Séries e TV

Notícia

Fórum de Discussão | Saint Seiya: Soul of Gold S01E12 Nascimento! A Divina Lança Gungnir

Excelente construção de roteiro resulta em uma das melhores reviravoltas das últimas obras de CdZ

Bruno Silva
11.09.2015
13h52
Atualizada em
29.06.2018
02h34
Atualizada em 29.06.2018 às 02h34


Este é o espaço do Omelete para que vocês possam discutir os acontecimentos quinzenais de Saint Seiya: Soul of GoldDeixe abaixo seus comentários e teorias sobre "Nascimento! A Divina Lança Gungnir", o décimo segundo episódio da primeira temporada da série, e confira o que nós achamos do capítulo desta semana - caso esteja atrasado com a série, confira os fóruns dos episódios anteriores clicando aqui.

None

Soul of Gold se aproxima de seu final e o penúltimo episódio, assim como o de 15 dias atrás, continua o bom ritmo que nós gostaríamos de ter visto em toda a série. Nos vinte e cinco minutos mostrados hoje aconteceu muita coisa - parte delas esperada, parte delas surpreendente -, com direito a uma reviravolta bem sacada e redentora no finalzinho.

Um dos maiores acertos de Soul of Gold foi o modo como eles trabalharam com os dourados que tiveram sua reputação arruinada pela saga de Hades. Máscara da Morte teve grande destaque, Aldebaran brilhou em sua luta, mas Afrodite, coitado, foi o primeiro a ser tragado pela Yggdrasil, ficando a maior parte da série fora de cena.

Pois não é que, para o espanto de shaketes e saguetes, a série vira o jogo no penúltimo capítulo e estabelece que, sem Afrodite, os cavaleiros de Atena teriam perdido? Justamente por ter sido o primeiro a ser capturado, o cavaleiro de Peixes, que é imune ao veneno de Yggdrasil (algo que Soul of Gold pegou de Albafica, do derivado Lost Canvas), conseguiu proteger seus colegas que haviam sido capturados.

Todos nós já esperavamos que, cedo ou tarde, os doze Cavaleiros de Ouro voltariam para enfrentar Loki, mas o modo como o retorno deles foi construído foi surpreendentemente bem elaborado. Se você não se lembra do que aconteceu há duas semanas, recapitulamos: Aiolia, com a armadura de Odin (que se apossou do corpo de Lyfia), precisa vencer o deus maligno antes que Yggdrasil dê fruto à lança Gungnir, a arma que dá a vitória ao vilão.

Enquanto a luta se desenrolava, os pontos que permitiram o retorno dos dourados foram colocados no momento certo. Primeiro, Loki elimina todos os Einherjar, os guerreiros mortos com tatuagens na cara do qual faziam parte Aiolia e seus colegas. Para surpresa do vilão, Aiolia e Aiolos não somem, e Lyfia explica que, na verdade, eles foram ressucitados de fato por Odin - lembra daquela cena em que ela está possuída, ainda dentro das câmaras de Yggdrasil? Era isso que ela estava fazendo.

A luta continua a se desenrolar - com uma qualidade de animação anos-luz da média da série, diga-se de passagem, com Aiolia usando a espada de Odin como plataforma -, até que Loki consegue a Gungnir (claro), e destrói Asgard inteira, até a armadura de Odin. Lyfia, com um cosmo de nova cor, começa a reviver as armaduras de Ouro, dando a brecha para o retorno dos doze.

O próximo e último episódio da série deve dar o final emocionante e catártico com Aioria conduzindo os cavaleiros de Atena à vitória, mas só os últimos dois já fizeram valer a pena para deixar uma boa lembrança.

Até 25 de setembro, você pode ver o décimo segundo episódio de Soul of Gold gratuitamente, com legendas em português, no serviço de streaming Daisuki (cliique aqui para assistir), ou todos os episódios pelo serviço de streaming Crunchyroll, por meio de assinatura (clique aqui para acessar o site).