Música

Lista

Arctic Monkeys | Tranquility Base Hotel & Casino faixa a faixa

Entenda melhor o novo álbum da banda inglesa

Julia Sabbaga
14.05.2018
16h56
Atualizada em
29.06.2018
02h25
Atualizada em 29.06.2018 às 02h25

Quando o Arctic Monkeys lançou o seu sexto álbum na semana passada, muita gente ficou sem reação. Completamente diferente de seus outros discos, Tranquility Base Hotel & Casino tem muito piano, linhas melódicas que parecem jazz e poucos refrões fortes, o que marcou um distanciamento brusco do seu último trabalho, AM.

1. "Star Treatment"

“Só gostaria de ser um dos Strokes” é a frase que inicia o disco, na música que já foi explicada por Turner como uma reflexão dos doze anos que se passaram desde o começo de sua carreira. A música também parece fazer um paralelo entre as estrelas do céu e de Hollywood, dizendo que nenhuma delas é o que parece, quando o vocalista canta: “Não é assim que elas são de verdade, a luz demorou uma eternidade para chegar nos seus olhos”. A faixa ainda faz referências diretas a Blade Runner e 1984, de George Orwell.

2. "One Point Perspective"

A segunda faixa tem uma teoria de fãs ao seu redor; Alex Turner parece cantar da perspectiva de uma criança, o que justifica frases desconexas e as frases “me aguente, eu perdi a linha de raciocínio”, e a ideia de que os sonhos infantis são apenas desilusão, em frases como “eu fantasio, eu desisto”. Turner explicou as frases “já toquei em cômodos silenciosos como estes antes” como um exemplo das gravações dos vocais do disco: “Eu era a única pessoa no prédio, sentado com o meu microfone e gravador. Isso me permitiu fazer coisas que eu não teria feito em outro lugar”.

Tranquility Base Hotel & Casino é o resultado de uma viagem pessoal do compositor e frontman Alex Turner, e é recheado de referências a ficção científica e críticas à modernidade, resultando nas 11 letras mais enigmáticas da banda. Para ajudar na experiência para quem ainda está tentando decifrar o novo do Arctic Monkeys, fizemos um faixa-a-faixa do que pode ser interpretado por trás de cada música. Confira:

3. "American Sports"

“American Sports” inicia a ideia do álbum inteiro, de uma base lunar onde humanos habitam e olham para a Terra de longe, mas tem uma das letras mais recheadas de mistérios. Uma das mais estranhas, “Nunca achei que eu fosse conhecer tantas Lolas” já foi citada como possível referência ao livro de Russel Hoban, Her Name Was Lola, que inclui exatamente a mesma frase. De modo geral, a faixa pode ser entendida como o declínio da sociedade e o caos político e religioso visto de cima, a partir da primeira frase: “Quando você olha a Terra do espaço, seu sorriso estúpido deixa seu rosto?”.

11. "The Ultracheese"

A melancólica música fala da solidão na nova sociedade. A descrição do isolamento está cercada de nostalgia, em frases como “Me assusto com uma batida na porta quando não esperava. Isso não fazia parte da graça, em um tempo antigo?”. Uma frase que também é entendida no contexto da base na lua é “talvez seja hora de você dar uma volta vestido como um personagem fictício, de um lugar chamado América nos anos dourados”, interpretada com um traje de astronauta. O misterioso título, "The Ultracheese", pode ser uma simples referência à lua, comumente comparada à um queijo (cheese, em inglês).

4. "Tranquility Base Hotel & Casino"

A faixa título é relativamente mais simples, e parece ser a descrição da atmosfera de um hotel lunar, principalmente por Tranquility Base ser o nome da área onde o homem pisou pela primeira vez na lua. No refrão, Turner fala diretamente como se atendesse o telefone do hotel e usa o nome “Mark”. Teoria da conspiração ou não, fãs debatem se a citação não é em referência a Mark Zuckerberg. Sobre a frase mais esquisita, que pode ser traduzida como “beije-me embaixo do lado do seio da lua”, Turner explicou que o termo veio do guitarrista Jamie Cook, que se referiu à lua crescente deste modo.

7. "The World's First Ever Monster Truck Front Flip"

“The World's First Ever Monster Truck Front Flip” pode ser entendida como a obsessão das pessoas por seus celulares e o mundo virtual. Turner já explicou que o título – algo como“o primeiro mortal frontal de caminhão monstro do mundo” - cita uma experiência própria em que o vocalista não resistiu em clicar no vídeo: “eu não resisti, estava lá para mim. Estamos vivendo em um mundo que caminhões monstro estão fazendo mortais para frente!”.

5. "Golden Trunks"

Mojo/Divulgação

“Golden Trunks” é mais um mistério no álbum, mas traz um trecho possivelmente claro, em referência a Donald Trump: “O líder do mundo livre parece um lutador de luta livre com uma sunga justa e dourada”. Mas de modo geral, a música é sobre uma garota, segundo Turner: “Esta música é definitivamente sobre uma personagem feminina, e é o mais próximo de uma canção de amor que o álbum traz”. O refrão, pelo menos, é claro, quando ele canta: “e em resposta ao que você suspirou no meu ouvido, eu devo admitir que às vezes eu fantasio com você também”.

10. "Batphone"

"Batphone" também parece mais fácil de decifrar, até pelo próprio título. A música parece falar sobre a relevância dos celulares hoje em dia, e o termo “Bat Phone” sugere que a linha é de alta importância. Na música, Turner usa frases mais diretas, como “Eu já te contei sobre quando eu fui puxado para dentro do buraco de um dispositivo móvel?”.

9. "She Looks Like Fun"

“She Looks Like Fun” é uma esperta letra sobre redes sociais: “Finalmente eu posso compartilhar com você, de modo nebuloso, qualquer pensamento bizarro que passa pela minha mente”.  No refrão, quando parece enumerar coisas aleatórias, Turner pode estar narrando a experiência de rolar o mural de uma rede social para baixo, em palavras como: “Bom dia, hambúrguer, snowboarding”. Turner se aprofunda nisso: “Esta parte da música também me remete a experiência de querer ler um livro mas você acaba se distraindo pelo seu celular”.

6. "Four Out Of Five"

A faixa também parece falar sobre o hotel lunar, e Turner assume um tom de propaganda na voz ao cantar sobre as vantagens e os desenvolvimentos da área: “lugares fofos surgem a toda hora ao redor de Clavius”, ele canta, citando o nome de uma das maiores crateras da lua. A faixa ainda traz um dos termos mais intrigantes do disco, a “relação informação-ação”, do teórico Neil Postman. O termo explica a tendência de agir após receber uma informação, e implica que se a taxa de informação for muito alta, como nos dias de hoje, o resultado é a falta de ação e a diminuição da potência social.

8. "Science Fiction"

“Science Fiction” trata basicamente sobre a atividade de compôr, e quase que diretamente trata da influência da ficção-científica nas músicas, em frases claras como “a ascenção das máquinas” e “reflexões na tela de sociedades estranhas”. “A ficção-científica cria outros mundos que permite que você explore o nosso, e eu queria escrever algo sobre esta ideia”, explicou Turner. Na letra, Turner cita uma de suas principais influências para o álbum, a série alemã de ficção-científica de 1973, World On A Wire, dirigida por Rainer Werner Fassbinder.