Willa Holland, Lexa Doig e Stephan Amell em Arrow/CW

Créditos da imagem: CW/Divulgação

Séries e TV

Notícia

Arrow tem episódio fraco que destoa da temporada

“Leap of Faith” tira Oliver de sua missão principal e desperdiça capítulo com trama desnecessária

Nicolaos Garófalo
31.10.2019
20h11

Em uma temporada de apenas dez episódios, menos da metade que o normal para Arrow, era de se esperar que o novo ano tivesse uma história igualmente mais enxuta e um arco focado. Nos dois primeiros episódios do oitavo ano, foi exatamente isso que a série entregou, mostrando Oliver (Stephen Amell), John (David Ramsey) e Laurel (Katie Cassidy) em uma missão para ajudar o Monitor (LaMonica Garrett) a se preparar para a Crise nas Infinitas Terras. Infelizmente, “Leap of Faith” descarta a boa premissa de prelúdio para o crossover e serve apenas como um filler em um ano que já terá seu desenvolvimento limitado.

[Spoilers de “Arrow – Leap of Faith” a seguir]

Uma das grandes qualidades da última temporada de Arrow até agora era seu enredo enxuto, que contava com a missão de Oliver e o bom núcleo futurista de Star City 2040. O terceiro episódio, no entanto, separa o protagonista de John, que também parte com Lyla (Audrey Marie Anderson) em uma operação paralela para a ARGUS.

Com a promessa não cumprida de revelar mais detalhes sobre o passado do Monitor, o capítulo leva Oliver de volta a Nanda Parbat, lar da Liga dos Assassinos, apenas para forçar seu reencontro com Thea (Willa Holland). Completamente deslocada da história do crossover, a trama não leva a lugar nenhum e a grande “caça ao tesouro” do episódio pouco faz para manter o espectador ligado, mesmo com o retorno de Talia (Lexa Doig) e a introdução da descartável vilã Athena (Kyra Zagorsky).

Com John e Lyla não é diferente. Enquanto o capítulo anterior revelou que a esposa de Diggle vem trabalhando há anos com Mar Novu, “Leap of Faith” ignora completamente essa revelação e não traz nada de novo à relação do casal, com os momentos dos dois sendo tão desnecessários quanto o resto do episódio.

O único destaque positivo fica por conta do núcleo da Equipe Arqueiro 2.0, que, diferentemente de seus antecessores, tem adiantado sua trama com momentos divertidos e ao mesmo tempo emocionantes. William (Ben Lewis) e Mia (Katherine McNamara) apresentam uma dinâmica de irmãos mais crível que Oliver e Thea e a história finalmente permite que a filha do Arqueiro Verde se abra mais emocionalmente.

Mesmo que o roteiro e o excesso de tramas não ajudem, as atuações de Arrow seguem equilibradas. Embora Amell entregue o melhor trabalho entre seus colegas, não é difícil entender por que o elenco de Star City 2040 ganhará um derivado. Liderado por McNamara, o grupo transborda carisma em suas rápidas cenas e será divertido vê-los interagir com a Equipe Arqueiro original, agora que todos foram levados para o mesmo momento da linha temporal.

Fraco, “Leap of Faith” pouco fez para manter a boa forma que a oitava e última temporada de Arrow vinha mostrando em seu início. Completamente deslocado do cenário geral do ano, o episódio serviu apenas para unir os dois principais núcleos da série, junção que deve trazer bons frutos no próximo capítulo. Com exceção dos cinco minutos finais, o episódio poderia ser inteiramente descartado, pois não fará falta quando a série se despedir dos fãs.