Cena de Legends of Tomorrow, Meet the Legends

Créditos da imagem: CW/Divulgação

Séries e TV

Artigo

Legends of Tomorrow retorna com “falso documentário” hilário e emocionante

“Meet The Legends” lida tanto com as consequências do final da quarta temporada, quanto com as mudanças do crossover

Nicolaos Garófalo
23.01.2020
20h44

Se existe uma característica básica que destaca Legends of Tomorrow das outras séries do Arrowverse é sua capacidade de rir de si mesma. Cercada de metalinguagem, a produção que acompanha os heróis em suas viagens pelo tempo e espaço abraça o ridículo desde sua primeira temporada, conquistando até os espectadores mais céticos do universo DC na televisão.

A estreia da quinta temporada, apenas uma semana após a Crise nas Infinitas Terras, menciona o crossover, especialmente seus efeitos sobre Sara (Caity Lotz), mas prefere focar nas consequências do final do quarto ano, quando a equipe se revelou para o público ao batalhar contra Tabitha (Jane Carr) e NeRay (Brandon Routh), e no novo status de celebridade da tripulação da Waverider.

[Spoilers de “Legends of Tomorrow – Meet The Legends” à frente]

A premissa de “Meet The Legends” é simples: procurando melhorar a imagem da equipe após alguns deslizes em rede nacional – incluindo o ataque ao senador Wellington (Paul Batten) na última temporada -, Ava (Jess Macallan) contrata uma equipe de filmagem, liderada pelo diretor Kevin Harris (Adam Beauchesne), para fazer um documentário sobre do grupo. Em uma introdução hilária, Nate (Nick Zano) é mostrado em alguns comerciais japoneses de refrigerante – no melhor estilo Joey de Friends -, Mick (Dominic Purcell) apresenta um dos prêmios do Oscar e Sara e Ava vão com os Obama a um jogo de basquete.

Em frente às câmeras, cada membro esconde seu comportamento normal, seguindo os conselhos de Ava sobre melhorar a imagem pública do grupo. Behrad (Shayan Sobhian) tenta – e não consegue - esconder seu uso de maconha, Ray (Routh) se esforça para criar um bordão e Nate se veste o tempo todo como um acadêmico, tentando impressionar a equipe de filmagem. A única que se incomoda com as câmeras na nave é Sara, ainda de luto pela morte de Oliver (Stephen Amell) durante a Crise.

Enquanto o formato de falso documentário relembre comédias como The Office e Parks & Recreation, ele também proporciona um novo olhar às aventuras bizarras das Lendas. Dessa vez, a equipe retorna à Rússia Czarista para lidar com Grigori Rasputin (Michael Eklund), que retornou dos mortos após Astra (Olivia Swann) liberar almas presas no Inferno. Assistir Nate entrevistar o sacerdote russo cercado de câmeras, ou Ray prender uma GoPro em seu traje para “acesso total à ação não violenta” proporciona os momentos mais hilários do episódio, ao mesmo tempo em que o discurso enraivecido de Sara para as câmeras dá o pontapé para uma das cenas mais emocionantes da série.

Meet The Legends” também demonstra o quanto os atores estão à vontade em seus papéis. Routh rouba praticamente qualquer cena em que aparece como Ray Palmer/Eléktron, enquanto a atuação seca e direta de Matt Ryan faz com que seu Constantine pareça ter sido tirado diretamente das HQs. Mas, em meio ao cenário colorido e o roteiro autorreferente, Lotz e Zano brilham como os grandes responsáveis pelo drama do episódio.

Enquanto a atriz da Canário Branco demonstra com extrema facilidade o turbilhão de emoções de ter perdido Oliver duas vezes durante o crossover e sua decepção pelo mundo não perceber que ela acabara de salvar e unir o multiverso, Zano consegue fazer com que a transição da comédia galhofa tradicional de Legends of Tomorrow ao drama do desaparecimento e esquecimento de Zari (Tala Ashe) pareça natural, sem que o episódio sofra com a mudança de tom.

Exemplo clássico do formato de Legends of Tomorrow, “Meet The Legends” consegue, em uma hora igualmente emocionante e hilária, introduzir seus dois principais arcos para a quinta temporada. Um começo forte para o novo ano, o capítulo exala a marca única da série dentro do Arrowverse ao mesmo tempo em que traz um novo formato para a produção. Mais uma vez, o caminho parece tranquilo para mais uma sólida temporada a bordo da Waverider.