Filmes

Notícia

A dura vida de Joaquin Phoenix até o Oscar

Retrato Omelete relembra a difícil trajetória do astro até sua consagração com Coringa

A cozinha
11.03.2020
20h13

Um dos maiores atores da atualidade, Joaquin Phoenix conseguiu seu primeiro Oscar com Coringa (2019). Apesar de ser respeitado pela indústria, ele conta com diversos problemas de bastidores e muitos deles se devem a uma vida bem difícil.

Quando tinha apenas três anos, seus pais decidiram entrar em um culto chamado Children of God (“crianças de Deus”, em tradução livre). Era 1977 e, na época, os pais do ator estavam procurando algum tipo de guia para educar os cinco filhos e acreditavam que esse poderia ser o melhor caminho a ser seguido. O envolvimento com a ceita chegou ao ponto da família aceitar se mudar para a América do Sul, mesmo sem falar espanhol fluentemente, para tentar participar ativamente do grupo. Porém, não demorou para perceberem que havia algo de errado.

O culto promovia o sexo como uma conexão direta com Deus e, por isso, obrigava mulheres a se prostituírem para conseguir novos seguidores. Era algo tão absurdo que River Phoenix, filho mais velho do casal, chegou a dizer que perdeu a virgindade com quatro anos - algo que mais tarde foi desmentido por Joaquin. Um dia, os pais de Phoenix receberam uma carta com alguma sugestão sexual e foi a gota d’água. Eles pegaram seus filhos, voltaram para os EUA e decidiram começar uma nova vida com um novo nome.

Até então, o sobrenome da família era Bottom, mas, com a mudança, eles decidiram mudar para Phoenix, alterando não só seus nomes, mas a história do cinema nas décadas seguintes.

Confira o resto da história de Joaquin Phoenix no Retrato Omelete, disponível no topo na página.