Colunistas

Artigo

Gay Nerd | YouTubers LGBTI para ficar de olho

Canais crocantes que misturam entretenimento e temas LGBTI

Isaque Criscuolo
24.01.2016
10h01

A maneira como consumimos TV mudou há algum tempo e isso já não é novidade. Se antes os downloads davam acesso a uma espécie de "democracia" na hora de assistir seriados, quando e onde quiséssemos, sem a necessidade de ficar mofando em frente a um aparelho num determinado horário, hoje os streamings e canais do YouTube ampliaram as possibilidades da televisão.

None

O YouTube, esta criatura atraente nascida em 2005, cresceu absurdamente nos últimos anos, tanto em quantidade de vídeos produzidos quanto em usuários. É simples, fácil e prático consumir vídeos por lá. Além disso, a plataforma permitiu que pessoas comuns como eu e você pudessem produzir conteúdo. O que temos hoje é um cenário bem positivo com uma turma produzindo conteúdo para audiências cada vez mais específicas, vide os gameplays e os vlogs de maquiagem, DIYs, etc. Se antes tínhamos celebridades da Globo, SBT e filmes, hoje temos YouTubers, os novos globais, influenciando uma galera.

Existe muita gente boa (de verdade) produzindo conteúdo de qualidade e dando espaço a grupos, causas e temas que não chegavam, e ainda não chegam, ao mainstream. Por tudo isso, e pelo papel que ocupam atualmente na cultura pop (até o Omelete tem seu próprio canal), resolvi recomendar quatro canais que gosto cujo conteúdo é relevante para nós não só como nerds, mas como LGBTIs. Uma galera que fala de diversidade, representatividade ao mesmo tempo que se diverte, discute teorias e nerdices. Simbora nesta lista crocante:

Canal das Bee

Sem dúvida um dos melhores canais LGBTIs do YouTube que conta com uma equipe antenada e afiadíssima para dicurtir temas polêmicos como "LGBTs podem doar sangue?", além de diversidade em novelas e séries, como Sense8 e Jessica Jones. A cereja do bolo é o vídeo com Jamie Clayton, uma das entrevistas mais sensíveis e emocionantes que já vi. Não vou contar o que acontece, mas já vou dizendo que é um grande acerto dessa galera bonita que forma o canal.

Para Tudo

Lorelay Fox é drag e a diva finíssima deste canal que, além de tutoriais de maquiagem, discute temas como transexualidade e privilégios de minorias de forma sensata, clara e simples, sem deixar de lado a importância e complexidade de tais temas. Miss Fox consegue explicar e destrinchar assuntos como ninguém e com certeza você deveria incluir esta doçura nas suas inscrições. Para completar, ainda tem vídeos de cultura pop e seriados. Corre lá!

Mandy Candy

Mandy é uma mulher trans que, ao colocar a cara no sol e falar abertamente sobre sua vida, transição e temas do mundo trans, tem atraído atenção da comunidade LGBTI e de muitos haters (que a odeiam simplesmente pelo fato de ser uma mulher trans). A importância de Mandy é, sem dúvida, dar visibilidade e voz para a causa e demistificar/destruir inúmeros preconceitos, empoderando a comunidade trans. Além disso, tem games, pokémons, cosplay e muito bom humor para rebater o recalque. Vai ter Mandy, vai ter Candy, vai ter trans e se reclamar vai ter ainda mais amor. Make love, make love!

Cuzcuz

Este canal é para você que ama quadrinhos, cultura pop e esta coluna crocante. Bárbara Rodrigues fala de filmes, heróis, diversidade, mulheres e apresenta muita, muita análise. As resenhas e críticas da moça são bem completas e cheias de referências, coisa de quem sabe o que está fazendo. Recentemente o canal passou por uma reformulação visual, mas o conteúdo continua o mesmo. É nerdice em nível hard, migues!

Estes são alguns dos meus canais LGBTI favoritos no YouTube e que acompanho com carinho. Não tenho encontrado na TV convencional os assuntos que me interessam e que representam LGBTIs da melhor forma, portanto sempre dou uma pesquisada no play vermelho para encontrar e compartilhar amor e bom contéudo. Se você gostou, assista a mais vídeos dessa galera e divulgue!

None
Crédito: Marcos Felipe Pereira

Esta coluna marca o retorno da Gay Nerd em 2016 com energia renovada. Nas próximas semanas vocês irão conferir entrevistas, análises, resenhas e temas polêmicos, tudo feito com muito carinho e crocância. Nos vemos na próxima coluna e se você tem um canal para recomendar, comenta aqui embaixo.

Um bayjo e um quayjo!

P.S.: Sobre o painel na CCXP 2015: foi bem interesse e reuniu o Luba, o Federico Devito, a Marina Burini do Pop Don't Preach, a Aline Valek do Bobagens Imperdíveis e eu, como contei na última coluna. Discutimos representatividade de LGBTIs, negros e mulheres na cultura pop, além da mudança do cenário atual com a abertura de mais espaço para a diversidade. A discussão foi rica, assim como as perguntas do público que lotou o auditório. Foi incrível sentir o calor de todos que marcaram presença por lá. Obrigado, gente, por ler e participar desta aventura. E simbora rumo à CCXP 2016!

Adotamos a sigla LGBTI por ser a mais completa para se referir à diversidade de gênero e identidade sexual nos dias atuais. O T se refere a "TRANS" (travestis, transexuais e transgêneros) e o I a "Intersexual", pessoas com características de ambos os sexos e que podem se reconhecer como homem ou mulher, independente das características físicas. Esta definição é contribuição do leitor Vinícius.

*Gay Nerd é uma coluna quinzenal que mistura nerdices aos temas LGBTI


Isaque Criscuolo é editor do Imerso, nerd, adora um lipsync e acredita que menos é mais

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.