Filmes

Artigo

Benedict Cumberbatch rouba cena na San Diego Comic-Con

Ator apareceu no painel da DreamWorks Animation

Marcelo Forlani
24.07.2014
21h49
Atualizada em
29.06.2018
02h35
Atualizada em 29.06.2018 às 02h35

Para mediar o painel da DreamWorks na San Diego Comic-Con, foi chamado o apresentador Graig Ferguson, do programa The Late Late Show. Seguindo o roteiro entregue a ele e muitas piadas improvisadas, Craig brincou com as "surpresas" que estavam prestes a acontecer, pirataria e o chefão da DreamWorks, o temido Jeffrey Katzemberg.

dreamworks

None

dreamworks

None

dreamworks

None

A primeira parte da apresentação foi sobre a animação Home. Após mostrar um divertido teaser trailer que mostra como a vida de uma garota humana Tip (Rihanna) e um alienígena, Oh (Jim Parsons), vai mudar quando eles se encontrarem e saírem para uma aventura que pode acabar com o nosso mundo.

Para falar sobre o projeto subiram ao palco Tim Jonson (diretor) e Parsons (Oh). O Sheldon da série The Big Bang Theory ganhou os primeiros aplausos mais empolgados do Hall H. Tim disse que tudo começou quando leu o livro e gostou da história. Katzemberg, então, comprou os direitos e, dois anos e meio atrás, eles começaram a trabalhar no projeto. Agora faltam seis meses para o lançamento. Jim Parsons lembrou de quando recebeu o convite e fez um teste com o diretor. Um dos motivos que o levou a aceitar foi quando perguntou a alguns amigos se ele poderia emprestar sua voz para um alienígena, e ouviu que o personagem combinava com ele.

Em seguida foi exibida uma sequência de ação em que Oh e Tip aparecem cercados por alienígenas embaixo da Torre Eifel (chamada pelos alienígenas de "antena"). O chefe dos extraterrestres chega ao local disposto a deletar Oh. Vendo o perigo que seu amigo corria, Tip decide salvar o dia e inverte a gravidade. O que se vê a seguir é uma cena de ação por Paris, com bolhas, guarda-chuvas e gárgulas e destruição nos telhados da capital francesa, além de um gato fofo que está dormindo.

Antes de terminar, Jim lembra que Rihanna, sua parceira de cena, é uma pessoa adorável e muito fácil de trabalhar. Para finalizar, ele tirou uma foto ao lado de um display de seu personagem vestido como a cantora. Em seguida, foram mostrados o logo e um dos aparelhos da animação Boo, que terá fantasmas e um certo Bill Murray.

E enfim chegou a hora que as pessoas mais aguardavam: Pinguins de Madagascar. A apresentação começou com um trailer que mostra o lobo, um urso polar, uma foca e uma coruja apresentando sua organização criada para proteger os animais. Ou pelo menos tentando, uma vez que os Pinguins continuam anarquizando como sempre.

Sobem ao palco os diretores Simon J. Smith, Eric Darnett e Tom McGrath. Eles começam falando sobre a história dos pinguins e como eles quase foram cortados do primeiro Madagascar, mas roubaram a cena e acabaram virando série de TV e agora vão ganhar um filme próprio. Cerca de 20 minutos da animação foram exibidas.

Cena 1. Os pinguins vão celebrar aniversário do seu jeito todo próprio: invadindo a casa do tesouro americano. A cena serve para introduzir o vilão do filme, Dr. Octavios Brine (ou apenas "Dave"), com voz de John Malkovich.

O ator entra no palco e diz que quando o convite foi feito, ele adorou a ideia de emprestar sua voz para um polvo.

Cena 2. O vilão se apresenta e conta um pouco de sua motivação. "Dave é um polvo que sente que teve sua vida arruinada em um Sea World da vida por causa dos pinguins, que eram mais fofos e roubaram seu espaço no local onde viviam", disse Malkovich

Cena 3. Os pinguins conseguem fugir de Dr. Brine e vão parar em Veneza. A bordo de uma gôndola, eles são perseguidos por polvos. Na hora de um duelo que parece não ter como acabar bem para os pinguins, entra em ação a North Wind.

Benedict Cumberbatch entra no palco ovacionado e explica que seu personagem, o lobo, é o líder da North Wind, uma organização que cuida dos animais selvagens. "Nós não trabalhamos juntos. Encontrei John ontem pela primeira vez e a primeira coisa que fiz foi perguntar para ele como é fazer um polvo do mal", brincou o Sherlock da BBC. O diretor Simon J. Smith completou dizendo que é difícil conseguir agenda para juntar estes atores. "Por isso normalmente trabalhamos separadamente", disse.

Cena 4. A sede do NW é mostrada e o poder do Soro Medusa, a arma secreta desenvolvida pelo Dr. Octavios que deveria ser usada para acabar com os pinguins. Mas quando a situação parecia solucionada, Dave hackeia o sistema da NW enquanto eles falam e mostra algo mais poderoso que o Soro Medusa. A cena gera boas piadas com "selfies" e ligação via skype.

Com o microfone aberto para o público, a primeira pergunta obviamente foi direcionada a Cumberbatch. Quando perguntado sobre o trabalho como dublador, ele disse: "Trabalhei como lobo no parque Yellowstone para entender o personagem. Fiquei preocupado quando me tornei o macho alfa da matilha, mas daí descobri que os outros lobos eram Christian Bale e Daniel Day-Lewis", para garagalhadas gerais na plaetia. "O difícil é voltar à vida normal e aprender a usar o banheiro novamente", continuando a brincadeira.

"Aceitei o projeto para trabalhar com os pinguins, claro. O personagem tem seu arco e tem que aprender a trabalhar com os pinguins. E claro tem o pedigree da DreamWorks, que faz filmes que divertem as crianças e me divertem também", disse Cumberbatch sobre o que o motivou a trabalhar no projeto.

Uma professora da plateia perguntou quais obras os inspiraram quando eram crianças. O diretor Tom McGrath começou: "Star Trek, SWAT, foram as minhas influências quando criança e muito disso está aqui. A química de Kirk e Spock pode ser vista aqui." Já Cumberbatch arrancou suspiros quando listou seu favorito: "O Hobbit foi o primeirolivro que meu pai leu para mim e me ajudou muito a criar universos. E na década de 1980 tínhamos coisas como A Super-Máquina e Gentle Ben também. Como fui criado com adultos ouvi muitas histórias que acho que crianças da minha idade não deveriam ouvir", completou.

Sobre seu trabalho com a voz, Cumberbatch também falou sobre seu passado "Fiz muito rádio e isso me ajudou muito a desenvolver a voz. Livros também ajudaram muito, porque você tem que imaginar os cenários. Mas fazer este filme foi a coisa mais difícli que já fiz na minha vida", respondeu. Não ter trabalhado com nenhum outro ator foi a coisa mais frustrante. "Queria ter feito algo com os pinguins. Nem com a minha equipe [os outros animais], eu trabalhei", disse.

Antes de acabar, ficamos sabendo que a ideia do filme era tirar os pinguins da sua zona de conforto. "Por isso decidimos sair do zoológico e ir para uma aventura ao redor do mundo", disse Simon J. Smith. Como os dois fizeram vilões, a última pergunta foi sobre quais super-heróis dos quadrinhos eles gostariam de fazer. Malkovich disse "Lois Lane" e Benedict Cumberbatch, depois de brincar com os rumores sobre Doutor Estranho, falou que adoraria de ser o Batman.

O painel terminou com os primeiros seis minutos de Pinguins de Madagascar. O trecho mostrado ainda não estava finalizado, mas mostrava por que os pinguins são um assunto tão caro aos documentários e como nossos pequenos heróis começaram suas aventuras. Levando em consideração todas as cenas mostradas, a animação promete muita diversão com humor físico e também muitas "tiradas" nas falas dos personagens.