Filmes

Entrevista

Capitão América - O Primeiro Vingador | Omelete entrevista Dominic Cooper

Uma conversa com Howard Stark

Érico Borgo
28.07.2011
00h00
Atualizada em
29.06.2018
02h34
Atualizada em 29.06.2018 às 02h34

Na semana passada conversamos em Los Angeles com Dominic Cooper, o Howard Stark de Capitão América - O Primeiro Vingador (Captain America: The First Avenger, 2011). Durante a entrevista, Cooper falou sobre o Legado da Família Stark, seu personagem, os quadrinhos e o que pensa sobre esse universo.

Como você está?

Estou bem. Estou muito bem, na verdade, e você?

Eu estou ótimo. Eu realmente gostei muito do filme, é muito bom.

Que legal.

Como você se sente agora que faz parte do legado Stark?

Eu não sei,às vezes, do nada, eu fico meio preocupado, ou ficava quando começamos as filmagens, pois isso tem um significa tanto para tanta gente, e é um legado como você disse.

É sim.

Você faz o que pode e espera que as pessoas gostem daquilo que está fazendo. Porque, no fim das contas, Howard Stark é o fundador da empresa. E também é...um personagem intrigante, com muitas camadas, é um inventor, um empresário e um homem criativo. Ao mesmo tempo é um homem que gosta de se divertir, curtir a vida e mulherengo. Há tantas coisas que você pode fazer com isso, mas você só espera que aquilo que já fez e sua parte nisso tudo, atraia as pessoas que são mais obcecadas e se importam mais com o filme. Essa era minha preocupação.

Por outro lado, não há muitas HQs sobre Howard Stark.

Sim, então é possível começar de novo, mas as pessoas já teriam ideias pré-concebidas a partir de quem é o filho dele, e dele como um homem mais velho. Então eu espero que... eu faço parte de algo muito grande, quando eu converso com os produtores sobre este filme em particular, há muita paixão, o que é muito inspirador. Você se senta numa sala com eles e discute o personagem, e o papel dele em qualquer edição dos quadrinhos, ou o que as próprias HQs significam para eles. É muito empolgante, e de repente você entende, pois eu não fui uma criança que cresceu lendo as HQs.

Eu sou um grande fã dos quadrinhos.

Eu não conhecia nada e todos os meus amigos são como você, e quando menciono estes filmes a eles, Eles ficam empolgados, e estão mais familiarizados com o significado que isso teve para muitas pessoas. Pois você tem que ser, você pode responder, é preciso estar num mundo extremamente empolgante, intrigante e que não possui limites. Eu adoro a maneira como os personagens interagem e vão para outras HQs, e são reinventados de maneiras diferentes. Para uma criança deve ser algo muito empolgante, e você devia ter seu grupo de amigos que também entende isso muito bem. Eu não tive isso. Eu não sabia o bastante sobre eles.

Mas agora que você conhece mais sobre isso, você acha...

É legal! É realmente fantástico.

Isso é algo que você está ansioso para ver? Quer dizer, vocês provavelmente farão uma sequência ou algo do tipo, e agora que você que sabe um pouco mais sobre este mundo...

Eu não sei. Novamente, eu simplesmente não tenho ideia. Mas sim, eu gostaria de participar... Eu acho que a Marvel Studios nunca faz nada que não será incrível, e quando te pedem para fazer um filme menor, e de repente você está com estes caras, é tudo enorme, elaborado e perfeito. como uma maquina brilhante e bem lubrificada. Eu adorei cada minuto do filme, e quem sabe o que virá depois? É uma pena meu personagem estar no passado, mas talvez eu possa me congelar e voltar depois.

Que legal, obrigado!

Prazer em conhecê-lo.

Capitão América - O Primeiro Vingador estreia sexta-feira no Brasil.