Batman & Robin

Créditos da imagem: DC Comics/Reprodução

Filmes

Lista

Superman, Lanternas Verdes e mais: os 10 primeiros projetos do novo DCU

Intitulado "Deuses e Monstros", primeiro capítulo ainda inclui filme solo da Supergirl

Omelete
7 min de leitura
31.01.2023, às 14H09
ATUALIZADA EM 01.02.2023, ÀS 09H44
ATUALIZADA EM 01.02.2023, ÀS 09H44

Depois de meses de expectativa, James Gunn e Peter Safran, os co-CEOs da DC Studios, anunciaram as primeiras 10 produções do novo DCU, entre as quais o reboot de Superman, um projeto focado em Batman & Robin e até um filme do Monstro do Pântano.

Condensado em capítulos, o novo universo compartilhado dá seu pontapé com o Capítulo 1: Deuses e Monstros, na qual já pretende apresentar uma visão de universo unificada, abarcando tanto filmes, quanto séries, conforme revelou Gunn em vídeo

Os chefões do estúdio garantem que este é só o começo, inclusive do Capítulo 1, porque haverá mais produções. 

Confira todos os títulos revelados a seguir:

 

CREATURE COMMANDOS (SÉRIE DE TV)

Comando das Criaturas
DC Comics/Reprodução

O projeto que inaugura o DCU é a série animada do Comando das Criaturas, produção inspirada no quadrinho que apresentou ao universo da editora vampiros, zumbis e lobisomens. Velhos conhecidos dos fãs darão as caras por lá, como o Doninha, do novo Esquadrão Suicida, além de figuras inéditas, como é o caso da Noiva do Frankestein, a protagonista do projeto. Os demais personagens confirmados são: Rick Flag Sr., Nina Mazursky, Dr. Phosphorus, Eric Frankenstein e G.I. Robot.

A trama terá ecos de Esquadrão Suicida, já que a premissa parte da Amanda Waller novamente reunindo uma equipe inusitada, dessa vez formada apenas por monstros. Mas, de acordo com Safran, "os roteiros são incríveis". Então, se prepare para surpresas!

O detalhe mais interessante do projeto é o fato de que a animação dará origem a um live-action, que por sua vez levará novamente para a animação. Essa dinâmica de vai-e-vem entre mídias poderá ser replicada com os demais projetos em animação no futuro, segundo Gunn. Mas, ao menos no caso do Comando das Criaturas, a ideia é que o elenco de dubladores também estrele o live-action. Ou seja, Sean Gunn já tem presença garantida no futuro do DCU.

Serão sete episódios no total, todos assinados por Gunn. A série já está em produção.

WALLER (SÉRIE DE TV)

Viola Davis como Amanda Waller
Warner Bros./Divulgação

O derivado focado em Amanda Waller permanece nos planos do DCU, confirmando o retorno da atriz Viola Davis ao papel. A série será lançada no intervalo entre a primeira e a segunda temporada de Pacificador, já que Gunn esteve ocupado escrevendo Comando das Criaturas e o novo Superman. Mas, detalhe interessante, ela terá os os mesmos atores da sua série-mãe. "É uma continuação de Pacificador", informou o co-CEO.

Waller terá roteiro de Chrystal Henry, de Watchmen, e Jeremy Carver, de Patrulha do Destino

SUPERMAN LEGACY (FILME)

Superman
DC Comics/Reprodução

Depois do que a dupla chamou de "aperitivo", o DCU levará novamente o Homem de Aço para os cinemas. Intitulado Superman Legacy, o novo longa não será uma história de origem, como já fora adiantado meses atrás. "[O filme] foca no Superman equilibrando sua herança kriptoniana com sua criação humana", descreveu Safran. "Ele personifica a Verdade, a Justiça e o American Way. Ele é a bondade em um mundo que a considera antiquada".

Um dos poucos projetos com data definida, o longa tem previsão de estreia para 11 de julho de 2025. O projeto segue sem diretor, mas Safran diz querer persuadir Gunn para assumir a cadeira. 

LANTERNS (SÉRIE DE TV)

Lanternas Verdes
DC Comics/Reprodução

Um dos projetos mais aguardados pelos fãs, a série dos Lanternas Verdes finalmente vai sair do papel. No entanto, não se trata da história idealizada por Greg Berlanti, que teria Finn Wittrock e Jeremy Irvine. Na realidade, em vez de ir para um lado ópera espacial, como era o plano originalmente, Lanterns terá um tom mais na linha de True Detective, com Hal Jordan e John Stewart lidando com mistério aqui na Terra.

"É um evento gigantesco com qualidade de HBO. Já está em desenvolvimento", afirmou Safran. "[A produção] tem um papel importante dentro da grande história que estamos contando nos nossos filmes e séries".

THE AUTHORITY (FILME)

The Authority
DC Comics/Reprodução

O DCU vai incorporar personagens do selo Wildstorm com The Authority, longa baseado nos quadrinhos de Warren Ellis e Bryan Hitch do final dos anos 1990. Diferentemente de figuras como o Superman, estes são personagens dispostos a cumprir a missão independentemente dos meios necessários, e essa área cinzenta da sua índole certamente dará as caras no novo universo compartilhado.

"O DCU não terá só a história de heróis e vilões, e nem todo filme e série será sobre o bonzinho contra o malvado", explicou Gunn. "[...] Há [também] anti-heróis e pessoas muito questionáveis, como The Authority, que basicamente acredita que você não consegue consertar o mundo de uma maneira fácil, e resolvem as coisas pelas próprias mãos".

Muito conectada ao Superman, The Authority é um exemplo da estratégia por trás do DCU: "usar as propriedades mais aclamadas para lançar outras menos conhecidas", disse Gunn, comparando o movimento ao que ele fez com Guardiões da Galáxia. "Eu sei que é uma ideia espetacular para um filme e com uma abordagem completamente diferente dos super-heróis".

PARADISE LOST (SÉRIE DE TV)

Amazonas em Mulher-Maravilha
Mulher-Maravilha/Warner Bros/Reprodução

Enquanto o destino de Mulher-Maravilha 3 parece incerto, as amazonas ganharão destaque no DCU com a série Paradise Lost. Ambientada em uma Themiscyra anterior ao nascimento de Diana Prince — ou seja, nada de Gal Gadot —, a produção explorará as intrigas políticas com uma pegada à la Game of Thrones.

Além disso, Paradise Lost explorará a origem desta ilha, habitada apenas por mulheres. "Quais são as verdades belas e feias por trás disso tudo? E como são os jogos de poder entre os diferentes players desta sociedade?", desenvolveu Gunn. 

Apesar da ausência da Mulher-Maravilha, o título da produção pode sugerir uma adaptação livre das HQs Paradise Island Lost, de Phil Jimenez e George Pérez, que retrataram uma guerra civil em Themiscyra. Vale notar, porém, que nem Gunn, nem Safran mencionaram os quadrinhos neste primeiro momento.

THE BRAVE AND THE BOLD (FILME)

Batman & Robin
DC Comics/Reprodução

À parte do universo do Homem-Morcego do diretor Matt Reeves — que, vale ressaltar, está fora dessa continuidade —, o DCU adaptará em filme a fase aclamada de Grant Morrison à frente de Batman & Robin e Corporação Batman. Intitulado The Brave and the Bold, o longa introduzirá a Bat-família, incluindo o filho do herói, "o nosso Robin preferido, Damian Wayne, um assassino filho da mãe", definiu Gunn.

Na trama, o Batman não soube da existência de Damian por quase uma década da sua vida e, por isso, The Brave and the Bold é uma "história muito estranha entre pai e filho", segundo o co-CEO. A produção ainda está em desenvolvimento, e a busca pelo ator para o papel do herói está em andamento.

BOOSTER GOLD (SÉRIE DE TV)

Gladiador Dourado
DC Comics/Reprodução

Adorado entre os fãs de quadrinhos, o Gladiador Dourado terá sua própria série na HBO Max, um projeto que promete ser a comédia assumida do DCU. Segundo Safran, a produção acompanha "um perdedor do futuro que usa tecnologias básicas do futuro para voltar para o presente e fingir ser um super-herói". Ou, como Gunn bem disse, "a síndrome de impostor como um super-herói".

Nas HQs, Mike Carter é uma antiga estrela do futebol americano do século XXV que usa uma máquina do tempo em exposição no Museu do Espaço em Metropolis.

SUPERGIRL: WOMAN OF TOMORROW (FILME)

Supergirl: A Mulher do Amanhã
DC Comics/Reprodução

A Supergirl é outra personagem que terá destaque no DCU, com a adaptação da HQ Supergirl: A Mulher do Amanhã, assinada por Tom King e com artes da brasileira Bilquis Evely. Trata-se de uma viagem espacial acompanhando a heroína, um cachorro —Kripto — e uma jovem em busca de vingaba

Mas, segundo Gunn, a personagem pode ser "um tipo bem diferente" do que os fãs estão esperando. "No nosso DCU, vemos a diferença entre o Superman, que foi enviado à Terra e criado por pais carinhosos desde a infância, e a Supergirl, que foi criada em um pedaço de rocha de Kripton e viu todos à sua volta morrerem ou serem assassinados nos primeiros 14 anos da sua vida". Gunn chegou a usar o termo "hardcore" para defini-la.

SWAMP THING (FILME)

Monstro do Pântano
DC Comics/Reprodução

O Monstro do Pântano também terá um filme para chamar de seu, investigando as origens sombrias do personagem e, portanto, indo mais em direção ao horror. "Este é um filme bem mais de terror, mas veremos o Monstro do Pântano interagindo com outros personagens", explicou Gunn.

Tanto ele, quanto Safran usaram o longa como exemplo de como o DCU, embora um universo coeso em si mesmo, terá variedade de tons. "Cada cineasta trará sua própria estética para os filmes, e o mais divertido será ver como esses trabalhos tão diferentes em termos de tom vão se encontrar no futuro".

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.