HQ/Livros

Artigo

DC Comics - Os Novos 52 | Comic-Con 2011 [ATUALIZADO]

Editora explica reformulação aos seus leitores em San Diego

Érico Borgo
22.07.2011, às 21H48
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H36
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H36

Um dos painéis pelos quais eu estava mais ansioso nesta Comic-Con 2011 era o da DC Comics. Afinal, de quinta a domingo, a editora realizará apresentações intituladas "The New 52", dedicadas à reformulação editorial de seu universo e, como os fãs andam absolutamente revoltados com as novidades, imaginei que alguns conflitos poderiam acontecer nesses painéis. Ao final, porém, fiquei com a certeza de que fã corajoso só é assim quando está escondido atrás do anonimado das seções de comentários... Ao vivo, mesmo os mais irritados com o relançamento da DC foram bastante comportados e debateram sem qualquer alteração digna de nota. Mais discussões eram esperadas, mas o tom das perguntas foi muito amigável e conciliador. Nem sinal das prometidas manifestações anti-DC...

O publisher da DC Dan DiDio foi o mediador do painel e chamou à mesa os quadrinistas Bob Harras, Eddie Berganza, Dan Jurgens, Paul Levitz, Paul Cornell, Cliff Chiang, Freddie Williams III e Scott Lobdell. DiDio começou perguntando ao público "por que vocês estão assustados e nervosos com as mudanças?". Algumas pessoas expuseram suas preocupações e o editor tentou explicar os motivos que levaram a empresa à decisão.

"Estamos montando um universo melhor, mais acessível e mais vibrante. Numeração não importa se não há conteúdo para preencher essas edições. Queremos ampliar o mercado e torná-lo mais forte do que ele jamais foi. Estamos pedindo muito de vocês, nós sabemos, mas esperem pelas primeiras edições", pediu o publisher.

Nova DC Comics

None
Batwing

Nova DC Comics

None
Batman

Nova DC Comics

None
Legião dos Super-Heróis

Nova DC Comics

None
Liga da Justiça Internacional

Nova DC Comics

None
Mulher-Maravilha

Nova DC Comics

None
Mulher-Gato

Nova DC Comics

None
Capitão Átomo

Nova DC Comics

None
Capuz Vermelho

DiDio seguiu explicando que a DC buscou as versões mais reconhecíveis possíveis de seus personagens. Um exemplo é Barbara Gordon, que voltou a ser a Batgirl. Mas haverá exceções, como Damien, que permanecerá como Robin (ainda com que os outros três ex-Robins continuem em atividade). Personagens com mais diversidade étnica também foram criados.

Outro detalhe interessante é que não haverá referências às edições e histórias que aconteceram no passado. Toda a mitologia necessária para entender as HQs virá das próprias edições, tornando tudo muito mais acessível aos novos leitores. A cronologia foi zerada, portanto.

Leia abaixo alguns detalhes comentados no painel:

  • Liga da Justiça Internacional - Dan Jurgens disse que pela primeira vez teremos a Liga da Justiça como uma equipe sancionada pela ONU. Gladiador Dourado será o líder.
  • A origem da Mulher-Maravilha não será contada novamente. A primeira história falará sobre uma personagem chamada Zola, que irritou os deuses. A heroína ganhou um estilo mais enérgico e os vilões serão deuses ainda, mas estão bem diferentes e modernizados. A polêmica das calças da discórdia não foi discutida, mas os quadrinistas disseram, brincando ou não, que a roupa dela será retrátil agora.
  • Sobre o Capitão Átomo os quadrinistas disseram que ele será "um personagem com poderes semelhantes aos de um deus tentando entender sua própria realidade. As ilustrações serão finalizadas de maneiras diferentes. O ambiente com nanquim e o personagem principal com pincel, isolando-o do cenário e representando sua estranheza".
  • Um dos títulos que mais passou por mudanças foi Teen Titans. A DC quis que os personagens tivessem um recomeço e visuais completamente diferentes dos que já tiveram anteriormente.
  • Outro que seguirá caminhos novos é o Arqueiro Verde. O herói voltará a ser um empresário e sua tecnologia foi aperfeiçoada - ele está mais poderoso e tem vilões muito mais fortes dos que teve antes.
  • Demon Knights será uma série de super-heróis medievais. Etrigan, Vandal Savage, Madame Xanadu, Shining Knight e novos personagens, como a Horsewoman - inspirada em Oráculo (paraplégica, ela só anda a cavalo) - estarão na HQ ambientada na Idade Média. "Uma HQ para fãs de Dragon Age e Game of Thrones".
  • Sobre Stormwatch DiDio começou afirmando "sim, ele ainda são gays". Ele, claro, refere-se ao casal Apolo e Meia-Noite. O grupo foi descrito como uma a equipe de profissionais que lidam com os problemas que ninguém quer mais lidar. "Eles não gostam de super-heróis e as aventuras são cheias de sci-fi e monstruosidades gigantescas. Eles. literalmente, enfrentarão a Lua. Jenny Q, Jack Hawksmoor, Engenheiro... haverá vários personagens de Authority e Stormwatch nele".
  • Diversidade em um universo complexo é a premissa de Legião dos Super-Heróis. A HQ começará acompanhando apenas um personagem, com temas simples, e ganhará complexidade depois.
  • A Família Marvel (Shazam) ganhará títulos na próxima leva de reestruturação. Por enquanto eles estão estudando o que fazer pois a propriedade intelectual precisa ser alinhada com o restante da Warner Bros.
  • Não haverá crossovers por um bom tempo. Cada título terá que funcionar individualmente primeiro. Só depois existirão encontros.
  • Os 52 novos quadrinhos são apenas um limitador de séries mensais. Minisséries e edições especiais continuarão, mas a empresa quer manter menos títulos mensais nas lojas e cuidar para que não existam mais atrasos.
  • Algumas séries serão ambientadas no passado e futuro, mas a grande maioria delas acontecerá no presente. A DC espera mostrar diversos ângulos de seu universo com isso.
  • Haverá apenas um título do Flash, que será Barry Allen. A ideia é mostrar como pensa, age e reage um homem capaz de correr perto da velocidade da luz.

A seguir, as equipes criativas dos títulos ligados ao universo de Batman subiram ao palco. O editor Mike Marts apresentou os quadrinistas David Finch, Greg Hurwitz, Scott Snyder, Peter Tomasi, Scott Lobdell, Judd Winick, Gail Simone, Kyle Higgins, Chris Burnham, Rachel Gluckstern e Grant Morrison, que comentaram brevemente seus títulos.

  • A Mulher-Gato ganhará uma HQ "sexy, violenta, sexy, sexy, sexy".
  • Nightwing - Depois de ser o Batman por alguns meses, Dick Grayson, o Asa Noturna, nunca teve tanta atenção quanto agora. Ele terá seu passado explorado e o trabalho do brasileiro Eddy Barrows foi citado como "cheio de energia, para demonstrar o quão acrobático é o herói".
  • A "nova" Batgirl será jovem, saindo do colegial, e está se recuperando de um trauma.
  • Batwing, o Batman africano, tem uma história de origem horrível e traumática. Um vilão será apresentado, Massacre, e Batman estará na história não como um mentor, mas um "patrocinador".
  • Capuz Vermelho - Haverá uma nova direção para Jason Todd, menos sombria.
  • Batman & Robin terá ênfase na dinâmica de pai e filho super-heróis.
  • Batman Inc. - Grant Morrison disse que a guerra para a qual Batman esteve se preparando esse tempo todos para travar vai começar.
  • No título Batman o herói descobrirá a história de Gotham e o passado da família Wayne.
  • Pinguim - A minissérie será uma amostra de como os vilões serão tratados na reformulação: fiéis às suas raízes, mas acessíveis ao novo público.
  • Quase todos os títulos terão novos vilões.

[ATUALIZADO]

  • Num preview liberado durante a convenção, duas páginas da nova Superman revelam o novo namorado de Lois Lane - e o primeiro encontro do casal com Clark Kent. A prévia também indica que Lois agora é repórter de TV. Confira na galeria.

  • Arsenal/Roy Harper é um dos personagens que perde todo seu passado. Vai voltar a ter os dois braços, nunca teve uma filha e nunca usou drogas.

  • Outra que perdeu a filha é a Mulher-Gato: a menina Helena não vai mais existir na nova série da gatuna, por Judd Winick.

  • A série T.H.U.N.D.E.R. Agents, que vinha fazendo sucesso de crítica, vai ser interrompida na décima edição com o "fim" de todas as séries DC em agosto. Mas volta como minissérie em novembro, em seis capítulos. Nick Spencer volta aos roteiros, tendo Wes Craig como desenhista principal - desenhista convidados farão os flashbacks e interlúdios que já fazem parte da estética da série. Andy Kubert fará todas as capas.
  • A sequência de Batman Inc., que ainda não tem data para começar, será uma minissérie em 12 capítulos que Grant Morrison está chamando de Batman: Leviathan (Leviatã é o nome da organização que a Corporação Batman enfrenta na história). O escritor diz ainda que o foco será a relação entre Bruce Wayne e Damian Wayne, que nunca atuaram juntos como Batman e Robin, e que os leitores vão chorar muito. Além disso, será a conclusão das Bat-histórias que Morrison vem escrevendo desde 2006.
  • Na renovada série Batman: The Dark Knight, o escritor/desenhista David Finch vai colaborar com Paul Jenkins nos roteiros, tentando assegurar o respeito aos prazos. Lançada em dezembro, a série só teve três números lançados até o momento.

Algumas horas antes de San Diego, Dan DiDio ainda respondeu dúvidas dos fãs via Facebook. Entre as notícias:

  • A DC perdeu os direitos sobre os personagens da linha Red Circle, que tentou integrar a seu universo de heróis alguns anos atrás.
  • A Sociedade da Justiça não volta, por enquanto, à nova DC. "A resposta oficial é: eles estão descansando."
  • Dark Knight, Boy Wonder, a sequência de All-Star Batman & Robin por Frank Miller e Jim Lee, não tem data para sair. "Sai quando Robin já for adolescente", brincou DiDio.

Encerrando o painel, DiDio disse que "mudanças, retcons, evolução são parte da indústria. É por isso que a DC está aí há 70 anos. O que importa é a qualidade".

Leia a cobertura completa da Comic-Con 2011

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.