Batman Despertar

Créditos da imagem: DC/Spotify/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Batman Despertar | Elenco comenta criação do Cavaleiro das Trevas “brasileiro”

Rocco Pitanga, Camila Pitanga e Tainá Müller estrelam nova audiossérie da DC no Spotify

Omelete
5 min de leitura
Nico Garófalo
02.05.2022, às 16H17

Fruto da parceria da DC Comics com o Spotify, Batman Despertar chega nesta terça-feira (3) à plataforma de áudio, trazendo uma aventura inédita do Cavaleiro das Trevas criada por David S. Goyer (Trilogia O Cavaleiro das Trevas). Com lançamento mundial, a série ganhou uma adaptação brasileira, comandada por Daniel Rezende e Marina Santana e estrelada por Rocco Pitanga, Camila Pitanga e Tainá Müller. Em coletiva de imprensa que contou com a participação do Omelete, o trio de protagonistas falou sobre o processo de levar o Cruzado Encapuzado ao mundo do podcast roteirizado.

Responsável por dar voz ao Cavaleiro das Trevas em Despertar, Rocco revelou que precisou redescobrir os limites da própria voz para encontrar o tom perfeito para o seu Batman. “Para o teste, eu tinha feito um trabalho para tentar suavizar minha voz, porque minha voz é grave, né? E o [Daniel] falou, não, vamos tentar só botar um pouco mais grave do Bruce, porque a atmosfera é mais sombria”. Esse processo ao lado de Rezende fez com que Rocco deixasse a voz de Bruce Wayne até mais grave do que a que ele já havia idealizado para o Homem-Morcego. “[Perguntei] ‘e agora, o que eu faço com o Batman?’ Ele falou ‘a gente vai construir isso junto, a gente vai chegar nesse lugar”.

Assim como já aconteceu com outros intérpretes do herói, incluindo Christian Bale e Robert Pattinson, Rocco chegou a sobrecarregar as cordas vocais tentando manter o tom grave do Batman, mas foi “salvo” por Marô, a fonoaudióloga que auxiliou na produção. “Ela forneceu um canudo, que a gente assopra ele ajuda no aquecimento do vocal e no desaquecimento também, que é muito importante”, explicou o ator.

Por mais complicado que tenha sido o processo de Rocco, ele claramente valeu a pena, com o ator inclusive deixando a irmã, Camila, que vive Kel, impressionada. “Quando veio a voz do Batman, gente, é um negócio… É uma voz que não é humana! Falei ‘gente, botou sintetizador?’. É um outro [nível de] grave”, disse a atriz, antes de se derreter com o talento do irmão. “Meu irmão tem uma voz muito bonita. Aliás, é da família”.

Mais conhecida por seus trabalhos nos palcos e nas novelas, Camila também passou por uma adaptação ao criar sua personagem e o mundo que a cerca. Sua maior dificuldade, no entanto, foi prática. Acostumada a fazer anotações em versões impressas de roteiros, ela precisou se virar para mudar as páginas sem deixar vazar o barulho dos papéis. “Eu sou a analógica do grupo. Tinham oferecido para todos e pro elenco um iPad. ‘Cê faz [um movimento com o dedo] para não ter som. Não dá para mim, gente, preciso de papel, preciso anotar, preciso riscar…”, contou a atriz, relembrando os complicados movimentos que precisou fazer para gravar suas falas ao mesmo tempo em que trocava as páginas de seu roteiro.

Foi o trabalho mais visceral que eu já fiz”, disse Tainá, brincando com os barulhos involuntários que o corpo fazia em momentos de fome. A atriz de Bom Dia, Verônica, que em Despertar dá voz à Barbara Gordon, contou também que é muito fã do Batman e que torce para que a série ganhe novas temporadas para poder interpretar outras faces da heroína. “A Barbara Gordon é três personagens (...). Primeiro ela é a Barbara, depois ela é a Batgirl e aí ela vira Oráculo. Então, estou ansiosíssima pras próximas temporadas e para ver o que vem por aí”.

Um Batman diferente

Assim como o elenco de voz original, liderado por Winston Duke (Pantera Negra), a versão brasileira de Batman Despertar também conta com um ator negro vivendo o Cavaleiro das Trevas. Embora a cor da pele não seja necessariamente vista por quem acompanha a audiossérie, a presença de Rocco Pitanga como Bruce Wayne foi muito celebrada pelo elenco. “A Spotify é uma empresa grande, né? Tem um alcance bem forte, grande influência do mercado e trazer o Batman negro, eu acho que isso ajuda na ocupação, no empoderamento, na autoestima… Por que o Batman não poderia ser negro? É um personagem comum, com uma dor comum e que luta para defender o coletivo da humanidade. Então, trazer o Batman quebrando esse lugar estereotipado do homem negro, acho que é um grande passo que é dado”, disse o ator, reforçando que o formato de Despertar não limita a forma como o ouvinte imagina o Homem-Morcego.

A cor da pele não é a única novidade nesta versão do Batman. Trabalhando o conceito do multiverso, que já é usado pela DC há quase 60 anos, o roteiro de Goyer traz um Bruce Wayne patologista, que veste a capa e o capuz após o serial killer Ceifador (Hugo Bonemer) atacá-lo em seu trabalho. “É uma provocação que embaralha a história de origem do Batman. Então tem o primeiro momento que eu fico imaginando que, quem é [fã], vai até brigar com o Spotify”, brincou Camila. “Só que depois desse bug, é muito interessante que esse mergulho que a gente faz na mente do Batman, desarrumando tudo; é muito legal para depois [reconhecer o personagem das páginas]”.

Abordando temas mais modernos, incluindo a discussão sobre neurodireitos (estrutura jurídica de direitos humanos e individuais ligados ao avanço da neurotecnologia), Batman Despertar mostra como o personagem octogenário segue relevante. “É uma atualização do Batman em vários níveis”, afirmou Tainá, dizendo que a forma como o roteiro toca nesses avanços - e suas consequências - é “alucinante”.

De acordo com a sinopse, Batman Despertar seguirá Bruce Wayne sem memória alguma de que um dia ele foi o Cavaleiro das Trevas. Com o Ceifador aterrorizando Gotham, não há quem salvar a cidade. Wayne é um patologista forense, e está começando a autópsia no corpo da mais recente vítima do serial killer quando é atacado pelo próprio vilão.

Bruce fica cada vez mais obcecado com o assassino, e o Dr. Thomas Wayne, chefe do Hospital de Gotham City, determina que o filho precisa se afastar do trabalho para iniciar terapia com Dr. Hunter, um estranho psicólogo. Sem poder contar com Batman, Barbara Gordon precisa da ajuda do segundo detetive mais inteligente de Gotham: O Charada.

Batman Despertar chega ao Spotify em 3 de maio de 2022.

O Omelete agora tem um canal no Telegram! Participe para receber e debater as principais notícias da cultura pop (t.me/omelete).

Acompanhe a gente também no YouTube: no Omeleteve, com os principais assuntos da cultura pop; Hyperdrive, para as notícias mais quentes do universo geek; e Bentô Omelete, nosso canal de animes, mangás e cultura otaku.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.