Aquaman

Créditos da imagem: Warner Bros./Divulgação

Filmes

Artigo

Aquaman and the Lost Kingdom | Título pode fazer referência a HQ dos anos 1960

Passagem do primeiro filme cita Reino Perdido, mas deixa seu destino em aberto

Nico Garófalo
13.06.2021
15h02
Atualizada em
13.06.2021
15h13
Atualizada em 13.06.2021 às 15h13

Na última quinta-feira (10), o diretor James Wan revelou o nome completo de seu novo longa do DCEU: Aquaman and the Lost Kingdom. Por um instante, o título parecia uma simples referência a Atlântida, comumente referida como “Reino Perdido” e dando a entender que a produção mostraria o personagem de Jason Momoa tendo que lidar com suas responsabilidades como rei da nação submarina. Uma HQ relativamente esquecida dos anos 1960, unido a algumas pistas já dadas por Wan, pode dar um pouco mais de contexto para a trama do longa.

Antes de mais nada, é preciso lembrar de uma rápida passagem do primeiro Aquaman, quando o Rei Orm (Patrick Wilson) e o Rei Nereus (Dolph Lundgren) falam sobre os sete reinos que formavam o antigo império de Atlântida e que Orm pretendia reunir para atacar a superfície. No longa, conhecemos, além do povo de Arthur, Xebel, o Reino dos Pescadores, a Trincheira, as Salmouras, o Reino dos Desertores e o Reino Desaparecido. Destes sete, sabemos o destino de seis: Atlântida e Xebel prosperam, os Pescadores evoluíram ainda mais ao seu ambiente aquático e adquiriram mais características de peixes, o povo das Salmouras se tornou perigosos crustáceos e o da Trincheira regrediu a monstros incapazes de fala e raciocínio. Os Desertores, por sua vez, pereceram quando seu reino secou e se tornou o Saara. O único cujo destino segue desconhecido é o Reino Desaparecido, que não foi mais mencionado.

A primeira pista sobre ele veio em março deste ano, quando foi revelado que o título de produção da sequência era Necrus, referência a uma história publicada em Aquaman #30, de 1966, que trazia Necrus, a Cidade Negra, um misterioso reino submarino que aparece por curtos períodos de tempo no mundo material. Governada por Mongo, essa nação hipermilitarizada não tolera a sociedade da superfície e entra em guerra com Atlântida por sua aliança com a Terra.

Embora títulos de produção sejam criados para despistar paparazzi e outros tipos de olhos curiosos, eles também costumam trazer algumas pistas do que os estúdios guardam para os fãs. Neste caso, existe uma possibilidade grande de Wan, que se apoiou quase inteiramente nos Novos 52 em Aquaman, decida homenagear o passado da Era de Prata do herói em Aquaman and the Lost Kingdom, ao mesmo tempo em que resolve um dos mistérios deixados pelo primeiro filme.

Aquaman and the Lost Kingdom tem estreia marcada para 16 de dezembro de 2022. O primeiro filme, de 2018, alcançou a marca de US$1,13 bilhão na bilheteria mundial e, com isso, chegou ao 20º lugar no ranking de maiores bilheterias de todos os tempos.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.