Candice Patton em The Flash/CW

Créditos da imagem: CW/Divulgação

Séries e TV

Artigo

The Flash retorna com bom episódio focado em Iris

Núcleo feminino da série ganha destaque no primeiro capítulo pós-Crise

Nicolaos Garófalo
06.02.2020
15h11

Existe um grupo relativamente barulhento de fãs de The Flash que se incomodam muito com Iris (Candice Patton), ainda por causa da maneira como a personagem foi apresentada nas primeiras temporadas. Inicialmente ignorante aos acontecimentos ao seu redor e frequentemente uma grande distração para Barry (Grant Gustin), a repórter talvez seja uma das personagens que apresentou o maior desenvolvimento até agora nestes seis anos de série.

Em “Marathon”, primeiro episódio da sexta temporada após o crossover do Arrowverse, Iris toma os holofotes para si e prova de uma vez por todas que merece toda a atenção que tem recebido da equipe de The Flash.

[Spoilers de “The Flash – Marathon” a seguir]

Assim como as outras séries do Arrowverse, The Flash retorna em 2020 lidando diretamente com os efeitos da Crise nas Infinitas Terras. No caso, Cisco (Carlos Valdes), em um surto de desespero, compila todas as grandes mudanças trazidas pela criação da Terra Primordial, incluindo a aparição de Metrópolis, uma nova linha do tempo e uma coleção de cartas de todos os velhos e novos vilões que surgiram da convergência do multiverso. Uma indiferente Nevasca (Danielle Panabaker) tira sarro do desespero do colega e de sua maneira completamente não saudável de lidar com as mudanças.

Enquanto isso, no escritório do Central City Citizen, jornal que Iris mantém com Kamilla (Victoria Park), Allegra (Kayla Compton) e Cecile (Danielle Nicolet), as repórteres organizam uma matéria investigativa que liga a tenebrosa organização Buraco Negro à gigante tecnológica McCulloch, apesar de Cecile avisá-las da possibilidade de um processo. Melhores personagens desta temporada, o núcleo do jornal apresenta uma química incomum para um grupo que trabalha há tão pouco tempo junto – Park entrou na série no meio da quinta temporada, enquanto Compton estreou no começo da sexta – e a liderança de Iris dá a liga perfeita para criar o espaço necessário para cada uma das heroínas.

Apesar de Barry ser deixado de lado, enviado em uma missão paralela e inútil com Diggle (David Ramsey), “Marathon” traz uma grande satisfação ao espectador por desenvolver Iris – e o elenco feminino no geral – como algo além de donzelas em perigo. A jornalista enfrenta um CEO ganancioso, uma meta-humana capaz de desintegrar qualquer tipo de matéria e ainda avança em suas investigações, sem precisar contar com os poderes de Nevasca, Flash ou Allegra em nenhum momento.

Patton, que já vinha ganhando destaque nos últimos episódios de The Flash como o centro emocional da temporada, alcança um novo patamar em sua atuação na série, apoiada por um roteiro que finalmente reflete a destemida e tenaz Iris das HQs. Pela primeira vez em anos, é possível dizer que a atriz e a personagem se fundiram quase no mesmo nível de Gustin e Barry ou Panabaker e Nevaska/Caitlyn.

Quem erra a mão neste décimo capítulo é Carlos Valdes. Há algum tempo, Cisco vem perdendo a graça que o popularizou no começo da série e seus ataques frenéticos em “Marathon” nada lembram o entusiasmado inventor apresentado no piloto de The Flash. Embora a frustração do personagem não seja gratuita – ele perdeu diversos amigos na Crise, afinal -, o próprio Valdes parece não se convencer da mudança repentina na personalidade de Cisco, especialmente quando o cientista ataca um traumatizado Nash (Tom Cavanagh) para minutos depois deixá-lo no comando do S.T.A.R. Labs.

Com uma narrativa bem construída, o episódio desta semana de The Flash ainda deixou ganchos interessantes a serem resolvidos no resto da temporada. Além de uma possível nova vilã descoberta por Iris, o espectador ainda pode ver um pouco mais da relação de Nash e com a Allegra de sua Terra natal, onde os dois eram parceiros de aventura, arco que deve ser explorado em episódios futuros.

Focado nas capacidades de Iris como líder e repórter, “Marathon” foi uma boa forma de The Flash retornar da Crise. Por mais que o herói-título tenha sido deixado de lado, sua ausência só fez bem à história da jornalista, que finalmente ganha o espaço que a clássica personagem dos quadrinhos merece.