Filmes

Artigo

Batman V Superman, Mad Max e O Hobbit no mega painel da Warner Bros. | San Diego Comic-Con 2014

Estúdio exibiu teasers as suas produções em um super telão

Érico Borgo
26.07.2014
17h49
Atualizada em
29.06.2018
02h40
Atualizada em 29.06.2018 às 02h40

O mega painel da Warner Bros. começou com o pé na porta. O estúdio usou um super telão, que tomou quase a extensão completa da Sala H, com capacidade para 6.500 pessoas. A tela foi usada para apresentar animações estilizadas de cada filme do estúdio, começando com Zack Snyder e Batman V Superman: Dawn of Justice.

"Estávamos filmando ontem à noite, subimos em um avião e viemos pra cá", contou o diretor, sem dar qualquer informação sobre o longa que reunirá os dois maiores super-heróis da DC Comics. Logo em seguida, mostrou o primeiro teaser do filme. Batman descobre o batsinal, na chuva, entre relâmpagos e trovões. Ele veste a armadura da graphic novel O Cavaleiro das Trevas (de Frank Miller). Seus olhos brilham de energia e o sinal acende, revelando no alto o Superman, planando. Os olhos do Homem de Aço acendem com a visão de calor, a câmera mostra os dois se encarando e tudo termina. Ben Affleck (Batman), Gal Gadot (Mulher-Maravillha) e Henry Cavill (Superman) juntaram-se ao diretor, mas saíram sem falar nada. Minutos depois, Snyder publicou no Twitter a imagem em alta do figurino da Mulher-Maravilha.

Mulher-Maravilha

Igualmente breve foi a apresentação de O Destino de Júpiter, o novo filme dos irmãos Wachowskys. Channing Tatum falou rapidamente sobre como se sente satisfeito tendo trabalhado com os cineastas e introduziu um novo trailer. Foram cenas de ação longas, com perseguições aéreas, lutas com um corpulento réptil alado e informações sobre a trama, que envolve uma nobre alienígena reencarnada na Terra (Mila Kunis). O filme chega aos cinemas em fevereiro de 2015.

Acabado o trailer, foi revelado um vídeo de Charlize Theron, que apareceu dizendo que está filmando na África do Sul e que não pode vir a San Diego. "Ganhei na loteria ao poder trabalhar com George Miller. Quando soube que ele estava reinventando o mundo de Mad Max, achei que a ideia de trabalhar com ele e entrar nesse mundo seria uma excelente oportunidade que eu não podia perder". George Miller então subiu ao palco para falar de Mad Max: Fury Road: "A história deste filme surgiu na minha cabeça há alguns anos e eu não conseguia esquecê-la. Eu queria fazer uma longa perseguição, algo que eu considero uma forma pura de cinema - e ver como eu podia desenvolver personagens nela. Foi uma interessante e louca oportunidade de retornar a esse mundo", explicou sobre o seu retorno à franquia.

Para o diretor, 75% do trabalho de um diretor e resolvido na seleção de elenco: "Tom Hardy é o cara que eu estava esperando para trazer Max de volta e Charlize tem características perfeitas para a minha heroína", disse, contando que o filme foi gerado a partir de um storyboard com 3.500 quadros - "Minha série é um western sobre rodas. É ao mesmo tempo futurista e medieval, com o retrocesso da sociedade. É um faroeste em espírito, mas por algum motivo eu adoro destruir carros e eles estão ali, com um tecnologia velha". Sobre a troca de Mel Gibson por Tom Hardy depois dos problemas do ator, Miller foi elegante: "O que é carisma? E o que torna um astro um astro? Carisma extremo sempre vem acompanhado de uma qualidade adorável por um lado e perigosa por outro. Ele é paradoxal. E isso é um dos elementos do carisma. Tive muita sorte em trabalhar com ele".

Clique nas imagens para ampliar

madmaxMad-Max-Fury-RoadMad-MaxMd-Max

O primeiro trailer do filme veio a seguir, acompanhado por uma longa cena de ação. Nele, Max começa sendo aprisionado e perde seu Interceptor. É escravizado, tosado, tatuado e usado como troféu, amarrado na frente de um carro. Porém, pelo vídeo fica claro que Furiosa (Theron) será tão importante quanto Max no filme. Guerreira feroz, com uma garra metálica, cabelos curtos e o rosto pintado, ela definitivamente tem uma missão, que envolve garotas grávidas que parecem santas. As cenas de perseguição são grandiosas, cheias de veículos excêntricos e um vilão assustador, com longos cabelos brancos e uma máscara que parece a parte inferior de um crânio com dois tubos de respiração saindo dele. Trata-se de Joe Imortal.

O clipe com Max amarrado em um carro com um piloto kamikaze encerrou o vídeo. Ele ruma em direção a uma tempestade colossal de areia, com furacões e eletricidade, gasolina acesa espiralando e nenhuma visibilidade. O motorista mutante acelera o veículo em direção ao caos e espalha mais combustível, acendendo uma tocha. Mais uma explosão gigante e Max aparece, segundos depois, saindo da areia em câmera lenta, livre enfim. Ele e Furiosa se encontram pela primeira vez. A frase "2015 pertence ao louco" (2015 belongs to the Mad) termina a apresentação.

A seguir, o painel recebe uma montagem de O Senhor dos Anéis e O Hobbit, costurando tudo como uma grande saga. "É a celebração da Batalha dos Seis Filmes", brinca o apresentador Stephen Colbert - que fez piada com os tempos do primeiro filme, quando ainda duvidávamos de Peter Jackson e os "mortais" ainda riam de quem curtia Tolkien. Vários clipes com erros de gravação engraçadíssimos, com Ian McKellen dominando, foram apresentados. Há palavrões, esquecimentos e palhaçada nos sets. O vídeo terminou com um agradecimento aos fãs por embarcarem na jornada. Quando as luzes se acenderam, havia no palco uma reunião de elencos das duas trilogias, mais uma vez reforçando que são um filme apenas. Dividindo a mesa estavam Peter Jackson, Philippa Boyens, Elijah Wood, Lee Pace, Benedict Cumberbatch, Cate Blanchett, Orlando Bloom, Evangeline Lilly, Graham McTavis, Luke Evans e Andy Serkis.

"Ainda estamos trabalhando no filme. E ele nunca acaba, na verdade. Ainda estamos fazendo coisas intrincadas, cenas de batalha, animações de criaturas, captura de movimento... tem muita coisa acontecendo ainda", disse Jackson. "Nunca imaginei que isso tomaria um pedaço tão substancial da minha vida, mas sou muito grato por isso. A Ideia original era um filme de Hobbit e dois de Senhor dos Anéis, se o primeiro desse certo. As mudanças aconteceram organicamente. Seria chato se soubéssemos lá atrás exatamente o que aconteceria." Sobre o tom do longa, "Esse é menos cômico que os primeiros e chega mais perto do tom de O Senhor dos Anéis. E é sempre divertido poder matar uns personagens! Finalmente terei a chance neste aqui".

hobbit

O elenco dividiu histórias divertidas das filmagens, dando continuidade ao nostálgico painel. Uma das mais interessantes foi a de Evangeline Lilly, que contou que nunca leu as últimas 25 páginas de O Retorno do Rei, pois quis a vida inteira que a história não terminasse nunca. Já Andy Serkis disse que o papel de Gollum mudou sua vida, dando a ele a oportunidade de criar uma metodologia de trabalho, que guiaria sua carreira. "Eu achei que depois de Gollum minha carreira voltaria ao normal, mas não foi o que aconteceu. Eu vivo fascinado em poder viver criaturas tão distintas com essa coleção de habilidades que desenvolvi ao lado da Weta. Onde quer que você esteja pode interpretar o que quiser. É inacreditável. Uma jornada incrível".

O ponto alto foi o primeiro teaser trailer de O Hobbit - A Batalha dos Cinco Exércitos. O vídeo começa com Smaug devastando a Cidade do Lago e mostra o êxodo de seus moradores até a montanha dos anões, que a retomaram. Bard tem uma conversa dramática com Thorin. "Você tem a escolha a fazer: paz ou guerra?" - ao que o anão responde, determinado e enlouquecido pela ganância: "GUERRA!". A seguir vemos cenas da preparação dos exércitos, Galadriel beijando Gandalf caído e muita tensão e drama. A colagem é veloz e inclui uma perseguição de wargs e uma carroça de anões no gelo. Ao final, ouve-se a voz de Thorin dizendo "vocês me seguirão... mais uma vez?".

Peter Jackson encerrou o painel revelando um concurso que levará 75 fãs à Nova Zelândia para a estreia do filme em dezembro e mostrando o teaser novamente.