Séries e TV

Lista

Bentô #42 | Lendas urbanas e terror nos animes

Moo e Jack explicam como o terror é mostrado nos animes e também dão dicas de obras do gênero

A cozinha
17.02.2021
15h54
Atualizada em
17.02.2021
16h16
Atualizada em 17.02.2021 às 16h16

Você já ouviu falar de KAIDAN? O nome se refere aos CONTOS SOBRENATURAIS JAPONESES, que não é a mesma coisa de filmes de terror. Na verdade, esse termo é se relaciona mais com lendas urbanas sobrenaturais, ou "histórias que o povo conta”.

O Kaidan surgiu na antiguidade como justificativa para coisas inexplicáveis, mas hoje é muito visto como ficção, que gira em torno de qualquer situação estranha e incomum que não tem explicação prática e é associada com criaturas e entidades religiosas ou folclóricas.

O vocábulo kaidan possui dois caracteres que significam kai (que podem ser traduzido estranho ou misterioso) e dan (algo similar às palavras hanashi ou katari, que podem ser traduzidas como contar ou narrar o estranho).

Uma das principais características do Kaidan é ser narrado mesmo, como um causo, uma história que aconteceu em algum momento e vai sendo passado boca a boca, até ser de conhecimento geral.

E apesar de não ser a mesma coisa que horror, como a gente conhece por aqui, essas histórias sobrenaturais podem sim ser assustadoras, como é o caso de algumas que vamos indicar aqui hoje!

Junji Ito Collection (Crunchyroll)

Divulgação

Quando a gente fala de terror é impossível não se lembrar de Junji Ito, um dos autores mais conhecidos do gênero. Uma boa maneira de conhecer o trabalho do autor é através dessa coletânea de pequenos contos de terror em Junji Ito Collection dividido em 13 episódios disponíveis na Crunchyroll.

O anime adapta alguns contos das obras de um dos maiores artistas de mangá de horror do Japão, em que cada episódio tem protagonistas diferentes, incluindo Tomie, personagem principal do seu primeiro trabalho de mesmo nome.

Apesar de ser uma boa adaptação dos contos do Junji Ito, o anime não faz jus a intensidade do terror que as obras trazem nos mangás, então pra quem prefere ler, uma outra forma de conhecer um pouco o trabalho dele é com o mangá Fragmentos do Horror da editora Darkside Books.

Junji Ito mistura surrealismo, gore, erotismo e horror de um jeito único nessa edição com 9 contos diferentes, com temas bem bizarros e absurdos, que ele apresenta como ninguém.

TOMIE (Pipoca e Nanquim)

Divulgação

Um deles é o mangá Tomie, da editora Pipoca e Nanquim, que chega em duas edições agora em fevereiro e março.

Esse foi o primeiro trabalho do Junji Ito, de 1987, e reúne uma coletânea de contos centrados nessa personagem muito bonita, capaz de enfeitiçar as pessoas pra que façam coisas horríveis, incluindo o seu proprio assassinato. Por mais que ela morra, sempre acaba voltando, matando e morrendo inúmeras vezes.

Tomie foi serializada originalmente no Japão de 1987 a 2000 e é uma das obras mais influentes do gênero, recebendo prêmios importantes da indústria. O mangá já foi adaptado para 9 filmes e a obra até hoje é extremamente elogiada.

GYO (DEVIR)

Divulgação

O mangá Gyo, ou Gyo Ugomeku Bukimi, chega ao Brasil em março pela editora Devir, e conta a história de um casal que começa a sentir um forte cheiro de podridão enquanto uma espécie de peixe com pernas mecânicas se arrasta pela casa.

A leitura é tão intensa que te faz sentir o mesmo cheiro insuportável de peixe que os protagonistas descrevem na história. Para quem curte se surpreender com histórias bizarras, ideias incríveis, imagens (e cheiro) que não vão sair da sua mente por um bom tempo, Gyo é uma opção certa!

O mangá também ganhou uma adaptação em um OVA de 60 minutos, chamado Gyo: Tokyo Fish Attack, lançado em 2012 e com muitas mudanças na história.

O mangá chega em março no Brasil pela editora Devir, que também já publicou Uzumaki, outro clássico do Junji Ito que consegue fazer simples ESPIRAIS te deixarem em pânico.

YAMISHIBAI

Divulgação

YAMISHIBAI é uma coletânea de lendas urbanas que está agora na sua oitava temporada, sendo lançada pela Crunchyroll. Os episódios são bem curtinhos, cerca de 5 minutos, tem colaboração de diversos artistas e até episódios em live action.

O nome do anime vem de uma brincadeira com o termo KAMISHIBAI, que seria um teatro de bonecos de papel com a palavra YAMI, que seria TREVAS, justificando a escolha artística do anime de ser feito como um teatro de papel, só que com histórias cotidianas aterrorizantes.

Esse tipo de teatro também é um clássico no que se trata de contos e oralidade no Japão, por isso a associação entre KAIDAN e KAMISHIBAI é frequente.

Outra curiosidade sobre KAIDAN é que esse tipo de conto é sempre muito associado ao período de verão no Japão, e uma das justificativas é que os dois combinam porque as histórias dão arrepios que ajudam a refrescar do calor.

Na mesma vibe de YAMISHIBAI, THE WORLD YAMIZUKAN é também uma coletânea, mas que conta histórias sobrenaturais do mundo todo, incluindo OVNIS, maldições e civilizações antigas.

O anime também é feito como um teatrinho de papel, no mesmo estilo de animação, e por serem da mesma empresa, não chega a dar tanto medo, apesar de gerar um suspense bem legal.

Yamizukan também é super curtinho, então se você curtiu Yamishibai vai se divertir vendo esse que também está disponível na Crunchyroll, assim como o próximo da lista, KAGEWANI!

Kagewani

Divulgação

Kagewani também segue a mesma linha, mas é uma história mais linear, que segue o professor Sōsuke Banba, um pesquisador de criaturas sobrenaturais.

O anime lembra a estética de Yamishibai e Yamizukan, porém mistura mais imagens reais, o que gera mais tensão ainda, mesmo que o tema não seja tão aterrorizante.

TOILET BOUND HANAKO-KUN

Divulgação

E pra encerrar a nossa lista com lendas urbanas, mas de um jeito MUITO mais fofo, vamos falar de TOILET BOUND HANAKO-KUN que infelizmente é o unico da lista que não veio oficialmente pro Brasil, mas podemos encher o saco das empresas pra elas trazerem.

O anime conta a história da Nene, uma garota boba que quer muito realizar um desejo besta, e pra isso, ela tenta a sorte com a lenda urbana do Hanako-kun, que é basicamente a loira do banheiro, só que ele teoricamente realiza desejos também.

No anime o Hanako-kun realmente existe e tá preso no banheiro e os dois acabam conectados por um laço inquebrável até que ela vira ajudante dele.

O anime também remete à estética dos teatros de papel, da narrativa do kaidan, mas tem um character design impressionante de incrível, personagens carismáticos e muitas lendas e contos no decorrer da história.

É uma ótima adaptação do mangá de mesmo nome que foi anunciado pela Panini para vir pro Brasil! Então não temos anime mas teremos mangá se tudo der certo.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.