater a partir do interior da Europa.

Influenciados por um artigo que havia sido capa da revista Time, durante quinze meses os soldados da Companhia Easy foram submetidos a um dos mais rigorosos treinamentos da história militar norte-americana. O resultado foi um grupo de elite, homens com estreitos laços de amizade e companheirismo, além de uma habilidade notável para o combate.

Em setembro de 1943, a 506 foi transferida para a Inglaterra, como parte dos preparativos da maior mobilização bélica já ocorrida na história da humanidade, o Dia D, ocorrido em 6 de junho de 1944.

>Enquanto O resgate do Soldado Ryan mostrou a invasão anfíbia dos exércitos aliados na costa da Normandia, Band of Brothers acompanha a invasão no interior da França. O objetivo dos pára-quedistas era liberar corredores de ligação para impedir um possível contra-ataque alemão às costas. Tais eventos são mostrados no capítulo 2 - O dia dos dias - escrito por John Orloff - Dirigido por Richard Loncraine -, que consegue ser superior aos excepcionais primeiros trinta minutos de O resgate do soldado Ryan.

Depois disso, a Easy, que teve um dos maiores números de baixas de todas as companhias aliadas, combateu na malfadada operação tática Market Garden (episódio dirigido pelo próprio Tom Hanks), defendeu posições na sangrenta batalha de Bulge (a maior ofensiva alemã na Bélgica), invadiu a Alemanha e finalmente rendeu o quartel-general de Adolf Hitler, o ninho da águia, em Berchtesgaden.

Produção

Trata-se, sem dúvida, de uma das melhores reconstituições de época que já vi. Spielberg e Hanks souberam aproveitar suas pesquisas e as tecnologias desenvolvidas para O resgate do Soldado Ryan, aprimorá-las e criar algo ainda mais impressionante do que o filme de 1998. É interessante comparar as imagens de arquivo existentes no DVD, incluindo as fotos dos homens que lutaram na Easy (alguns ainda estão vivos e ajudaram no desenvolvimento do filme), e as cenas finais. São praticamente idênticas.

A preocupação com a acurácia visual, comportamental e histórica foi tanta, que os próprios atores passaram por árduo treinamento militar e tiveram que tratar uns ao outros pelo seu nome no filme. A idéia era tentar recriar da melhor maneira possível os laços de irmandade da Companhia. Imagino que xingar os instrutores em um treinamento militar de verdade faça com que você vá parar na cadeia, disse um dos atores. Mas aqui é muito pior... reclame para um instrutor e ele chamará o Tom Hanks e o Spielberg, concluiu.

O filme custou 120 milhões de dólares e foi rodado na Inglaterra, em um estúdio adaptado para parecer oito cidades européias diferentes. Boa parte do armamento utilizado era real, relíquias da Segunda Guerra, e alguns tanques e veículos foram construídos adaptando-se nos mínimos detalhes equipamentos mais recentes. Claro que a computação gráfica exerceu papel fundamental, mas é absolutamente imperceptível durante toda a produção.

Extras

O DVD de extras começa com o documentário Sozinhos, mas juntos - Os homens da companhia Easy. Trata-se de uma coleção de depoimentos em vídeo dos sobreviventes da Easy, intercalada com fotos e filmagens da época.

O impressionante making-of também é algo que não dá para perder. Todos os processos de criação dos sets de filmagens são revelados, mostrando em detalhes como eram feitas as explosões, efeitos especiais de estúdio etc. Para uma visão mais intimista do making-of, há também os diários em vídeo do ator Ron Livingston (2º tenente C. Carwood Lipton), que gravou, a pedido da HBO, todas as suas memórias da produção desde o treinamento.

A última informação especial da caixa é a filmagem da pré-estréia de Band of Brothers. Parte da mini-série foi exibida para convidados, incluindo todos os veteranos da Easy, no local do desembarque das forças aliadas na Europa, a praia Omaha. Emocionante.

Enfim, se você pretende comprar apenas um DVD nos próximos meses, minha recomendação máxima é Band of Brothers. Todavia, caso você não tenha gostado do comecinho de O resgate do Soldado Ryan, pode esquecer! Já aviso que a palavra que é mais gritada durante a série inteira é mediiiiiiiiic!!!

BOX DVD: Band of Brothers
Prod. executiva:
Tom Hanks e
Steven Spielberg

LIVRO: O Dia D
Stephen E. Ambrose
Bertrand Brasil

DVD: O Resgate do Soldado Ryan
Dir. Steven Spielberg
1998
Nota do Crítico
Bom